Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Festividade do dia

sábado 21 setembro
São Lourenço Imbert

Bispo e mártir (†1839)

BABY
Compartilhar

Laurent-Joseph-Marius Imbert nasceu no dia 23 de março de 1796, numa fazenda que se chamava Bricart, em Marignane, no departamento francês de Bouches-du-Rhone.
Completou seus estudos em Aix-en-Provence, no pensionato das irmãs do Retiro Cristão e diz-se que para se sustentar ele confeccionava coroas de Rosário.
Em 8 de outubro de 1818, ingressou no Seminário das Missões Estrangeiras, de Paris, depois de alguns anos no Seminário Maior de Aix-en-Provence.
Em 5 de março de 1819 foi ordenado diácono na diocese de Paris e, em 18 de dezembro do mesmo ano, foi ordenado sacerdote com dispensa de idade, num indulto concedido no dia 18 de novembro de 1819.
Embora fosse ainda aspirante, no dia 10 de janeiro de 1820, foi chamado para participar das eleições internas do Seminário, para atingir o número de cinco eleitores exigidos pela Regra.
Em 20 de março de 1820, partiu para Sichuan, uma província situada na parte ocidental da República Popular da China. Ele passou algum tempo em Singapura, porque o Bispo Esprit-Marie-Joseph Florens, Vigário Apostólico do Sião, queria estabelecer uma missão lá, mas estava inseguro quanto a situação na ilha, assim o padre Imbert foi enviado para ajudá-lo no controle daquela situação.
Padre Imbert desembarcou em Singapura no dia 11 de dezembro de 1821, sendo provavelmente o primeiro padre que celebrou a missa lá e cuidou dos católicos locais. Chegando a Penang, um estado da Malásia, situado na costa noroeste da península Malaia, às margens do estreito de Malaca, na Malásia, foi convidado a substituir um professor do Collège General, seminário interdiocesano e lá permaneceu de abril de 1821 a janeiro de 1822. Quando chegou a Macau em 10 de fevereiro de 1822, a rota direta que o levaria a Sichuan fora fechada: ele passou pela Cochinchina e ficou dois anos em Tonquim, na parte mais setentrional do Vietnã, administrando algumas comunidades cristãs. Somente em março de 1825 pôde alcançar seu destino missionário após atravessar Yunnan, província de altas montanhas a sudoeste da República Popular da China.. Nos doze anos que passou em Sichuan, ele se destacou por seu zelo nas atividades e pela capacidade de suportar doenças. Ele também foi o primeiro superior do seminário de Moupin, uma tribo tibetana.
Depois de saber que a Congregação para a Propagação da Fé havia sugerido às Missões Estrangeiras que cuidassem da Coréia, ele imediatamente se ofereceu para contribuir para a evangelização da área. Quando Monsenhor Barthélemy Bruguière, Vigário Apostólico da Coréia, morreu na fronteira do país, em novembro de 1835, sua oferta foi aceita.
Em 26 de abril de 1836 foi nomeado seu sucessor e bispo titular de Capsa e recebeu a consagração episcopal em 14 de maio de 1837. Em 17 de agosto, do mesmo ano, deixou Sichuan e no final de outubro chegou a Sivang, na Tartária (atual Manchúria). De lá conseguiu atingir Shenyang, a maior cidade do nordeste da China, e, na noite de 18 de dezembro de 1837, cruzou alegremente a fronteira coreana. No dia 30, ficou em Seul para aprender a língua local e em três meses pôde ouvir as confissões dos fiéis. Durante a sua evangelização, aumentou o número de católicos, apesar da perseguição e pôde preparar três candidatos para o sacerdócio.
Trabalhou intensamente juntamente com dois outros padres franceses, Jacques-Honoré Chastan e Pierre-Philibert Maubant, que chegaram ao local antes dele. Foi o primeiro bispo a pisar na Coréia, seis anos depois do estabelecimento do Vicariato Apostólico e cinquenta e dois desde a chegada da Igreja Católica ao local. Quando o padre Maubant iniciou seu trabalho em 1836, os católicos coreanos eram cerca de seis mil, mas em três anos o número cresceu para trinta mil.
Em junho de 1839, muito debilitado, refugiou-se em Suwon, onde o catequista Andrea Chong Hwagyŏng o encontrou um refúgio seguro na casa de seu amigo Andrea Son.
Um dia, o catequista foi procurado por um homem, Kim Yo-sang, que lhe deu uma boa notícia: oficiais do governo decidiram acabar com as perseguições anticristãs e queriam receber o batismo das mãos do Bispo Imbert e precisavam saber onde encontrava-se. Na noite entre 10 e 11 de agosto, à uma da manhã, o catequista foi até a casa de Andrea Son e ingenuamente contou ao bispo o que lhe haviam dito. Imbert entendeu que era uma armadilha, mas não fugiu: para evitar problemas para o seu povo, decidiu se render àqueles que viriam prendê-lo. No dia seguinte, depois de celebrar a missa, dispôs-se a ser capturado.
Entre 1839 e 1866, vários milhares de membros da Igreja Católica foram martirizados em Seul, na Coréia, dos quais cento e três foram canonizados. Três bispos franceses: Laurent Imbert, Siméon-François Berneux e Antoine Daveluy; sete sacerdotes missionários franceses: Pierre Maubant , Jacques Chastan , Só Ranfer de Bretenieres , Louis Beaulieu , Pierre-Henri Dorie , Pierre Aumaître , São Martinho Luc Huin ; André Kim Taegon , primeiro padre coreano e noventa e dois leigos.
Pensando em proteger o povo, Laurent Imbert, Pierre Maubant e Jacques Chastan decidiram se render às autoridades. Todos foram condenados à morte e, em 21 de setembro de 1839, foram decapitados à beira de um rio, em um lugar chamado Sai-Nam-Hte.
Mons. Imbert foi beatificado a 5 de julho de 1925, em Roma, pelo Papa Pio XI.
Sua canonização ocorreu no dia 06 de maio de 1984, em Seul, na visita de São João Paulo II à Coréia.

Descubra outros santos clicando aqui

Muito mais do que o fragor das grandes águas,
poderoso é o Senhor nos altos céus!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Tu, que hoje reinas na glória,
cumprida a tua missão,
lembras um Deus que ainda chama,
que nos convida ao perdão.

Levi, da banca do imposto,
chama-te o Cristo que passa:
reserva-te outras riquezas,
infensas ao fogo e à traça.

Por seu apelo movido,
a tudo dizes adeus;
serás apóstolo agora,
terás por nome Mateus.

Entesourando as palavras
e as ações do teu Senhor,
seu testemunho rediges:
a Boa-nova do amor.

Mas, ao pregar Jesus Cristo
sobretudo entre o teu povo,
em odre antigo colocas
vinho melhor, vinho novo.

Ó evangelista e apóstolo,
agora mártir Mateus,
dá que possamos contigo
reinar na glória de Deus.

Salmo 92(93)
O Senhor, nosso Deus, o Todo-poderoso passou a reinar. Fiquemos alegres e contentes, e demos glória a Deus! (Ap 19,6-7).

Deus é Rei e se vestiu de majestade,
revestiu-se de poder e de esplendor!

Vós firmastes o universo inabalável,
vós firmastes vosso trono desde a origem,
desde sempre, ó Senhor, vós existis!

Levantaram as torrentes, ó Senhor,
levantaram as torrentes sua voz,
levantaram as torrentes seu fragor.

Muito mais do que o fragor das grandes águas,
muito mais do que as ondas do oceano,
poderoso é o Senhor nos altos céus!

Verdadeiros são os vossos testemunhos,
refulge a santidade em vossa casa,
pelos séculos dos séculos, Senhor!

Glória ao Pai...

Leitura breve Ef ,19-22
Já não sois mais estrangeiros nem migrantes, mas concidadãos dos santos. Sois da família de Deus. Vós fostes integrados no edifício que tem como fundamento os apóstolos e os profetas, e o próprio Jesus Cristo como pedra principal. É nele que toda a construção se ajusta e se eleva para formar um templo santo no Senhor. E vós também sois integrados nesta construção, para vos tornardes morada de Deus pelo Espírito.

Fareis deles chefes espirituais por toda a terra.
Lembrarão vosso nome, Senhor, para sempre.

BENEDICTUS
Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado à banca cobrando imposto, e o chamou: Vem comigo! E ele o seguiu.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Irmãos caríssimos, tendo recebido dos apóstolos a herança celeste, agradeçamos a Deus, nosso Pai, todos os seus dons; e aclamemos:

R. O coro dos apóstolos vos louva, Senhor!

Louvor a vós, Senhor, pela mesa do vosso Corpo e Sangue que recebemos por intermédio dos apóstolos;
por ela somos alimentados e vivemos. R.

Louvor a vós, Senhor, pela mesa de vossa Palavra, preparada para nós pelos apóstolos;
por ela recebemos luz e alegria. R.

Louvor a vós, Senhor, por vossa santa Igreja, edificada sobre o fundamento dos apóstolos;
com ela formamos um só Corpo. R.

Louvor a vós, Senhor, pelos sacramentos do Batismo e da Penitência que confiastes aos apóstolos;
por eles somos lavados de todo pecado. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Ó Deus, que na vossa inesgotável misericórdia escolhestes o publicano Mateus para torná-lo Apóstolo, dai-nos, por sua oração e exemplo, a graça de vos seguir e permanecer sempre convosco. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Um dos primeiros testemunhos históricos dos evangelistas

Os apóstolos foram aos confins da terra proclamando a boa nova dos benefícios que Deus nos ofereceu e anunciando aos homens a paz do céu. Eles possuíam, cada um em particular e todos em comum, a boa nova de Deus. Mateus, entre os hebreus, espalhou em sua própria língua uma forma escrita do evangelho, enquanto Pedro e Paulo evangelizaram em Roma e fundaram a Igreja. Após da morte destes, Marcos, discípulo e intérprete de Pedro, também nos transmitiu, por escrito, a pregação de Pedro. Da mesma forma, Lucas, companheiro de Paulo, reuniu em um livro o Evangelho pregado por ele. Finalmente, João, o discípulo do Senhor, o mesmo que recostou o rosto no peito de Jesus, publicou o Evangelho por sua vez durante sua permanência em Éfeso.
Mateus, em seu evangelho, apresenta a genealogia de Cristo como homem: Genealogia de Jesus, Messias, filho de Davi, filho de Abraão ... o nascimento de Jesus foi assim. Este evangelho apresenta Cristo em sua condição humana. Por isso, encontramos nele um Cristo sempre animado por sentimentos de humildade, um homem cheio de ternura. O apóstolo Mateus conhece um só Deus e único que prometeu a Abraão multiplicar sua descendência como as estrelas do firmamento e nos chamou, graças a Jesus Cristo, seu Filho, do culto aos ídolos ao conhecimento do verdadeiro Deus.

