Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Festividade do dia

sabado 4 abril
São Francisco Marto

Um dos três pastorinhos (†1919)

JESUS
Compartilhar

Lúcia, Jacinta e Francisco: os três pastorinhos de Fátima que tiveram a visão de Nossa Senhora no início do século XX, em 1917, numa localidade muito pouco conhecida de Portugal, mas que num tempo relativamente breve se tornaria um dos santuários marianos mais visitados no mundo. Francisco, assim como as meninas, se divertia em gritar do alto dos montes, sentado sobre alguma formação rochosa. Muitas vezes os meninos gritavam o nome de Nossa Senhora e se divertiam a valer com os ecos assim produzidos. Eram todos de famílias pobres, mas foram educados esmeradamente na fé. Frequentemente, principalmente Jacinta, rezavam a “Ave-Maria”. Francisco tinha um caráter calmo, humilde e paciente. Nas brincadeiras, quando acontecia de perder, aceitava de bom grado. Vivia sempre sorridente e era gentil em seus modos. Amava o silêncio e era dado à mortificação; observava na natureza a presença de Deus: nada o deixava mais impressionado que o nascer e o por do sol. Na vida de oração, ele revelava grande profundidade. Certa vez, quando começou a frequentar a escola, vez ou outra dizia para sua prima Lúcia: “Vais tu para a escola. Eu fico aqui na igreja, perto de Jesus escondido. Para mim não vale a pena aprender a ler; daqui a pouco vou para o céu. Quando voltares, vem e me chama”. Ficava horas diante do tabernáculo. Quando lhe perguntavam o que fazia, ele dizia: “Eu olho para ele e ele olha para mim”. Conforme a promessa de Nossa Senhora, isto é, que em breve levaria Francisco e Jacinta para o céu, Francisco soube aceitar com paciência os sofrimentos: em 1918 contraiu a gripe espanhola, a epidemia que matou milhões em todo o mundo. A doença foi devastadora: não tinha forças sequer para rezar o terço. Apesar do sofrimento, Francisco sempre se mostrou alegre e contente. Convencido que a “Senhora” o levaria para o céu. Em fevereiro de 1919 suas condições haviam piorado; permanecia sempre acamado e sua irmã, Jacinta, dava-lhe assistência. Um dia chamaram a prima, Lúcia, e avisaram que Nossa Senhora lhes havia aparecido e que em breve levaria Francisco para o céu. No dia 2 de abril o pároco foi chamado para lhe dar os sacramentos. Francisco fez sua primeira eucaristia nessas condições. Pouco tempo depois disse para sua mãe: “Olha lá, mãe, que luz bonita ali perto da porta… Agora já não a vejo…”. Seu rosto se iluminou com um sorriso angelical e morreu docemente. Tinha apenas onze anos. São Francisco Marto interceda por todos nós nestes tempos de pandemia, para que, como ele, possamos nos colocar sob a proteção da Virgem Maria de Fátima e saber oferecer os nossos sofrimentos a Deus e ao próximo.

Descubra outros santos clicando aqui

Cristo por nós foi tentado, sofreu e na cruz morreu: Vinde todos, adoremos
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Ó Cristo, sol de justiça,
brilhai nas trevas da mente.
Com força e luz, reparai
a criação novamente.

Dai-nos, no tempo aceitável,
um coração penitente,
que se converta e acolha
o vosso amor paciente.

A penitência transforme
tudo o que em nós há de mal.
É bem maior que o pecado
o vosso dom sem igual.

Um dia vem, vosso dia,
e tudo então refloresce.
Nós, renascidos na graça,
exultaremos em prece.

A vós, Trindade clemente,
com toda a terra adoramos,
e no perdão renovados
um canto novo cantamos.

Cântico Ex 15,1-4b.8-13.17-18

Todos aqueles que saíram vitoriosos do confronto com a besta, entoavam o Cântico de
Moisés, o servo de Deus (cf. Ap 15,2-3).

Ao Senhor quero cantar, pois fez brilhar a sua glória:
precipitou no mar Vermelho o cavalo e o cavaleiro!
O Senhor é minha força, é a razão do meu cantar,
pois foi ele neste dia para mim libertação!

Ele é meu Deus e o louvarei, Deus de meu pai e o honrarei.
O Senhor é um Deus guerreiro, o seu nome é 'Onipotente':
os soldados e os carros do Faraó jogou no mar.

Ao soprar a vossa ira amontoaram-se as águas,
levantaram-se as ondas e formaram uma muralha,
e imóveis se fizeram, em meio ao mar, as grandes vagas.

O inimigo tinha dito: 'Hei de segui-los e alcançá-los!
Repartirei os seus despojos e minh'alma saciarei;
arrancarei da minha espada e minha mão os matará!'
Mas soprou o vosso vento, e o mar os recobriu;
afundaram como chumbo entre as águas agitadas.

Quem será igual a vós, entre os fortes, ó Senhor?
Quem será igual a vós, tão ilustre em santidade,
tão terrível em proezas, em prodígios glorioso?

Estendestes vossa mão, e a terra os devorou;
mas o povo libertado conduzistes com carinho
e o levastes com poder à vossa santa habitação.

Vós, Senhor, o levareis e o plantareis em vosso monte,
no lugar que preparastes para a vossa habitação,
no Santuário construído pelas vossas próprias mãos.
O Senhor há de reinar eternamente, pelos séculos!

Glória ao Pai...

Leitura breve Is 65,1b-3a
Eu disse: "Eis-me aqui, eis-me aqui a pessoas que não invocavam o meu nome. Estendi as mãos todo o dia para um povo indócil que anda por caminhos inconvenientes, atrás de seus caprichos; um povo que me provoca ira, à minha frente e sempre.

Ele me chama e eu respondo: Quero livrá-lo e exaltá-lo.
Na provação estou com ele.

BENEDICTUS
Quem é sábio brilhará como luz no firmamento;
quem ensina à multidão os caminhos da justiça,
fulgirá como as estrelas pelos séculos eternos.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Glorifiquemos a Cristo Senhor que instituiu o batismo para fazer de nós criaturas novas e nos preparou a mesa de sua Palavra e de seu Corpo; rezemos confiantes:

R. Renovai-nos, Senhor, com a vossa graça!

Jesus, manso e humilde de coração, revesti-nos de sentimentos de misericórdia, mansidão e humildade,
– e tornai-nos pacientes e compreensivos para com todos. R.

Ensinai-nos a ajudar os pobres e sofredores,
– e assim vos imitarmos, ó Bom Samaritano da humanidade. R.

A Santa Virgem Maria, vossa Mãe, interceda por todas aquelas que se consagraram ao vosso serviço,
– para que se dediquem cada vez melhor ao bem da Igreja. R.

Concedei-nos a vossa misericórdia,
– e fazei-nos experimentar a alegria do vosso perdão. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Ouvi, ó Deus, as nossas preces na comemoração de Santo Isidoro, para que sua intercessão ajude a Igreja, por ele alimentada com a vossa doutrina. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

A partir desse dia, eles decidiram matá-lo...
Senhor, tudo isso que nos ensinas pode parecer muito difícil, muito pesado, se tivesses falado de outra tribuna; mas, como nos ensina mais por exemplo do que por palavra, tu que és “Senhor e Mestre”, como ousaremos dizer o contrário, nós que somos servos e aprendizes? O que dizes é perfeitamente verdadeiro, o que ordenas, é perfeitamente justo. Essa cruz de onde falas como testemunha; esse sangue que flui, também dá testemunho, gritou com todas as suas forças. E, finalmente, até na morte: se ele conseguiu rasgar o véu do templo à distância e a separação das pedras mais consistentes, o que não fará por ele mesmo e ainda mais pelos corações dos fiéis? [...]. Senhor, queremos te devolver amor por amor; e se o desejo de te seguir ainda não provém do nosso amor por ti, porque é muito fraco, pelo menos que nosso amor provenha do teu amor. Se nos atraíres para ti, "correremos atrás do odor dos seus perfumes": Não desejamos somente te amar, te seguimos, e estamos decididos a desprezar este mundo [...] pois vemos que tu, nosso líder, não te deixaste capturar pelos prazeres desta vida. Vimos tu enfrentares a morte, não numa cama, mas sobre o madeiro dos executados; e embora fosses um rei, não quisestes ter outro trono senão esse patíbulo [...]. Atraídos por teu exemplo de rei sábio, rejeitamos o chamado deste mundo e de seus luxos, e levando tua cruz sobre nossos ombros, propomos seguir-te, apenas a ti [...]. Dá-nos a ajuda necessário; Faz com que sejamos fortes o suficiente para seguir-te.
São Roberto Belarmino
Subida da alma para Deus
Cardeal jesuíta e grande teólogo da Contrarreforma (1542-1621)

Vinde todos e adoremos ao Senhor que se entregou por nós!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Do Rei avança o estandarte,
fulge o mistério da Cruz,
onde por nós foi suspenso
o autor da vida, Jesus.

Do lado morto de Cristo,
ao golpe que lhe vibraram,
para lavar meu pecado
o sangue e água jorraram.

Árvore esplêndida e bela,
de rubra púrpura ornada,
de os santos membros tocar
digna só tu foste achada.

Ó Cruz feliz, dos teus braços
do mundo o preço pendeu;
balança foste do corpo
que ao duro inferno venceu.

Salve, ó altar, salve vítima,
eis que a vitória reluz:
a vida em ti fere a morte,
morte que à vida conduz.

Salve, ó cruz, doce esperança,
concede aos réus remissão;
dá-nos o fruto da graça,
que floresceu na Paixão.

Louvor a vós, ó Trindade,
fonte de todo perdão,
aos que na Cruz foram salvos,
dai a celeste mansão.

Salmo 15(16)

Deus ressuscitou a Jesus, libertando-o das angústias da morte (At 2,24).

Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio!
Digo ao Senhor: 'Somente vós sois meu Senhor:
nenhum bem eu posso achar fora de vós!'

Deus me inspirou uma admirável afeição
pelos santos que habitam sua terra.

Multiplicam, no entanto, suas dores
os que correm para os deuses estrangeiros;
seus sacrifícios sanguinários não partilho,
nem seus nomes passarão pelos meus lábios.

Ó Senhor, sois minha herança e minha taça,
meu destino está seguro em vossas mãos!
Foi demarcada para mim a melhor terra,
e eu exulto de alegria em minha herança!

Eu bendigo o Senhor, que me aconselha,
e até de noite me adverte o coração.
Tenho sempre o Senhor ante meus olhos,
pois se o tenho a meu lado não vacilo.

Eis por que meu coração está em festa,
minha alma rejubila de alegria,
e até meu corpo no repouso está tranquilo;

pois não haveis de me deixar entregue à morte,
nem vosso amigo conhecer a corrupção.

Vós me ensinais vosso caminho para a vida;
junto a vós, felicidade sem limites,
delícia eterna e alegria ao vosso lado!

Glória ao Pai...

Leitura 1Pd 1,18-21
Sabeis que fostes resgatados da vida fútil herdada de vossos pais, não por meio de coisas perecíveis, como a prata ou o ouro, mas pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem mancha nem defeito. Antes da criação do mundo, ele foi destinado para isso, e neste final dos tempos, ele apareceu, por amor de vós. Por ele é que alcançastes a fé em Deus. Deus o ressuscitou dos mortos e lhe deu a glória, e assim, a vossa fé e esperança estão em Deus.

Jesus, lembrai-vos de mim, ao chegar a vosso Reino!
Vós que não rejeitais um coração oprimido.
Vós que vos fizestes obediente até a morte.

MAGNIFICAT
Dizei à filha de Sião: Eis, teu Rei está chegando!
Vem com toda humildade, montado num jumento,
num jumentinho que é cria de animal que leva carga.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Adoremos a Cristo, que nas vésperas de sua Paixão, ao ver Jerusalém, chorou sobre ela, porque não quis receber a graça que lhe era oferecida. Arrependidos dos nossos pecados, peçamos:

R. Senhor, tende piedade do vosso povo!

Vós, que quisestes reunir os filhos de Jerusalém, como a galinha reúne os pintinhos debaixo de suas asas,
– ensinai todos a reconhecer o tempo de vossa visita. R.

Não abandoneis os fiéis que de vós se afastaram;
– convertei-nos e nos voltaremos para vós, Senhor nosso Deus. R.

Vós, que pela vossa Paixão reconciliastes o mundo com Deus,
– dai-nos viver sempre do Espírito que recebemos no batismo. R.

Concedei-nos a graça de imitar vossa Paixão, renunciando ao pecado com todas as nossas forças,
– para que, livres de todo mal, possamos celebrar santamente a vossa ressurreição. R.

(Intenções livres)

Vós, que viveis e reinais na glória do Pai,
– lembrai-vos daqueles que hoje partiram deste mundo. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Ave Maria, gratia plena; Dominus tecum: benedicta tu in mulieribus, et benedictus fructus ventris tui Iesus. Sancta Maria, Mater Dei ora pro nobis peccatoribus, nunc et in hora mortis nostrae. Amen.
(Tradução)
Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, Bendita sois Vós entre as mulheres, e Bendito é o fruto de vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São João 11,45-56.
Naquele tempo, muitos judeus que tinham vindo visitar Maria, para lhe apresentarem condolências pela morte de Lázaro, ao verem o que Jesus fizera, ressuscitando-o dos mortos, acreditaram nele.
Alguns deles, porém, foram ter com os fariseus e contaram-lhes o que Jesus tinha feito.
Então os príncipes dos sacerdotes e os fariseus reuniram conselho e disseram: «Que havemos de fazer, uma vez que este homem realiza tantos milagres?
Se O deixamos continuar assim, todos acreditarão nele; e virão os romanos destruir-nos o nosso lugar santo e toda a nação».
Então Caifás, que era sumo sacerdote naquele ano, disse-lhes: «Vós não sabeis nada.
Não compreendeis que é melhor para nós morrer um só homem pelo povo do que perecer a nação inteira?».
Não disse isto por si próprio; mas, porque era sumo sacerdote nesse ano, profetizou que Jesus havia de morrer pela nação;
e não só pela nação, mas também para congregar na unidade todos os filhos de Deus que andavam dispersos.
A partir desse dia, decidiram matar Jesus.
Por isso, Jesus já não andava abertamente entre os judeus, mas retirou-Se para uma região próxima do deserto, para uma cidade chamada Efraim, e aí permaneceu com os discípulos.
Entretanto, estava próxima a Páscoa dos judeus e muitos subiram da província a Jerusalém, para se purificarem, antes da Páscoa.
Procuravam então Jesus e perguntavam uns aos outros no Templo: «Que vos parece? Ele não virá à festa?»

Boletim
Receba Aleteia todo dia