Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 22 Abril |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

O que São José pediu à Santa Faustina?

Saint Joseph

Pascal Deloche / GODONG | Ref:347

Anna Gębalska-Berekets - publicado em 24/04/23

Santa Faustina registrou suas visões de São José em seu Diário, detalhando os pedidos que ele lhe fez

Jesus apareceu repetidamente à Santa Faustina. Pediu-lhe que fosse testemunha da Sua Misericórdia e que transmitisse essa mensagem a todo o mundo. A Bem-Aventurada Virgem Maria também ocupou um lugar especial na espiritualidade da mística polonesa, pois ensinou Faustina a contemplar o Salvador em sua alma e a obedecer à Sua vontade.

Santa Faustina ainda relatou as importantes visões que ela teve de São José.

O silêncio de São José

As passagens do Evangelho que incluem São José não transmitem uma única palavra dita por ele. O Papa Francisco chama o guardião da Sagrada Família de homem de “anúncio silencioso”. E, embora nenhum dos evangelistas tenha registrado uma única palavra de São José, isso não significa que ele não tivesse nada a dizer.

São João Paulo II escreveu em sua exortação Redemptoris Custos que o aparente silêncio de São José revela sua vida interior de maneira única. 

Da mesma forma, o Papa Bento XVI acrescentou que a atitude cheia de fé de São José preenchia todas as suas ações.

As visões de São José da Irmã Faustina

Irmã Faustina convenceu-se disso. A freira viu pela primeira vez o pai terreno de Jesus em 2 de fevereiro de 1936, dia em que a Igreja celebra a Festa da Apresentação do Senhor no Templo. A apóstola da Divina Misericórdia escreve sobre isso em seu Diário (608):

“(…) quando começou a Santa Missa, reinou na minha alma um estranho silêncio e alegria. Então, vi a Mãe Santíssima com o Menino Jesus e São José, que estava parado atrás dela. A Mãe Santíssima disse-me: Eis aqui o teu maior tesouro. — E entregou-me o Menino Jesus. Quando O recebi nos meus braços, desapareceram a Mãe Santíssima e São José, e fiquei sozinha com o Menino Jesus.”

O segundo momento em que a mística viu São José ocorreu no Natal de 1936. Ela assim descreve sua experiência (Diário, 846):

“Durante a Santa Missa da Meia noite, a presença de Deus me envolveu totalmente. Um pouco antes da Elevação vi Nossa Senhora, o Menino Jesus e São José.”

São José me disse…

O Papa Francisco conclui sua carta apostólica Patris corde com uma oração ao Esposo da Bem-Aventurada Virgem Maria, e em outra parte da carta oferece uma observação sobre uma oração tirada de um livro de orações francês do século XIX. Esta oração enfatiza a bondade de São José.

O guardião da Sagrada Família mencionou isso à freira polonesa. Essa oração era recitada por membros da Congregação das Irmãs de Jesus e Maria:

“Glorioso Patriarca São José, cujo poder consegue tornar possíveis as coisas impossíveis, vinde em minha ajuda nestes momentos de angústia e dificuldade. Tomai sob a vossa proteção as situações tão graves e difíceis que Vos confio, para que obtenham uma solução feliz. Meu amado Pai, toda a minha confiança está colocada em Vós. Que não se diga que eu Vos invoquei em vão, e dado que tudo podeis junto de Jesus e Maria, mostrai-me que a vossa bondade é tão grande como o vosso poder. Amen”.

A terceira instância em que Santa Faustina entrou em contato direto com São José ocorreu em 30 de julho de 1937. Ela descreve assim (Diário , 1203):

“São José pediu que eu tivesse incessante devoção a Ele. Ele mesmo me disse que eu rezasse diariamente três orações [Pai Nosso, Ave-Maria e Glória] e uma vez o ‘Lembrais-vos’. (…) Prometeu-me a sua especial ajuda e proteção. Todos os dias rezo essas orações pedidas e sinto a Sua especial proteção.”

A última visão

A última visão de São José que a mística registra ocorreu em 25 de dezembro de 1937. Em seu Diário (1442) a freira escreve:

“Quando vim para a Missa do Galo, já no começo da santa Missa, mergulhei toda em profundo recolhimento e vi a gruta de Belém repleta de muita luz. A Virgem Santíssima envolvia Jesus em faixas, inteiramente absorta em grande amor, mas São José ainda dormia. Foi somente quando a Mãe de Deus acomodou Jesus na manjedoura que a claridade de Deus acordou São José que também se pôs a rezar. Porém, em seguida, fiquei a sós com o Menino Jesus que estendia para mim os Seus bracinhos, e compreendi que era para eu tomá-Lo em meus braços. Jesus recostou a Sua cabecinha em meu coração e com o Seu profundo olhar me deu a conhecer que estava sentindo-se bem junto ao meu coração.”

Referências: laikosblog.org; opiekun.kalisz.pl; faustyna.pl; misericors.org; misyjne.pl

Tags:
DevoçãoDivina MisericórdiaSantosSão José
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia