Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Festividade do dia

quarta-feira 22 maio
São Domingos Ngon

Mártir leigo (†1862)

HANDS
De Visu / Shutterstock
Compartilhar

Filho de Domenico e Maria Thao, Domingos Ngon nasceu por volta de 1840, numa família católica pertencente a uma das mais antigas paróquias do Vicariato Apostólico de Tonquin do Norte, Vietnã. Quando cresceu tornou-se fazendeiro e se casou.
Numa das perseguições aos cristãos foi preso, pela primeira vez, e forçado a se retratar, mas, dividido entre seu amor pela família e a impossibilidade de negar sua fé, subornou funcionários do governo para recuperar sua liberdade.
Enquanto isso, o rei Tu Duc intensificou sua perseguição contra os cristãos: seu decreto de 8 de maio de 1861 causou o confisco e a destruição quase total não apenas de propriedades eclesiásticas, mas também de casas e propriedades de cidadãos cristãos comuns.
Domingos também pagou o preço: preso no dia 9 de agosto, foi levado à prefeitura de Xuan Truong, na província de Nam Dinh. Preocupado com seus pais e sua esposa, ele conseguiu escapar e alcançá-los para confortá-los e exortá-los a permanecerem firmes na fé, então ele retornou à sua cela. Foi submetido ao instrumento de tortura chamado “cangue” (uma espécie de pelourinho), com o qual ele foi levado para a prisão de An Xa, no distrito de Dong Quan.
Não se importando com o que sofreu, Domingos decidiu jejuar três dias por semana, para reparar suas falhas anteriores. Além disso, ele instigou seus companheiros de cela a suportar a tortura com coragem para não ofender a Deus: “É preciso que sejamos fortes – disse ele – mesmo sob tortura brutal. Devemos ter medo do pensamento de pisotear a cruz”.
Quando o juiz, do tribunal que iria julgá-lo, tentou forçá-lo a pisar na cruz, o jovem respondeu: “Eu acredito no Deus do céu e da terra. A cruz é o meio que Deus usou para redimir o homem. Eu só posso respeitar, não atropelar. Se me deixar viver, agradeço-lhe, senão estou disposto a morrer pela fé em meu Deus”. Durante outra tortura, ao ser forçado a colocar um pé sobre um objeto sagrado, ele imediatamente se prostrou em adoração. A demonstração de coragem lhe rendeu uma sentença de morte imediata.
Em 22 de maio de 1862, oito meses e meio depois de sua segunda prisão, Domingos, na presença de sua mãe e sua esposa, dirigiu-se corajosamente ao local de sua execução, demonstrando que a fé pode superar a mais cruel tirania.
O martírio de Domingos Ngon e vinte e quatro outros sacerdotes e leigos do Vicariato Apostólico da Central Tonquin foi reconhecido oficialmente em 11 de fevereiro de 1951. Foi declarado beato em 29 de abril deste mesmo ano.
Foi posteriormente incluído num grupo mais amplo, compreendendo todos os mártires do Vietnã, canonizado em 19 de junho de 1988.

Descubra outros santos clicando aqui

Povos todos do universo, batei palmas,
gritai a Deus aclamações de alegria!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
A fiel Jerusalém
canta um hino triunfal,
celebrando, jubilosa,
Jesus Cristo, a Luz pascal.

A serpente é esmagada
pelo Cristo, leão forte,
que ressurge e chama à vida
os cativos pela morte.

Ele vence, refulgindo
de grandeza e majestade.
Ele faz de céus e terra
uma pátria de unidade.

Nosso canto suplicante
pede ao Rei ressuscitado
que receba no seu Reino
o seu povo consagrado.

Ó Jesus, do vosso povo
sede o júbilo pascal.
Dai aos novos pela graça
a vitória triunfal.

Glória a vós, Jesus invicto,
sobre a morte triunfante.
Com o Pai e o Santo Espírito
sois luz nova e radiante.

Salmo 46(47)
Está sentado à direita de Deus Pai, e o seu Reino não terá fim.

Povos todos do universo, batei palmas,
gritai a Deus aclamações de alegria!
Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo,
o soberano que domina toda a terra.

Os povos sujeitou ao nosso jugo
e colocou muitas nações aos nossos pés.
Foi ele que escolheu a nossa herança,
a glória de Jacó, seu bem-amado.

Por entre aclamações Deus se elevou,
o Senhor subiu ao toque da trombeta.
Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa,
salmodiai ao som da harpa ao nosso Rei!