Santo Irineu de Lião
Bispo de Lião (†200).

O Senhor é o pastor que me conduz;
não me falta coisa alguma.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Criador generoso da luz,
que criastes a luz para o dia,
com os raios primeiros da luz,
sua origem o mundo inicia.

Vós chamastes de 'dia' o decurso
da manhã luminosa ao poente.
Eis que as trevas já descem à terra:
escutai nossa prece, clemente.

Para que sob o peso dos crimes
nossa mente não fique oprimida,
e, esquecendo as coisas eternas,
não se exclua do prêmio da vida.

Sempre à porta celeste batendo,
alcancemos o prêmio da vida,
evitemos do mal o contágio
e curemos da culpa a ferida.

Escutai-nos, ó Pai piedoso,
com o único Filho também,
que reinais com o Espírito Santo
pelos séculos dos séculos. Amém.

Salmo 22(23) 1-6
O Cordeiro será o seu pastor e os conduzirá às fontes da água da vida (Ap 7,17).

O Senhor é o pastor que me conduz;
não me falta coisa alguma.
Pelos prados e campinas verdejantes
ele me leva a descansar.
Para as águas repousantes me encaminha,
e restaura as minhas forças.

Ele me guia no caminho mais seguro,
pela honra do seu nome.
Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso,
nenhum mal eu temerei;
estais comigo com bastão e com cajado;
eles me dão a segurança!

Preparais à minha frente uma mesa,
bem à vista do inimigo,
e com óleo vós ungis minha cabeça;
o meu cálice transborda.

Felicidade e todo bem há de seguir-me
por toda a minha vida;
e, na casa do Senhor, habitarei
pelos tempos infinitos.

Glória ao Pai...

Leitura breve 2Cor 1,3-4
Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda consolação. Ele nos consola em todas as nossas aflições, para que, com a consolação que nós mesmos recebemos de Deus, possamos consolar os que se acham em toda e qualquer aflição.

Ó Senhor, vós sois bendito no celeste firmamento.
Vós sois digno de louvor e de glória eternamente.

MAGNIFICAT
Ninguém pode servir a dois senhores: não podeis servir a Deus e ao dinheiro.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Como membros de Cristo que é nossa cabeça, adoremos o Senhor; e aclamemos com alegria:

R. Senhor, venha a nós o vosso Reino!

Cristo, nosso Salvador, fazei de vossa Igreja instrumento de concórdia e unidade para o gênero humano,
e sinal de salvação para todos os povos. R.

Assisti com vossa contínua presença o Santo Padre e o Colégio universal dos Bispos,
e concedei-lhes o dom da unidade, da caridade e da paz. R.

Fazei-nos viver cada vez mais intimamente unidos a vós,
para proclamarmos com o testemunho da vida a chegada do vosso Reino. R.

Concedei ao mundo a vossa paz,
e fazei reinar em toda parte a segurança e a tranquilidade. R.

(Intenções livres)

Dai aos que morreram a glória da ressurreição,
e concedei que também nós um dia possamos participar com eles da felicidade eterna. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Salve, Regina, mater misericordiae
Vita, dulcedo, et spes nostra, salve.
Ad te clamamus, exsules, filii evae.
Ad te suspiramus, gementes et flentes
in hac lacrimarum valle.

Eia ergo, Advocata nostra,
illos tuos misericordes oculos
ad nos converte.
Et Iesum, benedictum fructum ventris tui,
nobis post hoc exsilium ostende.
O clemens, O pia, O dulcis Virgo Maria.

Ora pro nobis sancta Dei Genetrix.
Ut digni efficiamur promissionibus Christi. Amen.
(Tradução)

Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São Mateus 9,9-13.

Naquele tempo, Jesus ia a passar, quando viu um homem chamado Mateus, sentado no posto de cobrança dos impostos, e disse-lhe: «Segue-Me». Ele levantou-se e seguiu Jesus.
Um dia em que Jesus estava à mesa em casa de Mateus, muitos publicanos e pecadores vieram sentar-se com Ele e os seus discípulos.
Vendo isto, os fariseus diziam aos discípulos: «Por que motivo é que o vosso Mestre come com os publicanos e os pecadores?».
Jesus ouviu-os e respondeu: «Não são os que têm saúde que precisam do médico, mas sim os doentes.
Ide aprender o que significa: "Prefiro a misericórdia ao sacrifício". Porque Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores».

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.