Aleteia
Festividade do dia

domingo 23 fevereiro
Santa Milburga

Abadessa beneditina († 722, aprox.)

STREET
Compartilhar

Não se sabe a data certa do nascimento de Milburga, mas sabe-se que era filha do rei da Mércia (na atual Inglaterra) Merewald e de Santa Ermenburga. Era a irmã mais velha de Santa Mildred e Santa Mildgita.
Foi educada na França.
Entrou no mosteiro beneditino de Wenlock, em Shropshire (hoje conhecido como Much Wenlock). O mosteiro fora fundado com doações de seu pai e de seu tio, Wulfhere de Mércia, sob a direção de uma abadessa francesa, Liobinde de Chelles. Após a morte desta abadessa Milburga foi eleita para substituí-la.
Após receber a consagração abacial das mãos de São Teodoro, diz-se que o mosteiro de Santa Milburga floresceu como um paraíso sob seu abaciado, devido às suas virtudes e os dons espirituais com os quais fora agraciada. Destacou-se por sua humildade e recebeu o dom de curar e restaurar a visão aos cegos, segundo histórias populares. Através da força de suas exortações, ela também tinha a reputação de levar os pecadores ao arrependimento. Organizou, também, a evangelização e o cuidado pastoral do sul de Shropshire.
Em seus últimos anos de vida Santa Milburga teve uma dolorosa doença, que foi vivida com serenidade. Faleceu no dia 23 de fevereiro de 727 e suas últimas palavras foram: “Bem-aventurados os puros de coração, bem-aventurados os pacificadores”. Ficou conhecida por seu poder sobre os pássaros e após a sua morte era invocada para a proteção das plantações contra seus estragos.
Seu túmulo foi venerado por muito tempo, até que sua abadia foi destruída durante a invasão dos dinamarqueses à Mércia. Após a conquista normanda, os monges de Cluny construíram um mosteiro no local – as ruínas de Much Wenlock são as da casa posterior – e durante as escavações, em 1101, os ossos de Santa Milburga foram descobertos. Suas relíquias, então, passaram a ser destino de peregrinação para os leprosos. Estas peregrinações eram impopulares entre os ingleses locais, mas atraiu com sucesso pessoas da França e do País de Gales.
Na “Vidas dos Santos”, de Butler, há o registro: “embora muitos santos nativos, da maior importância histórica, sejam pouco notados em nossos calendários ingleses, o nome de Milburga aparece em vários deles, começando pelo Saltério Bosworth”, escrito por volta de 950. Seu extenso culto muito se deve ao testemunho de São Bonifácio e de um legado papal medieval que testemunharam curas milagrosas em seu túmulo.

Descubra outros santos clicando aqui

Louvem o nome do Senhor, louvem-no todos,
porque somente o seu nome é excelso!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Ó Criador do universo,
a sombra e a luz alternais,
e, dando tempos ao tempo,
dos seres todos cuidais

Qual pregoeiro do dia,
canta nas noites o galo.
Separa a noite e a noite,
brilhando a luz no intervalo.

Também por ele acordada,
a estrela d'alva, brilhante,
expulsa o erro e a treva
com sua luz radiante.

Seu canto os mares acalma,
ao navegante avigora;
a própria Pedra da Igreja
ouvindo o cântico chora.

Jesus, olhai os que tombam.
O vosso olhar nos redime:
se nos olhais, nos erguemos,
e prantos lavam o crime.

Ó luz divina, brilhai,
tirai do sono o torpor.
O nosso alento primeiro
entoe o vosso louvor.

Ó Cristo, Rei piedoso,
a vós e ao Pai, Sumo Bem,
glória e poder, na unidade
do Espírito Santo. Amém.

Salmo 148
Ao que está sentado no trono e ao Cordeiro, o louvor e a honra a glória e o poder para sempre (Ap 5,13).

Louvai o Senhor Deus nos altos céus,
louvai-o no excelso firmamento!
Louvai-o, anjos seus, todos louvai-o,
louvai-o, legiões celestiais!

Louvai-o, sol e lua, e bendizei-o,
louvai-o, vós estrelas reluzentes!
Louvai-o, céus dos céus, e bendizei-o,
e vós, águas que estais por sobre os céus.

Louvem todos e bendigam o seu nome,
porque mandou e logo tudo foi criado.
Instituiu todas as coisas para sempre,
e deu a tudo uma lei que é imutável.

Louvai o Senhor Deus por toda a terra,
grandes peixes e abismos mais profundos;
fogo e granizo, e vós, neves e neblinas,
furacões que executais as suas ordens.

