Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 27 Janeiro |
São João Maria, chamado Muzei ou Ancião
Aleteia logo
Cultura & Viagem
separateurCreated with Sketch.

Petra: um destino bíblico como nenhum outro

Petra

Anton_Ivanov - Shutterstock

Daniel R. Esparza - publicado em 09/12/22

Considerada uma das propriedades mais preciosas da humanidade, Petra é mencionada duas vezes na Bíblia

As tradições locais bíblicas e orais afirmam que Moisés atravessou a Jordânia desde o Mar Vermelho, no sul, até o norte, no Monte Nebo, enquanto vagava pela Terra Santa. Na verdade, toda a Jordânia está repleta de referências antigas a Moisés e seu irmão, Aarão. Tomemos, por exemplo, o nome da cidade mais próxima da antiga Petra – Wadi Musa, o “Vale de Moisés”.  

Wadi Musa é o centro administrativo do Departamento de Petra e, segundo a tradição, o local do enterro do irmão de Moisés. Sua tumba, afirmam os guias locais, pode ser encontrada nas proximidades, em um penhasco ao redor do Monte Hor chamado Jabal Harun.

A cidade também fica a poucos quilômetros do local que a tradição identificou como o poço de Moisés – o local onde Moisés extraiu água da rocha. Desta mesma fonte os nabateus drenavam água, através de um aqueduto de barro que ainda existe, em todo o caminho para Petra.

Petra
Petra é uma das Sete Maravilhas do Mundo

Patrimônio da humanidade

O que a UNESCO declarou sobre Petra (ou seja, que é “uma das propriedades culturais mais preciosas do patrimônio cultural da humanidade”) não é um exagero de forma alguma. 

Originalmente conhecida por seus habitantes como Raqmu, Petra é uma das maravilhas arqueológicas mais famosas do mundo antigo e lar de beduínos que viveram em cavernas esculpidas no arenito. Na verdade, sabe-se que Petra tem sido habitada quase ininterruptamente desde o ano 7000 a.C..

Petra está localizada perto da montanha de Jabal Al-Madbah, a montanha do altar. Esta montanha foi identificada (um tanto controversamente) por alguns estudiosos da Bíblia (ou seja, Ditlef Nielsen e Arthur Samuel Peake) como o Monte Sinai bíblico. Embora essas afirmações tenham sido rejeitadas pelos estudos bíblicos contemporâneos, a própria Petra é, de fato, mencionada na Bíblia duas vezes. Na verdade, as Escrituras explicam que a cidade ficava na terra dos edomitas, descendentes de Esaú, filho de Isaac.

Localizada a cerca de 250 km ao sul da capital da Jordânia, Amã, Petra fica a meio caminho entre o Golfo de Aqaba e o Mar Morto, a uma altitude entre 800 e 1396 metros acima do nível do mar. É acessível apenas a pé ou a cavalo, depois de passar por um longo e sinuoso desfiladeiro de arenito – o lendário Siq.

Ambos os nomes, Petra e Selá, significam “rocha”, obviamente referindo-se ao fato de que a maior parte desta cidade surpreendente é esculpida em penhascos de arenito.

JORDAN,PETRA
Petra caiu nas mãos dos romanos, que anexaram Nabataea e a renomearam como Arabia Petraea, dando-lhe o nome pelo qual a cidade é conhecida hoje.

Descobertas arqueológicas

Arqueólogos descobriram evidências da presença nabateia em Petra que datam do século II a.C. A essa altura, Petra já era a capital adequada do Reino Nabateano e um dos centros comerciais mais importantes nas rotas regionais de comércio de incenso. Objetos e fragmentos desenterrados provam que Petra já recebeu comerciantes de lugares tão distantes quanto o Afeganistão. 

Foi esta atividade comercial que rendeu aos nabateus o tipo de receita que lhes permitiu transformar Petra, no século I, na magnífica cidade que ainda é. Foi então que a famosa estrutura Al-Khazneh, que se acredita ser o mausoléu do rei nabateu Aretas IV, foi construída. 

Embora o reino nabateu tenha se tornado um estado do Império Romano no século I a.C., foi apenas em 106 d.C. que perdeu sua independência. Petra caiu nas mãos dos romanos, que anexaram Nabataea e a renomearam como Arabia Petraea, dando-lhe o nome pelo qual a cidade é conhecida hoje, Petra

Com o surgimento das rotas comerciais marítimas, sua importância diminuiu, embora na era bizantina várias igrejas cristãs tenham sido construídas. A maioria dos seus vestígios ainda pode ser visitada, e até mesmo alguns castelos da época dos cruzados ainda estão de pé nas falésias vizinhas. De fato, foi em uma dessas igrejas, a famosa Igreja Bizantina de Petra, construída no século II, onde mais de 150 papiros foram encontrados. Embora a própria igreja tenha sido consumida por um incêndio no século VII, suas ruínas ainda são impressionantes.

Petra
Tumba de Urn em Petra, Jordânia
Tags:
BíbliaperegrinacaoViagem
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia