Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 18 Setembro |
São José de Cupertino
home iconEstilo de vida
line break icon

A oração silenciosa com os filhos é uma missão impossível?

PRAYING CHILD

Shutterstock

Edifa - publicado em 26/01/21

A oração interior é certamente mais difícil de transmitir hoje. A sociedade está constantemente puxando o nosso olhar para fora e não facilita a internalização

As crianças conseguem rezar silenciosamente? Sim, responde Anne-Marie Le Bourhis, formadora de catequistas e membro do instituto francês Notre-Dame de Vie.

A senhora propõe conduzir as crianças a um momento de oração silenciosa durante a catequese. Por quê?

O objetivo de toda catequese é colocar o catequisando não só em contato, mas também em comunhão, em intimidade com Jesus Cristo: “Só Ele […] pode nos fazer participar da vida da Santíssima Trindade”, disse João Paulo II em Catechesi tradendae. A oração interior, portanto, silenciosa, é uma das formas de oração que nos conecta a Deus. Na década de 1960, educadores infantis perguntaram ao padre Marie-Eugène de l’Enfant-Jésus, fundador do Instituto Notre-Dame de Vie, como rezar com os pequenos. E ele os encorajava: “As crianças são capazes de Deus… conhecê-lo e amá-lo é a experiência fundamental a lhes oferecer”. Assim, uma longa experiência de aprendizagem sobre o diálogo de amor com Deus começou com as crianças. Não sem dificuldades!

Aprender sobre a vida interior não se tornou um verdadeiro desafio nos dias de hoje?

A oração interior é certamente mais difícil de transmitir hoje. A sociedade está constantemente puxando o nosso olhar para fora e não facilita a internalização. Distraídas por muitas demandas e distrações, as crianças costumam crescer agitadas e não muito concentradas. Outro ponto é que a fé das crianças é transmitida através da fé dos adultos. Os pequenos começam naturalmente com uma oração vocal ou gestual (dando um beijo em Jesus, por exemplo), enquanto observam e imitam a oração de seus pais.

Por que as crianças têm dificuldades em viver o silêncio?

Para as crianças, o silêncio costuma ser sinônimo de ausência. Os jovens às vezes vivem coisas difíceis, têm medos, angústias, e não querem ficar sozinhos na frente essas realidades. É bom fazê-los descobrir aos poucos que o silêncio é habitado e revelar-lhes alguém que os ama, que os compreende, que os faz bem e os quer felizes. Às vezes, esquecemos que a oração concerne a pessoa como um todo. Desenvolver uma antropologia cristã que manifeste a beleza da pessoa – que é a imagem de Deus, capaz de relacionar-se e de apresentar ao mundo a grandeza do seu projeto de amor – não é uma das urgências do mundo atual? A questão não é apenas: “Quem sou eu? “, mas “Para quem sou eu?”.

A partir de que idade podemos conduzir a criança em sua vida interior?

É preciso observar a sua maturidade psicológica e espiritual. Aos 5 ou 6 anos de idade já é possível ter algumas experiências de oração silenciosa. Mas geralmente a virada na idade da razão ocorre quando a criança começa a fazer perguntas existenciais. Por exemplo: “Você me disse que foi Deus quem criou tudo. Mas de onde vem Deus?”. Teremos que acompanhá-la e ensiná-la a confiar em Deus, que ela não vê e não ouve, e a introduzi-la no mistério da fé: “Com Deus é normal não poder explicar tudo. Quanto mais longe vamos, mais perguntas teremos, e isso é ótimo! Mas, em algum momento, Deus o chamará para dar um salto de fé, para acreditar nele. Ele se revelará a você e o fará entender quem ele é e o quanto ele o ama”.

Todas as crianças são chamadas a uma vida interior?

As crianças batizadas receberam todo o “equipamento necessário”: fé, esperança e caridade, bem como a capacidade de receber os dons do Espírito Santo. O dom do batismo permite que entremos livremente em uma verdadeira troca com o Senhor. Certamente Deus também é livre para intervir fora dos sacramentos. Seu desejo é doar-se, converter o coração de cada pessoa, para que ela se torne cada vez mais como Cristo Jesus.

Quais são as dificuldades do encontro pessoal com o Senhor?

Este encontro permite experimentar o amor do Senhor no fundo do coração. Primeiro, ele transforma o nosso ser e a nossa vida. Algumas crianças às vezes passam por tragédias. Lembro-me de uma delas me dizendo: “Minha mãe me odeia e me diz isso todas as manhãs”. Quando a criança descobre o amor eterno e gratuito de Deus por ela, nasce uma esperança! Um encontro pessoal com o Senhor também pode ser vivido em qualquer lugar, nas férias, com outras pessoas… Como no caso de uma criança que estava sentada em um parquinho. Eu perguntei a ela: “Você não está brincando, está doente?” Resposta: “Você me atrapalhou, estava em uma ótima conversa com Deus!”. Este encontro é sempre possível, em qualquer lugar, e atravessa o tempo e as experiências humanas.

Como preparar um momento de oração silenciosa?

É importante que o ambiente seja agradável, calmo e sóbrio, decorado com algumas fotos bonitas, mas não muita, caso contrário a criança se concentrará apenas nos detalhes. Na oração, a nossa postura corporal também é importante. Como amigas de Deus, as crianças aprendem como suas ações se tornam sagradas, por isso não há uma posição certa ou errada. A oração interior é um processo pessoal. Não devemos obrigar a criança a rezar, mas ao contrário, refletir que ela deve ter seu espaço para dar sua resposta livre de amor. A criança também deve se colocar disponível para a oração. Ela não poderá rezar se estiver muito inquieta, se não conseguiu expressar o que a estava preocupando antes do momento da oração. Uma vez que ela se sinta confortável, então podemos começar a instruí-la com a Palavra de Deus que a levará a um diálogo vivo com o Senhor. Este contato se estabelecerá através de um ato de fé, de esperança e de caridade, é o que o homem pode fazer. E a parte de Deus, não está sob o controle humano, e supera tudo!

A vida interior não é algo adquirido de uma vez, ela deve ser retomada continuamente, sendo atualizada a cada novo tempo. O relacionamento com Deus evolui e isso leva uma vida inteira. Vale a pena semeá-la no coração da criança. O Papa Francisco disse em 28 de junho de 2019: “Ensine as crianças a rezar. Porque elas chegam imediatamente ao Coração de Jesus. Jesus os deseja por perto. A oração é uma ótima maneira de avançar na vida”.


Papa Francisco faz o Sinal da Cruz

Leia também:
Ensinar o Sinal da Cruz para crianças: “é a primeira oração”, diz o Papa

Entrevista por Bénédicte de Saint-Germain

Tags:
FamíliaFilhosOração

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BEATRIZ
Reportagem local
Mistério do sumiço de uma mulher em Aparecida já dura 9 anos
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Papa Francisco pede homilias mais curtas
Francisco Vêneto
Papa Francisco pede aos padres: façam homilias mais curtas
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa reafirma: casamento sacramental é só entre homem e mulher
6
Berthe and Marcel
Lauriane Vofo Kana
O segredo do casal que tem a união mais longa da França
7
tentativa suicídio depoimento
Reportagem local
EM IMAGENS: A cara da depressão profunda e do suicídio é não ter ...
Ver mais