Montes todos e colinas, bendizei-o,
cedros todos e vós, árvores frutíferas;
feras do mato e vós, mansos animais,
todos os répteis e os pássaros que voam.

Reis da terra, povos todos, bendizei-o,
e vós, príncipes e todos os juízes;
e vós, jovens, e vós, moças e rapazes,
anciãos e criancinhas, bendizei-o!

Louvem o nome do Senhor, louvem-no todos,
porque somente o seu nome é excelso!
A majestade e esplendor de sua glória
ultrapassam em grandeza o céu e a terra.

Ele exaltou seu povo eleito em poderio
ele é o motivo de louvor para os seus santos.
É um hino para os filhos de Israel,
este povo que ele ama e lhe pertence.

Glória ao Pai...

Leitura breve Ez 37,12b-14
Assim fala o Senhor Deus: Ó meu povo, vou abrir as vossas sepulturas e conduzir-vos para a terra de Israel; e quando eu abrir as vossas sepulturas e vos fizer sair delas, sabereis que eu sou o Senhor. Porei em vós o meu espírito para que vivais e vos colocarei em vossa terra. Então sabereis que eu, o Senhor, digo e faço – oráculo do Senhor.

Cristo, Filho do Deus vivo, tende pena e compaixão!
Glorioso estais sentado, à direita de Deus Pai.

BENEDICTUS
O Pai faz seu sol nascer sobre os maus e sobre os bons, e igualmente faz chover sobre os justos e os injustos.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Roguemos a Deus, que enviou o Espírito Santo para ser Luz santíssima no coração de todos os homens, dizendo:

R. Iluminai, Senhor, o vosso povo!

Bendito sejais, Senhor Deus, nossa luz,
– que para vossa glória nos fizestes chegar a este novo dia. R.

Vós, que iluminastes o mundo com a ressurreição do vosso Filho,
– fazei brilhar, pelo ministério da Igreja, esta luz pascal sobre a humanidade inteira. R.

Vós, que, pelo Espírito da verdade, esclarecestes os discípulos de vosso Filho,
– enviai à vossa Igreja este mesmo Espírito, para que ela permaneça sempre fiel à vossa mensagem. R.

Luz dos povos, lembrai-vos daqueles que ainda vivem nas trevas,
– e abri-lhes os olhos do coração para que vos reconheçam como único Deus verdadeiro. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Concedei, ó Deus todo-poderoso, que, procurando conhecer sempre o que é reto, realizemos vossa vontade em nossas palavras e ações. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Seu imitador em imensa mansidão e paciência

“...Suportando-vos uns aos outros com amor; procurando conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz”. Com isso, ele [o apóstolo Paulo] ensina que nem a unidade e nem a paz podem ser preservadas se os irmãos não se ajudarem e não mantiverem o vínculo de paz e de unidade, com a ajuda da paciência [...].
[Deves] perdoar a teu irmão que te ofendeu não apenas setenta vezes sete, mas todas as suas ofensas; que deves amar teus inimigos, que deves rezar pelos adversários e perseguidores. Poderias suportar todos esses preceitos se não fosse pela força da paciência? Isso foi realizado, como o sabemos, por Estevão: sendo assassinado [...] ele não pediu vingança por seus assassinos, mas perdão com estas palavras: “Senhor, não lhes leves em conta este pecado”. Era conveniente que ele fosse o primeiro mártir de Cristo [...] não apenas para se tornar o pregador da paixão do Senhor, mas seu imitador em imensa mansidão e paciência.
O que direi da raiva, da discórdia e das inimizades, que não devem ter lugar no coração do cristão? Se houver paciência no coração, estas paixões não entrarão nele [...] O apóstolo Paulo nos adverte sobre isso: “Não entristeçais o Espírito Santo de Deus [...] eliminai da vossa vida tudo o que é amargura, raiva, rancor e insultos”. Se o cristão escapa dos percalços e agressões da nossa natureza decaída, como de um mar em fúria, se se estabelece no porto de Cristo, em paz e na calma, ele não deve admitir a raiva, nem a discórdia em seu coração. Ele não pode devolver o mal com mal, nem dar lugar ao ódio.

São Cipriano
Os Benefícios da Paciência 15-16; SC 291.
Bispo de Cartago e mártir (†258).

O Senhor é o pastor que me conduz;
não me falta coisa alguma.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Criador generoso da luz,
que criastes a luz para o dia,
com os raios primeiros da luz,
sua origem o mundo inicia.

Vós chamastes de 'dia' o decurso
da manhã luminosa ao poente.
Eis que as trevas já descem à terra:
escutai nossa prece, clemente.

