Aleteia

10 chaves para a boa convivência familiar

FAMILY
Shutterstock | Liderina
Compartilhar

Ser benevolente é um fruto do Espírito. Mas como podemos manter e cultivar em nossa família esse olhar de amor verdadeiramente cristão? Aqui estão algumas maneiras de reforçar habilidades interpessoais entre os membros da família

Semear uma cultura de amor e bem-estar em família significa dar a cada um a mesma escuta, a mesma importância, a mesma compreensão que gostaríamos de receber.

E aqui estão 10 chaves para desenvolver a boa convivência familiar.

1
Imitar o olhar de Cristo

Tentar olhar para seu cônjuge ou seus filhos como Cristo olha para eles muda suas respostas e atitudes.

2
Evitar discussões estressantes

Estando juntos à mesa, é melhor não discutir sobre as notas e os resultados escolares das crianças. Caso contrário, a refeição se torna um momento doloroso para elas, a atmosfera fica pesada e eles sentem como se apenas seu status de aluno fosse importante.

3
Orar para permanecer tranquilo durante as discussões

Se você não concordar com seu parceiro(a), evite interrompê-lo(a). Ouça-o e, se o aborrecimento for muito grande, ore em silêncio por alguns segundos para se acalmar, em vez de compartilhar palavras duras ou um tom muito ácido.

4
Passar um tempo de qualidade com cada um

Doe a cada um, gratuitamente, um pouco do seu tempo. Aos filhos e ao cônjuge. Um tempo que pode ser curto, mas que você estará totalmente disponível. Aquele que recebe a atenção percebe que é importante e que sua vida conta muito aos olhos do outro.

5
Ouvir seus filhos e deixá-los falar

Ao levar as crianças para a cama, peça que elas contem para você dois acontecimentos do seu dia – os mais tristes e os mais alegres – para entender melhor o que mexe com o interior delas. As crianças serão, portanto, ouvidas e assim poderão expressar livremente suas emoções.

6
Fazer dos erros das crianças um trampolim

Aprender a ver os erros das crianças como oportunidades de aprendizado é muito importante. Pergunte a elas onde poderiam melhorar, isso as envolve e as ensina a se avaliar. Muitas vezes nos surpreendemos como elas são justos ao se auto avaliar.

7
Cultivar a gratidão

Organize de tempos em tempos um almoço ou jantar onde cada um possa dizer obrigado a um ou outro membro da família. Podemos também fazer o mesmo exercício para elogiar cada um por suas ações particulares ou suas qualidades próprias.

8
Mostrar exemplos de humildade

Saber reconhecer a sua responsabilidade ou, em caso de ficar irritado, saber pedir desculpas. É justo e ensina as crianças a fazer o mesmo.

9
Fugir das calúnias e da fofoca

Se a conversa se tornar fofoca, mude de assunto.

10
Incentivar e parabenizar seus filhos

Não julgue os seus filhos por seus defeitos, mas por suas qualidades: isso os levará ao bem. No que focamos, crescemos e colhemos.

Florence Brière-Loth

Boletim
Receba Aleteia todo dia