Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O meu adolescente fuma canábis: o que devo fazer?

GIRL, PROFILE, OUTOOR
Shutterstock
Compartilhar

A normalização do consumo de canábis é deplorável. Há poucos adolescentes que não tentaram uma vez. Uma situação que obriga os pais a se preocuparem com a exposição de seus adolescentes a essa droga, a reagir rapidamente, mas com inteligência

O comportamento do seu filho mudou. Ele não tem iniciativa, nem vontade. Ele está pedrado, e é desmotivado (esporte, estudo). O seu grupo de amigos também mudou. Os seus resultados académicos caíram drasticamente. Às vezes tem olhos vermelhos. Talvez ele fume canábis. Se tiver a certeza, este pequeno manual de sobrevivência irá certamente lhe ajudar a gerir esta situação delicada.

Encontre as palavras certas (sem gritar ao seu adolescente)

A primeira instrução: não cedam ao pânico ou à violência. Tente entender as razões da sua atração. Ele fuma para não ser rejeitado por um grupo de amigos? Porque ele acha que a canábis vai ajudar a acalmar o nervosismo? Para reforçar a sua autoconfiança? Para evitar dificuldades de relacionamento com familiares ou amigos? Ele está a tentar transgredir uma proibição ou descobrir novas sensações?  Faça um balanço do seu consumo: excepcional, “festivo” ou ” pedrado”. A resposta deve ser a mais exacta possível.

Tome a iniciativa da discussão! Expresse o que sente, as suas preocupações. Se ele lhe assegure que um charro de vez em quando é desinibidor, diga a ele ou ela que a melhor maneira de ser legal é estar autêntico consigo mesmo. Também pode se relaxar praticando atividades esportivas. Se ele acha que pode curar um problema ou uma tristeza, tente resolver a “crise” primeiro pela escuta. Deixe claro que você recusa produtos perigosos e ilegais em casa. O aviso da lei é particularmente estruturante!

Fazer respeitar os ritmos de vida. Nunca dê dinheiro ao seu filho para comprar drogas, nem mesmo para acalmar um estado de dependência. Mas compensar por uma qualidade de presença, compras de roupa (uma forma de estar atento ao seu corpo), a preparação de refeições, associando isso à vida familiar e amistosa.

Ajude seu filho adolescente a entender o que o faz feliz

Em todo caso, você deve ajudar seu filho a se conhecer a si mesmo, a decifrar o que lhe agrada, o que o acalma e o faz crescer. Ele deve ser capaz de colocar palavras nas suas emoções e pensamentos. Peça ao seu filho que viva suas paixões e se entregue aos outros: não há necessidade de prazeres artificiais quando tiver encontrado sentido para sua vida. Se ele estiver realmente incômodo, se o uso de drogas esconde um problema depressivo, um mal-estar ou fragilidade grave, marque uma consulta com um médico, de preferência um psiquiatra comportamental.

Mas a coisa mais importante e eficaz é fazer e experimentar coisas regularmente com o seu adolescente. Se for rapaz, cabe ao pai cumprir, muitas atividades podem ser realizadas: saídas a restaurantes, jogos de futebol, atividades de ócio ou esportivas, tudo o que estiver relacionado a carros, etc. Se é uma rapariga, cabe a mãe agir, apesar de o pai também ter o seu papel a desempenhar, mas de uma forma diferente.

Finalmente, ajude o seu filho a construir a sua vida interior e espiritual, através de uma comunidade religiosa ou de um encontro com um padre. Descobrindo a dimensão profunda da existência, descobrirá também como superar as suas tensões internas.

Diane Gautret-Willard

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.