Para que sob o peso dos crimes
nossa mente não fique oprimida,
e, esquecendo as coisas eternas,
não se exclua do prêmio da vida.

Sempre à porta celeste batendo,
alcancemos o prêmio da vida,
evitemos do mal o contágio
e curemos da culpa a ferida.

Escutai-nos, ó Pai piedoso,
com o único Filho também,
que reinais com o Espírito Santo
pelos séculos dos séculos. Amém.

Salmo 22(23) 1-6
O Cordeiro será o seu pastor e os conduzirá às fontes da água da vida (Ap 7,17).

O Senhor é o pastor que me conduz;
não me falta coisa alguma.
Pelos prados e campinas verdejantes
ele me leva a descansar.
Para as águas repousantes me encaminha,
e restaura as minhas forças.

Ele me guia no caminho mais seguro,
pela honra do seu nome.
Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso,
nenhum mal eu temerei;
estais comigo com bastão e com cajado;
eles me dão a segurança!

Preparais à minha frente uma mesa,
bem à vista do inimigo,
e com óleo vós ungis minha cabeça;
o meu cálice transborda.

Felicidade e todo bem há de seguir-me
por toda a minha vida;
e, na casa do Senhor, habitarei
pelos tempos infinitos.

Glória ao Pai...

Leitura breve 1Pd 1,3-5
Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Em sua grande misericórdia, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, ele nos fez nascer de novo, para uma esperança viva, para uma herança incorruptível, que não estraga, que não se mancha nem murcha, e que é reservada para vós nos céus. Graças à fé, e pelo poder de Deus, vós fostes guardados para a salvação que deve manifestar-se nos últimos tempos.

Ó Senhor, vós sois bendito no celeste firmamento.
Vós sois digno de louvor e de glória eternamente.

MAGNIFICAT
Sede perfeitos, como o vosso Pai celeste é perfeito.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Com alegria, invoquemos a Deus Pai que, tendo no princípio criado o mundo, recriou-o pela redenção e não cessa de renová-lo por seu amor e digamos:

R. Renovai, Senhor, as maravilhas do vosso amor!

Nós vos damos graças, Senhor Deus, porque revelais o vosso poder na criação inteira,
- e manifestais a vossa providência nos acontecimentos da história. R.

Por vosso Filho, que no triunfo da cruz anunciou a paz ao mundo,
- livrai-nos do desespero e do vão temor. R.

A todos os que amam a justiça e por ela trabalham,
- ajudai-os a colaborar com sinceridade na construção de uma sociedade renovada na
verdadeira concórdia. R.

Socorrei os oprimidos, libertai os prisioneiros, consolai os aflitos, dai pão aos famintos,
fortalecei os fracos,
- para que em todos eles se manifeste a vitória da cruz. R.

(Intenções livres)

Vós, que ressuscitastes gloriosamente vosso Filho depois de morto e sepultado,
- concedei aos que morreram entrar juntamente com ele na vida eterna. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Salve, Regina, mater misericordiae
Vita, dulcedo, et spes nostra, salve.
Ad te clamamus, exsules, filii evae.
Ad te suspiramus, gementes et flentes
in hac lacrimarum valle.

Eia ergo, Advocata nostra,
illos tuos misericordes oculos
ad nos converte.
Et Iesum, benedictum fructum ventris tui,
nobis post hoc exsilium ostende.
O clemens, O pia, O dulcis Virgo Maria.

Ora pro nobis sancta Dei Genetrix.
Ut digni efficiamur promissionibus Christi. Amen.
(Tradução)

Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São Mateus 5,38-48.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Ouvistes que foi dito aos antigos: "Olho por olho e dente por dente".
Eu, porém, digo-vos: Não resistais ao homem mau. Mas se alguém te bater na face direita, oferece-lhe também a esquerda.
Se alguém quiser levar-te ao tribunal, para ficar com a tua túnica, deixa-lhe também o manto.
Se alguém te obrigar a acompanhá-lo durante uma milha, acompanha-o durante duas.
Dá a quem te pedir e não voltes as costas a quem te pede emprestado.
Ouvistes que foi dito: "Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo".
Eu, porém, digo-vos: Amai os vossos inimigos e orai por aqueles que vos perseguem,
para serdes filhos do vosso Pai que está nos Céus; pois Ele faz nascer o Sol sobre bons e maus e chover sobre justos e injustos.
Se amardes aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem a mesma coisa os publicanos?
E se saudardes apenas os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não o fazem também os pagãos?
Portanto, sede perfeitos, como o vosso Pai celeste é perfeito».

Boletim
Receba Aleteia todo dia