Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 07 Fevereiro |
Bem-aventurado Guilherme Saultemouche
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Direto do Vaticano: A dura aterrissagem da nova Constituição

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Christmas Urbi et Orbi celebration in St. Peter's Square at The Vatican on December 25, 2022

Antoine Mekary | ALETEIA

I.Media para Aleteia - publicado em 29/12/22

Seu Boletim Direto do Vaticano de 29 de dezembro de 2023

  1. Papa Francisco agradece povo polonês por sua ajuda à Ucrânia
  2. Retrospectiva 2022: A dura aterrissagem da nova Constituição

1Papa Francisco agradece povo polonês por sua ajuda à Ucrânia

Por Camille Dalmas: No final da audiência geral de 28 de dezembro de 2022, o Papa Francisco agradeceu ao povo polonês “por toda a ajuda que eles estão dando ao povo ucraniano”. Ele deu sua bênção às “famílias polonesas e ucranianas” que estão atualmente na Polônia.

Dirigindo-se aos fiéis de língua polonesa, o Papa rezou pelo consolo dos corações “perturbados pelo drama da guerra na Ucrânia e em outras partes do mundo”. Em seu último apelo, ele pediu a Deus que concedesse “à atormentada Ucrânia, oprimida pela brutalidade da guerra, o tão esperado dom da paz”.

O pontífice já havia elogiado a fraternidade do povo polonês para com seu grande vizinho durante uma audiência geral em 9 de novembro. Mais de três milhões de refugiados ucranianos foram acolhidos na Polônia desde o início da ofensiva russa em fevereiro passado, além de mais de um milhão de refugiados já presentes desde a anexação da Crimeia e a ocupação do Donbass em 2014. A Igreja polonesa se mobilizou maciçamente para organizar a recepção dos ucranianos.

2Retrospectiva 2022: A dura aterrissagem da nova Constituição

A Constituição Apostólica Praedicate Evangelium – “Proclamação do Evangelho” – que entrou em vigor em 5 de junho, dá uma nova estrutura à Cúria Romana, o corpo central da Igreja Católica. Uma reforma administrativa, mas também espiritual, dá expressão concreta às muitas reformas que o Papa Francisco vem realizando desde o início de seu pontificado, mas também coloca novos problemas.

A nova Constituição, que substitui o Pastor Bonus, promulgado por João Paulo II em 1988, redefine antes de tudo o quadro geral da ação da Cúria Romana, que se torna uma realidade a serviço do Papa, mas também dos bispos. O objetivo declarado é descentralizar o poder a fim de pôr fim a uma Cúria romana autoritária que governa as Igrejas particulares. Alguns bispos saudaram esta mudança de cultura.

No entanto, para alguns, esta descentralização não é suficientemente completa: é o que dizem, por exemplo, os bispos alemães, que criticaram repetidamente as intervenções autoritárias do pontífice e da Cúria em seus assuntos internos. A perda de poder da Cúria Romana parece ter fortalecido principalmente os poderes do Papa, sem levar, por enquanto, a uma maior subsidiariedade.

Para dar mais espaço às Igrejas particulares, o papel das conferências episcopais é levado em conta pela nova Constituição, mas ainda precisa ser esclarecido. O Bispo de Roma já demonstrou sua disposição de envolver essas entidades recentemente, notadamente no que diz respeito às traduções litúrgicas, mas talvez de forma mais decisiva para o Sínodo sobre a sinodalidade. No entanto, o pontífice também pareceu preocupado em não lhes dar muito espaço quando se tornaram muito influentes na vida da Igreja, especialmente na Alemanha e nos Estados Unidos, lembrando a primazia do poder do bispo sobre sua conferência nacional.

Racionalização e perguntas

De modo mais geral, a Constituição expressa o desejo do Papa de que toda esta nova estrutura seja orientada para um objetivo: a proclamação da Boa Nova. Para este fim, o pontífice colocou o novo dicastério da Evangelização à frente da hierarquia do Vaticano e assumiu pessoalmente a liderança.

Entretanto, esta decisão está atualmente causando alguma confusão sobre o novo funcionamento do dicastério, que é responsável pelas nomeações episcopais na Ásia, na África e em partes da América Latina, e sobre sua governança. Os líderes anteriores, incluindo o Cardeal Tagle, têm estado sem uma posição clara há quase seis meses.

Estruturalmente, as entidades da Cúria foram reagrupadas e divididas em dicastérios, escritórios e tribunais – não mais conselhos pontifícios ou congregações. O objetivo é reduzir o número de estruturas com vistas à racionalização, mas também para fazer economias.

No entanto, as fusões que foram realizadas não estão isentas de problemas: a coabitação de antigas entidades com diferentes culturas de trabalho dentro de “superdicastérios” tem causado problemas reais de gestão nos últimos anos. Este tem sido o caso em particular nos dicastérios para Comunicação e para o Serviço de Desenvolvimento Humano Integral.

O desafio dos recursos humanos

O Papa também deslocou a Cúria de um sistema de delegação de poder pessoal para uma dimensão vicária – relacionada à função – da missão curial. Esta é uma mudança de cultura que visa a uma rápida profissionalização do pessoal da Cúria. É também uma questão de agir contra os casos de incompetência flagrante – se não malícia – que o atual julgamento do edifício de Londres sugere ao mais alto nível.

Isto se manifesta na Cúria pela imposição de um modelo de contrato chamado quinquênio – uma missão de cinco anos, renovável uma vez – que atualmente parece quase impossível de ser implementada e suscita muita perplexidade e até mesmo preocupação, especialmente entre os leigos que trabalham no Vaticano. O Padre Juan Antonio Guerrero, ao deixar seu cargo, indicou que a próxima tarefa da Santa Sé se referiria ao Departamento de Recursos Humanos, do qual o Papa nomeou o primeiro diretor em setembro passado.

A Constituição Apostólica também prevê que os cargos de direção possam ser confiados a leigos, o que já era o caso desde a nomeação de Paolo Ruffini como chefe do dicastério da Comunicação em 2018. No entanto, algumas personalidades da Cúria, como o Cardeal Ouellet, fizeram questão de se manifestar sobre o fato de que esta laicização não deveria pôr em questão a estrutura hierárquica da Igreja, um sinal de que o marco desta abertura aos leigos ainda é objeto de debate.

Reconhecendo os desafios, o Cardeal Gianfranco Ghirlanda, o canonista jesuíta que foi o principal arquiteto da nova Constituição, foi cauteloso logo após sua publicação. Ele insistiu que a Constituição não foi estabelecida em pedra e ainda precisaria ser desenvolvida ou emendada nos próximos anos.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
BisposCardeaisDireto do VaticanoIgreja
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia