Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 28 Outubro |
São Sálvio

Você ainda não encontrou seu mote? Nós temos um para você!

Scouts unitaires de France (SUF).

Edifa - publicado em 07/08/20

Entre todos os lemas que se pode dar a si mesmo para orientar sua vida, o mais belo pode ser: "A Honra para um Escoteiro é ser digno de toda confiança", o primeiro artigo da lei escoteira. E aqui está o porquê!

Na vida, é muito bom ter algumas fórmulas-chave a que se apegar. Elas permitem que você faça um balanço periódico. É uma boa prática escolher um lema ou estabelecer algumas regras para você mesmo. Você pode então lembrá-las e meditá-las em seu tempo livre, o que é melhor do que “não pensar em nada”, ou pior… O próprio Decálogo, aqueles famosos Dez Mandamentos que Moisés transmitiu ao povo hebreu durante seu êxodo pelo deserto, não é nada mais que uma linha de conduta que permite que o povo regule seu comportamento e o reajuste constantemente. E devemos nos lembrar disso sempre. Se você ainda não escolheu seu lema, por que não pensar neste: “Coloco minha honra em merecer confiança”?

A honra, o reflexo de nossa vida interior

Há algo grandioso a dizer antes de tudo que o primeiro principio é ter uma honra, uma honra como pessoa humana, como filho de Deus, e que esta honra é para nós a coisa mais preciosa porque é a mais pessoal. A honra em questão é um reflexo de nossa vida interior. Aquele que tem um senso de honra tem um senso de sua dignidade humana. Aquele que sabe que não pode fazer nada sem se desonrar, sem se julgar a si mesmo. Aquele que tem um senso de responsabilidade e faz questão de assumi-la. Aquele que não faz em segredo o que não aceitaria fazer em público. Aquele que cumpre sua palavra é uma pessoa honrada. Você pode contar com ele, ele não é uma tábua podre que atraiçoará aquele que se encosta sobre ela e o decepcionará. Ser uma pessoa de honra é um alto ideal pessoal que tem um forte impacto na vida em sociedade.

Este senso de honra nada tem a ver com o senso de sua importância, que é uma caricatura de honra. Este sentimento bastante superficial dá origem a uma atitude que também não tem nada a ver com o senso de honra: a suscetibilidade, que consiste em se arrastar no manto da indignação cada vez que uma reflexão, uma palavra, um gesto são interpretados como sendo dirigidos contra si mesmo! Há uma pretensão de considerar-se importante, e esta atitude não honra aquele que a adota. Como, geralmente, não nos enganamos sobre os outros, tudo o que temos que fazer é transferir o olhar aguçado que tão facilmente temos sobre os outros para nós mesmos, para ter uma idéia justa de nós mesmos.

Como colocar a honra de merecer confiança

Colocar sua honra em merecer a confiança de uma alma nobre. Pois aquele que adota esta atitude não o faz para se exibir. Pelo contrário, é, antes de tudo, uma atitude para consigo mesmo. É no coração de cada um que se decide fazer tudo para merecer a confiança dos outros. Quem decide fazer tudo para não decepcionar aqueles que confiaram nele, mostra a que nível ele vive. Não são as explorações, mas a lealdade a convicções fortes que fazem os grandes. Pode-se, portanto, encontrar na vida diária uma infinidade de exemplos, sem ter que sonhar imediatamente com ações deslumbrantes: trazer de volta um objeto emprestado; cuidar do que lhe foi confiado; manter uma promessa; manter uma palavra dada; ser pontual para compromissos, etc.

Aquele que coloca sua honra em ganhar a confiança dos outros, não vive apenas do que os outros pensam. Isso seria um desvio do lema. Pelo contrário, ele sabe como se manter independente da opinião dos outros, não se preocupar com o que está sendo dito detrás de ele. Ele permanece fiel à regra de conduta que estabeleceu em seu coração. Ele permanece fiel a si mesmo, às suas convicções íntimas, ao seu ideal de vida, à retidão de seu pensamento, à sua consciência. Ele faz questão de permanecer independente da opinião atual e, sobretudo, de não fazer concessões às pressões que sempre o levarão a aceitar uma série de pequenos compromissos, a “fazer como todo mundo”, a “não se deixar enganar”, a “não ser mais burro que os outros”.

Estar convencido de que um homem de honra é suficiente para transformar o mundo

Não é tão fácil permanecer independente e manter-se a par do movimento que leva tudo consigo. Não é tão fácil decidir ser um homem de honra e permanecer como tal quando o mundo é todo sobre esquemas, arranjos questionáveis, subornos. Ganhar a confiança de outros. Esta é uma atitude cavalheiresca que só pode apelar para aqueles que sonham em fazer grandes ações e mudar o mundo. Naturalmente, a melhor maneira de mudar o mundo é mudar o coração. Como fazer de outra forma? Não devemos esperar que outros comecem, não devemos esperar que as estruturas mudem ou que as leis governem tudo. Você tem que começar por si mesmo e começar agora. Você tem que estar convencido de que um homem de honra, mesmo sozinho, é suficiente para mudar a face do mundo.

Esta foi a obra do Senhor Jesus, aquela que Ele nos ensinou e nos ordenou a imitar. Sua honra foi viver o que Ele carregava no fundo de seu coração. Ele colocou sua honra em merecer a confiança. Mas nós não acreditamos Nele e Ele pagou o preço. Ele preferiu morrer a trair a palavra de seu Pai. Seu ideal pode ser resumido nestas poucas palavras: “Eu digo o que faço, eu faço o que digo”. O que Jesus critica dos fariseus, por mais séria que sejam suas vidas religiosas, é ter uma linguagem dupla (Mt 23,3). Ele os acusa de preferir a aparência à verdade. Seus rostos são lindos, mas seus corações estão atribulados. E, finalmente, não se pode confiar neles. Neste sentido, eles não têm nenhuma honra.

Jesus, que é tão bom e compreensivo para os maiores pecadores, é impiedoso para aqueles que não podem ser confiáveis. Basta ler o capítulo 23 do Evangelho segundo São Mateus para ver como Jesus os trata de forma violenta. O farisaísmo, como aquele que castiga Jesus, é precisamente a atitude daquele que não põe sua honra em merecer a confiança. Apesar de sermos grandes pecadores, apesar de sermos fracos e lentos para fazer o bem, apesar de estarmos na maior necessidade da compreensão e misericórdia de nossos irmãos, nunca estamos isentos de ser homens de honra. Renunciar seria renunciar a ser um homem! Significaria aceitar não mais ser testemunha, pois a testemunha, se seu testemunho não puder mais ser confiável, está condenada ao silêncio da vergonha. Deus me livre!

Alain Quilici 

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
FamíliaJuventudeValores
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Pe. Zezinho
Francisco Vêneto
Duas emissoras brasileiras deturpam fatos em ...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Ver mais