Porque Deus é o grande Rei de toda a terra,
ao som da harpa acompanhai os seus louvores!
Deus reina sobre todas as nações,
está sentado no seu trono glorioso.

Os chefes das nações se reuniram
com o povo do Deus santo de Abraão,
pois só Deus é realmente o Altíssimo,
e os poderosos desta terra lhe pertencem!
Glória ao Pai...

Leitura breve Rm 6,8-11
Se morremos com Cristo, cremos que também viveremos com ele. Sabemos que Cristo ressuscitado dos mortos não morre mais; a morte já não tem poder sobre ele. Pois aquele que morreu, morreu para o pecado uma vez por todas; mas aquele que vive, é para Deus que vive. Assim, vós também vos considerai mortos para o pecado e vivos para Deus, em Jesus Cristo.

O Senhor ressurgiu do sepulcro. Aleluia. Aleluia
Foi suspenso por nós numa cruz. Aleluia, aleluia.

BENEDICTUS
Sou a videira, aleluia, e vós sois os ramos. Aleluia.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Oremos a Jesus Cristo, que se entregou à morte por nossos pecados e ressuscitou para nossa justificação; e aclamemos:

R. Salvai-nos, Senhor, pela vossa vitória!

Cristo Salvador, que ressuscitando de entre os mortos nos restituístes a esperança da vida imortal,
– santificai neste dia os nossos corações com a graça do Espírito Santo. R.

Vós, que sois glorificado nos céus pelos anjos e adorado na terra pelos seres humanos,
– recebei a adoração que vos prestamos em espírito e em verdade neste tempo santo da ressurreição. R.

Cristo Jesus, salvai-nos e derramai a vossa misericórdia sobre o povo que vive na esperança da ressurreição,
– e conservai-nos, hoje e sempre, livres de todo o mal. R.

Cristo, rei da glória e nossa vida, quando vierdes no último dia,
– fazei que também nós apareçamos convosco na vossa glória. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Ó Deus, que amais e restituís a inocência, orientai para vós os nossos corações, para que jamais se afastem da luz da verdade os que tirastes das trevas da desgraça. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Eu sou a videira, vós os ramos

A concepção da Igreja que é mais acessível ao espírito humano é a de uma comunidade de fiéis. Qualquer um que acreditar em Jesus Cristo, no seu Evangelho e aguardar o cumprimento de suas promessas, quem estiver unido a ele por um sentimento de amor e obedecer a seus mandamentos deve estar unido a todos os que compartilham o mesmo espírito, por uma comunhão espiritual profunda e um verdadeiro afeto. Aqueles que seguiram o Senhor durante sua permanência na terra foram os primeiros brotos da comunidade cristã. Foram eles que espalharam e transmitiram as riquezas da fé que lhes deu coesão, como herança aos tempos que se seguiriam até os dias de hoje.
Mesmo uma comunidade humana natural pode se tornar muito mais do que uma simples associação de indivíduos diferentes, já que pode haver uma união estreita que consiga criar uma unidade orgânica. Isto, no entanto, é ainda mais forte e mais verdadeiro em se tratando da comunidade sobrenatural da Igreja. Este ato de união com Cristo envolve uma aproximação, membro por membro, entre todos os cristãos. É assim, que a Igreja assume a figura do corpo místico de Cristo. Este corpo é um corpo vivo e o espírito que o anima é o Espírito de Cristo que, partindo da cabeça, flui para todos os membros.

Santa Teresa Benedita da Cruz ( Edith Stein)
Carmelita descalça e mártir(†1942).

Tudo por ele foi criado,
o que há nos céus e o que existe sobre a terra.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Eterno Rei e Senhor,
Filho do Pai muito amado,
à vossa imagem plasmastes
Adão, do barro formado.

Caiu o homem no mal,
pelo inimigo enganado.
Mas assumistes seu corpo
num seio virgem formado.

Unido a nós como homem,
vós nos unistes a Deus.
Pelo Batismo, nos destes
herdar o Reino dos céus.

Para salvar todo homem,
morrer na cruz aceitastes.
Preço do nosso resgate,
o vosso sangue doastes.

Mas ressurgis, recebendo
do Pai a glória devida.
Por vós, também ressurgidos,
teremos parte na vida.

Sede, Jesus, para nós,
gozo pascal, honra e glória.
Os que nasceram da graça,
uni à vossa vitória.

Glória a Jesus triunfante
que a própria morte venceu.
A ele, ao Pai e ao Espírito
louvor eterno no céu.

