Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 29 Fevereiro |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

O que a graça de Deus tem a ver com o voo dos pássaros?

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Woman Birds Sky

PopTika I Shutterstock

Philip Kosloski - publicado em 31/03/23

A imperdível explicação do Papa Francisco sobre essa interessante analogia

Pode ser tentador pensar que não precisamos fazer nada para receber a graça de Deus. Porém, embora Ele nos ofereça o dom de Sua graça, precisamos estar abertos a recebê-la.

O Papa Francisco reflete sobre esse conceito ao examinar os escritos de São Francisco de Sales em sua carta apostólica Totum amoris est.

Ele aponta a comparação que o santo fez entre a graça e o voo dos pássaros. Francisco havia falado dessa relação recorrendo a um curioso exemplo extraído da ornitologia:

“Há certas aves, Teótimo, que Aristóteles chama “ápodes” porque têm pernas tão curtas e pés tão débeis que não podem servir-se deles – é como se os não tivessem –; e, se por acaso poisam em terra, ficam ali, sem poder retomar o voo sozinhas, porque, não possuindo o uso das pernas nem dos pés, não conseguem ganhar impulso e lançar-se ao ar; então permanecem aninhadas por terra e morrem ali, a não ser que o vento, suprindo a sua incapacidade com lufadas sobre a terra, as tome e levante, como faz com muitas outras coisas. Neste caso, se elas se servirem das asas e valerem do ímpeto e do primeiro impulso que lhes dá o vento, o próprio vento continua a vir em sua ajuda, impelindo-as cada vez mais para o alto ajudando-as a retomar de novo o voo. Assim é o homem: feito por Deus para voar e desenvolver todas as suas potencialidades na vocação ao amor, arrisca-se a ficar incapaz de levantar voo quando cai por terra e não permite reabrir as asas à brisa do Espírito.”

São Francisco de Sales explica:

“A graça tem força, não para forçar, mas para atrair o coração; possui uma santa violência, não para violar, mas para tornar amorosa a nossa liberdade; age com força, mas tão suavemente que a nossa vontade não fica esmagada sob uma ação poderosa desse gênero; impele-nos, mas não sufoca a nossa liberdade, pelo que, em presença da sua força, é possível – como quisermos – consentir ou resistir às suas moções.”

Enfim, Deus quer nos dar sua graça, mas podemos escolher livremente aceitá-la ou rejeitá-la.

Deus não viola nosso livre arbítrio, forçando a graça sobre nós. Em vez disso, ele nos oferece como um presente gratuito, um presente que precisamos aceitar antes de experimentar seus efeitos salvadores.

Se quisermos voar no vento da graça de Deus, precisamos abrir as asas do nosso coração, deixando que ele nos levante com o seu amor!

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
Deus
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia