Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 19 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Dom Rolando Álvarez: um ano atrás das grades

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Bispo dom Rolando Alvarez

STRINGER/AFP/East News

Daniel R. Esparza - publicado em 23/08/23

O bispo nicaraguense sempre criticou abertamente o regime ditatorial de Daniel Ortega

Mais de 150 líderes políticos, sociais ou religiosos da Nicarágua estão atualmente presos por ordem direta do ditador Daniel Ortega. Um deles é o bispo dom Rolando Álvarez.

O último dia 19 de agosto marcou o primeiro aniversário da sua prisão irregular, em 2022, quando a polícia de Ortega invadiu a Cúria de Matagalpa e o levou para a cadeia junto com outros padres, seminaristas e um leigo. Depois de meses de detenção inconstitucional, incluindo períodos de total falta de informações sobre o seu paradeiro e suas condições de saúde, ele foi condenado sumariamente a mais de 26 anos de prisão.

Em comunicado divulgado no dia seguinte ao ataque à Cúria, o serviço de polícia do regime sandinista afirmou que dom Rolando Álvarez era culpado de “incitar à violência”. Ele ainda foi acusado de usar os meios de comunicação e as redes sociais para “desestabilizar o país” mediante “notícias falsas”, incorrendo em “traição à pátria”. Mesmo antes de ser preso, o bispo já estava fazia ao menos duas semanas em prisão domiciliar, dado que as autoridades haviam impedido dom Álvarez, seis outros sacerdotes e seis fiéis católicos leigos de saírem da casa da cúria.

As medidas repressivas foram tomadas depois que dom Rolando criticou a decisão da ditadura, na semana anterior, de fechar de cinco estações de rádio católicas.

Em sua audiência inicial, dom Rolando Álvarez foi acusado de “conspiração para atentar contra a integridade nacional”, “difusão de notícias falsas em detrimento do Estado e da sociedade nicaraguense” e até mesmo de “crimes contra a espiritualidade”, o que quer que isto signifique. Essa audiência esteve a cargo da juíza Gloria María Saavedra Corrales, que já havia condenado a 90 dias de prisão os sacerdotes e leigos que acompanhavam dom Rolando quando ele foi detido.

Depois de se recusar a ser mandado para o exílio nos EUA com outros 222 presos políticos em fevereiro de 2023, o bispo recebeu a sentença a 26 anos de prisão na Nicarágua. Nesse episódio, segundo relatos da mídia local, “dom Álvarez parou na escada que levava até o avião e disse: ‘Deixem os outros em liberdade. Eu suportarei o castigo deles'”.

Dom Rolando Álvarez sempre criticou abertamente o regime de Daniel Ortega. Em maio de 2018, fez parte de um grupo da Conferência Episcopal que tentou mediar entre Ortega e a oposição. O diálogo rapidamente foi interrompido, levando a fortes protestos que foram reprimidos com violência. As tensões só aumentaram desde então.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos

Tags:
BisposditaduraIdeologiaPerseguiçãoPolítica
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia