Aleteia
Terça-feira 20 Outubro |
São Cornélio
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

Santa Afonsa da Imaculada Conceição

Religiosa Clarissa da Índia († 1946)

TIME

Public Domain

Anna Muttathupadathu nasceu em 19 de agosto de 1910, na aldeia de Kudamaloor, no distrito de Kottayam, Índia. Última dos cinco filhos do casal Joseph Muttathupadathu e Mary Puthukari, Ana nasceu no oitavo mês de gravidez, pois sua mãe teve um grande susto ao acordar e constatar a presença de uma cobra junto à sua cintura. Foi batizada após oito dias, na igreja de Santa Maria em Kudamaloor, de acordo com o rito siro-malabar. Os cristãos siro-malabares consideram-se herdeiros dos primeiros fiéis convertidos, segundo a tradição, pelo apóstolo São Tomé, na região do Malabar. Ana foi criada por uma tia materna, pois sua mãe faleceu quando ela contava com apenas três meses de idade. No entanto, permaneceu muito perto de seu pai, que tentou de todas as formas superar a depressão da perda da esposa, precedida pela de seu segundo filho.

Ensinada por seu pai, Anna aprendeu a rezar de pé, na areia, de braços abertos. A avó, por outro lado, transmitiu a ela a devoção a São José, que se materializava em participar na missa de todas as quartas-feiras, dia tradicionalmente associado ao santo pai de Jesus. Neste dia a mulher abria a casa para alguns pobres. Sua avó também a ensinou várias orações e rezava o Rosário todas as noites com ela. Além disso, frequentemente, lia para Anna alguns trechos do livro “História de uma alma” de Santa Teresa do Menino Jesus. Já com cinco anos de idade, Anna conduzia a oração da noite da família, reunida na “sala de oração” de acordo com o costume siro-malabar.

Em 1917, dia 11 de novembro, recebeu sua primeira comunhão: “Você sabe por que estou feliz hoje? Porque tenho Jesus no meu coração!”, disse ela entusiasticamente aos seus colegas.

Em 21 de janeiro de 1925, em Muttuchira, recebeu o sacramento da confirmação.

Ana sentiu-se atraída pela espiritualidade carmelita, mas graças a seu confessor, Padre James Muricken, conheceu a congregação das Clarissas Franciscanas, fundada na Índia no final do século XIX, para servir aos pobres do país. No dia 1 de agosto de 1926 começou, então, o postulantado mudando seu nome para Irmã Afonsa da Imaculada Conceição, em homenagem a Santo Afonso Maria de Ligório, lembrado naquela data.

“Fiz minha profissão perpétua em 12 de agosto de 1936 e vim para cá em Bharanganam no dia seguinte. A partir desse momento parece que me foi confiada uma parte da cruz de Cristo. Há muitas oportunidades para sofrer …” . Irmã Afonsa escreveu isso porque ficou muito doente: primeiro uma febre tifoide e depois uma dupla pneumonia. Na noite de 18 de outubro de 1940, um ladrão entrou na casa das freiras: o pavor da jovem paciente agravou tanto sua condição que, por cerca de um ano, ela não conseguiu ler, nem escrever. No entanto, comprometera-se a não deixar que soubessem de seu sofrimento. Algumas irmãs chegaram até mesmo a sentir inveja dos tratamentos dados a ela, mas Afonsa retribuía tratando-as com extrema caridade.

Em 1945, seu estado de saúde subitamente se deteriorou: foi diagnosticado um câncer, então disseminado por todo o corpo. Além disso, vomitava até quarenta vezes por dia devido a gastroenterites e problemas hepáticos. No entanto, documentava em seus escritos: “Sinto que o Senhor me destinou a ser uma oblação viva, um sacrifício de sofrimento …”. Sua serenidade era constante, mesmo experimentando terríveis sofrimentos à noite.

Finalmente, depois de uma longa agonia, faleceu pacificamente às 00:30h na noite de 28 de julho de 1946, no convento de Bharanganam. Não havia ainda completado 36 anos.

Os peregrinos que iam todos os anos e ainda vão ao seu túmulo para rezar e implorar graças, eram não apenas católicos, mas também muçulmanos e hindus, foram atraídos pela pureza de sua jovem vida e pelo poder taumatúrgico que recebiam dela.

O bispo de Palai, em 1955, iniciou o processo diocesano regular de sua beatificação. Em 9 de novembro de 1984, foi declarada venerável e, finalmente, em 8 de fevereiro de 1986, o papa São João Paulo II a beatificou em Kottayam, na Índia, juntamente com o padre Ciriaco Elia Chavara. Após a aprovação de um novo milagre por sua intercessão, o Papa Bento XVI a canonizou no dia 12 de outubro de 2008, na Praça de São Pedro.

Descubra outros santos clicando aqui
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Ellen Mady
Para Jesus não existe novena melhor do que es...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
ícone São Lucas Nossa Senhora Jesus médico
Reportagem local
Oração a São Lucas, evangelista e médico, pel...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
JENNIFER CHRISTIE
Jennifer Christie
Fui estuprada numa viagem a trabalho - e meu ...
Ver mais