Cântico Cl 1,12-20
Cristo, o Primogênito de toda a criatura e o Primogênito dentre os mortos

Demos graças a Deus Pai onipotente,
que nos chama a partilhar, na sua luz,
da herança a seus santos reservada!

Do império das trevas arrancou-nos
e transportou-nos para o reino de seu Filho,
para o reino de seu Filho bem-amado,
no qual nós encontramos redenção,
dos pecados remissão pelo seu sangue.

Do Deus, o Invisível, é a imagem,
o Primogênito de toda criatura;
porque nele é que tudo foi criado,
o que há nos céus e o que existe sobre a terra,
o visível e o invisível.

Sejam Tronos e Poderes que há nos céus,
sejam eles Principados, Potestades:
por ele e para ele foram feitos.
Antes de toda criatura ele existe,
e é por ele que subsiste o universo.

Ele é a Cabeça da Igreja, que é seu Corpo,
é o princípio, o Primogênito entre os mortos,
a fim de ter em tudo a primazia.
Pois foi do agrado de Deus Pai que a plenitude
habitasse no seu Cristo inteiramente.

Aprouve-lhe também, por meio dele,
reconciliar consigo mesmo as criaturas,
pacificando pelo sangue de sua cruz
tudo aquilo que por ele foi criado,
o que há nos céus e o que existe sobre a terra.

Glória ao Pai...

Leitura breve Hb 7,24-27
Cristo, uma vez que permanece para a eternidade, possui um sacerdócio que não muda. Por isso ele é capaz de salvar para sempre aqueles que, por seu intermédio, se aproximam de Deus. Ele está sempre vivo para interceder por eles. Tal é precisamente o sumo-sacerdote que nos convinha: santo, inocente, sem mancha, separado dos pecadores e elevado acima dos céus. Ele não precisa, como os sumos-sacerdotes oferecer sacrifícios em cada dia, primeiro por seus próprios pecados e depois pelos do povo. Ele já o fez uma vez por todas, oferecendo-se a si mesmo.

Os discípulos ficaram muito alegres. Aleluia, aleluia.
Quando viram o Senhor ressuscitado. Aleluia, aleluia.

MAGNIFICAT
Se em mim permanecerdes e em vós, minha palavra, o que pedirdes a meu Pai certamente vos dará. Aleluia.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Oremos a Cristo nosso Senhor, que ressuscitou de entre os mortos e está sentado à direita do Pai; e digamos confiantes:

R. Cristo, rei da glória, ouvi a nossa oração!

Lembrai-vos, Senhor, de todos os que se consagram ao vosso serviço,
– para que deem ao vosso povo o exemplo da verdadeira santidade. R.

Concedei aos governantes e legisladores o espírito de justiça e de paz,
– para que reine a concórdia em toda a comunidade humana. R.

Orientai os caminhos de toda a humanidade para a esperança da salvação,
– e aumentai os bens da terra para podermos socorrer todos os necessitados. R.

(Intenções livres)

Cristo, nosso Salvador, que nos libertastes da escravidão do pecado e da morte,
– concedei a luz eterna aos nossos irmãos e irmãs falecidos. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Regina coeli, laetare, alleluia.
Quia quem meruisti portare, alleluia.
Resurrexit, sicut dixit, alleluia.
Ora pro nobis Deum, aleluia

(Tradução)
Rainha dos céus, alegra-te, aleluia.
Porque aquele que mereceste levar em teu seio, aleluia.
Ressuscitou, segundo predisse, aleluia.
Roga a Deus por nós, aleluia.

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São João 15,1-8.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Eu sou a verdadeira vide e meu Pai é o agricultor.
Ele corta todo o ramo que está em Mim e não dá fruto e limpa todo aquele que dá fruto, para que dê ainda mais fruto.
Vós já estais limpos, por causa da palavra que vos anunciei.
Permanecei em Mim e Eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim também vós, se não permanecerdes em Mim.
Eu sou a videira, vós sois os ramos. Se alguém permanece em Mim e Eu nele, esse dá muito fruto, porque sem Mim nada podeis fazer.
Se alguém não permanece em Mim, será lançado fora, como o ramo, e secará. Esses ramos, apanham-nos, lançam-nos ao fogo e eles ardem.
Se permanecerdes em Mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes e ser-vos-á concedido.
A glória de meu Pai é que deis muito fruto. Então vos tornareis meus discípulos».

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.