Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 29 Novembro |
Bem-aventurados Dionísio da Natividade e Redento da Cruz
Oração do dia
Festividade do diaHistórias de Santos

Bem-aventurado Gregório Lakota

Bispo e mártir (†1950)

SPRING

Public Domain

Dom Gregório nasceu no dia 31 de janeiro de 1883 na aldeia de Golodivka, na Ucrânia. Frequentou a escola primária na cidade de Komarno e continuou com seus estudos no seminário. Em 1909 foi ordenado presbítero e, em seguida, se torna secretário do bispo local Constantino Tchechovich. De 1910 a 1913 estudou em Viena, doutorando-se em teologia. No ano seguinte, em 1914, ele se torna professor de história eclesiástica e de direito canônico no seminário diocesano. Quatro anos depois é nomeado reitor do seminário. Em 1924 foi nomeado Vigário Geral da Diocese e em 16 de maio foi ordenado Bispo e nomeado Auxiliar da Diocese de Peremyšl’.
Em 1939, o Dom Gregório é enviado pelo bispo ordinário até a cidade de Jaroslav, então ocupada pelo exército alemão: eram os duros anos da II Guerra Mundial. Toda a parte ocidental da diocese, até Cracóvia, na Polônia ficou sob sua direção. Dois anos mais tarde, em 1941, ele retorna para Peremyšl’. Naquela época, para induzir a retirada da população para o Leste, a pressão do exército sobre o povo ucraniano das terras fronteiriças se agravou. Foi assim que as autoridades prenderam o bispo ordinário I. Kocilovskij, o bispo auxiliar Gregório Lakota e o leitor Vasilij Grinik: era o dia 21 de setembro de 1945. Sob pressão, eles são “convencidos” a se mudarem para a URSS. Após dois meses de prisão, os três são entregues nas mãos da polícia secreta, que no dia 16 de janeiro de 1946 os forçam cruzar a fronteira. No dia 24 do mesmo mês, os dois bispos são libertados e podem regressar às suas dioceses. A segunda prisão do Bispo Gregório ocorreu no dia 26 de junho de 1946: após a celebração da Liturgia na igreja da catedral, as tropas polonesas, assistidas por oficiais soviéticos, cercam a catedral e o chefe da administração da cidade propõe a todos os representantes do clero ucraniano que se retirem livremente para a União Soviética. O clero, unânime, se recusa. É dado então um dia para que reflitam; no segundo dia todo o clero é levado para a estação ferroviária e deportado. Tendo chegado ao território soviético, o bispo Gregório foi condenado sem julgamento a ficar 10 anos em um campo de concentração no norte da Rússia (República de Komi). No campo de concentração o bispo se destaca por sua grande humanidade e humildade. Tenta assumir os trabalhos mais difíceis para aliviar o tormento de outros presos. Padre Pedro Leoni, um jesuíta italiano que passa 10 anos nos campos da Sibéria, escreveu em suas memórias: “No campo encontrei anjos autênticos com rosto humano que em suas vidas representaram os querubins na terra, glorificando a Cristo. Entre eles está o bispo confessor da fé Gregório Lakota […]”. Em 1950, a saúde do bispo piorou gravemente. Ele é transportado para um hospital , mas sua situação é crítica: os últimos minutos de vida, segundo uma testemunha são eloquentes: na cama, sempre em oração, concede sua bênção a todos os que o visitam. Dom Gregório morreu no campo de concentração no dia 12 de novembro de 1950 e foi beatificado em 27 de junho de 2001 por ocasião da visita do Papa São João Paulo II à Ucrânia.

Descubra outros santos clicando aqui
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
POPE URBI ET ORBI
Reportagem local
Bênção Urbi et Orbi do Papa Francisco nesta s...
Folheto divulgado por Antônio Carlos da Silva
Reportagem local
Eu nasci mais ou menos em 1988: os 27 anos da...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
FATIMA
Philip Kosloski
Nossa Senhora de Fátima tem um conselho para ...
Medalha Milagrosa verdadeira ou falsa
Reportagem local
Cuidado: saiba distinguir entre a real Medalh...
Ver mais