Aleteia
Quarta-feira 21 Outubro |
São Bertoldo de Parma

Não, a velhice não é um naufrágio!  

SENIOR - COUPLE - WOMAN - MAN

© De Ruslan Huzau - shutterstock

Edifa - publicado em 10/10/19

Hoje em dia não são só as mulheres que querem parecer mais jovens. Os homens também estão tentando manter a ilusão da juventude ao custo de plásticas e cremes rejuvenescedores. E se, ao invés de vermos a velhice como um fardo, pudéssemos vê-la como uma época de fecundidade sem igual? 

A velhice é a idade dos despojamentos: a pessoa vai se retirando gradualmente da vida chamada “ativa”, deixando para os mais jovens algumas responsabilidades que costumava gostar de assumir. Aos poucos é preciso admitir que somos limitados e que os anos fizeram com que nossos limites se tornassem mais visíveis. Por fim, perdemos um pouco nossa independência.

Começamos a ver ao nosso redor as pessoas que vão partindo – o cônjuge, amigos, irmãos e irmãs. Muitas vezes nos sentimos excluídos, rejeitados de um mundo onde a lucratividade prevalece, temos medo da morte, que se torna uma realidade muito próxima.

É também o tempo das lembranças – às vezes expressas como amargos arrependimentos, outras vezes em ação de graças. Algumas pessoas vivem a triste experiência de achar que perderam as suas vidas; outros carregam feridas dolorosas, geralmente o peso de perdões que não puderam ser trocados, erros que pensam ser irreparáveis. Mas muitos também podem ver, mesmo através das provações, tudo o que foi bom e belo em suas vidas, tudo o que lhes foi oferecido como um presente de Deus.

Se tomamos apenas o olhar humano, envelhecer não faz muito sentido, e todos os limites que nascem com a velhice parecem um mal a suprimir ou sofrer. Mas o Evangelho nos convida a converter nosso olhar. A palavra de Jesus: “Bem-aventurados os pobres”, também se aplica a todos aqueles que já não gozam de de sua força física, memória ou independência. Foi o que fez Santa Teresa do Menino Jesus, esmagada pela doença, dizer: “Sentimos uma paz tão grande de ser absolutamente pobres, de contar apenas com o bom Deus!”

A velhice é a hora da promessa

A esperança, que nos faz desejar como nossa felicidade o Reino dos Céus e a vida eterna, depende somente de Deus. Quanto mais sentimos nossa força nos deixar, mais somos levados – se quisermos – a depositar toda a nossa confiança em Deus, especialmente com a aproximação da morte. “Não é à toa que nos retraímos ao pensar na morte, porque é nesse momento que percebemos a condição humana marcada pelo pecado, algo de obscuro que geralmente nos entristece e nos assusta”, afirmou São João Paulo II. Mas “em Cristo, essa realidade dramática e avassaladora da morte é redimida e transformada, e ela começa a parecer uma “irmã que nos leva aos braços do Pai”, acrescentou.

Vemos se aproximar o momento de plena maturidade, aquele pelo qual todos fomos feitos e que alcançaremos após a morte. “Esses anos devem ser vividos com o coração cheio de fé, e abandonado nas mãos de Deus Pai e de sua imensa providência e misericórdia. É um período que pode e deve ser empregado de maneira criativa, para o aprofundamento da sua vida espiritual, orando com mais intensidade e dedicando-se a seus irmãos na caridade”, disse São João Paulo II.

Essa doação pode parecer pobre ou escondida – começando por exemplo com a oferta de seus limites – mas a fecundidade de uma vida não é medida pelas aparências. Para dar frutos, a única condição é aderir de todo o coração a Cristo, como o ramo está ligado à videira. Independentemente de nossa idade e de nossas fraquezas: apenas nosso “sim” ao amor de Deus conta, aqui e agora.

Christine Ponsard

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
IdososRelacionamentoSaúde
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Pe. Gilmar
Reportagem local
Padre é encontrado após três dias desaparecid...
CHILE
Reportagem local
Duas igrejas são incendiadas durante protesto...
Ver mais