Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Festividade do dia

terça 25 junho
Santa Doroteia de Montau

Leiga viúva (†1394)

CROSS
Compartilhar

Doroteia nasceu em 6 de fevereiro de 1347, em Groß Montau, a oeste de Malbork, Prússia, na família de um rico fazendeiro holandês, Willem Swarte (Schwartze). As antigas biografias nos dizem que desde muito jovem ela mortificava seu corpo e que recebera os estigmas de forma invisível, cuja dor ela mantinha às escondidas.
Casou-se aos dezesseis ou dezessete anos, na cidade de Gdansk (Polônia), com um homem maduro, Adalberto de Danzigue, fabricante de espadas. Alberto era um homem de temperamento violento, de modo que sua esposa sofreu muito durante os vinte e cinco anos de seu casamento. Mas, pouco a pouco, com sua bondade e coragem, Doroteia conseguiu abrandar o marido e, em 1384, convenceu-o a fazer uma peregrinação a Aachen. Ambos fizeram peregrinações também a Colônia, Einsiedeln e outros santuários. Quando planejavam uma peregrinação a Roma Alberto adoeceu. Doroteia, com a permissão do marido, partiu só. Durante esta viagem, Adalberto morreu (1390) antes de seu retorno. Dos seus nove filhos morreram oito, quatro na infância durante a peste. Apenas uma menina sobreviveu, Gertrude, e tornou-se monja beneditina, em Colônia.
Doroteia, sozinha, profundamente transtornada, no verão de 1391, mudou-se para Marienwerder. Lá ela conheceu seu diretor espiritual, John de Marienwerder (1343-1417), da Ordem Teutônica, professor em Praga. Era um sábio teólogo e, percebendo a grandeza espiritual da penitente, começou em 1392 a transcrever suas visões e seus ensinamentos.
No dia 02 de maio de 1393, com a permissão do convento e da Ordem Teutônica, Doroteia se retirou como reclusa em um quarto perto da catedral, comungando todos os dias, o que naqueles dias era excepcional. Com o exemplo, ela instruía espiritualmente aqueles que iam visitá-la e pôde ajudar em várias conversões. Nunca frequentou uma escola, mas tinha uma boa base cultural, graças às suas viagens e contatos com eclesiásticos eminentes. Além da Ordem Teutônica, era próxima da espiritualidade dominicana e a tinha como modelo.
Graças à intuição do confessor, entre 1395 e 1404, foram compostos vários trabalhos. Dois “vitae” de Bollandisti (um não publicado) e o “Septililium” foram publicados, nos quais os carismas de seu misticismo foram apresentados como extraordinárias efusões do Espírito Santo. Há sete graças recebidas de Deus: “de caritate”, “de Spiritus Sanctus”, “de Eucharistia”, “de contemplatione”, “de raptu”, “de perfectione vitae christianae”, “de confessione”. Depois, há o “Liber de festis”, no qual as visões são relatadas de acordo com as recorrências litúrgicas. A doutrina de Doroteia propõe renovar o homem através de três caminhos: remover o pecado que tirou do homem a semelhança de Deus, tornando-o semelhante aos animais, purificar-se pela humildade e penitências que fazem crescer as virtudes teológicas e morais, participação na Paixão de Cristo, dedicação aos pobres, desejo pela Eucaristia. Através de uma longa jornada de autonegação, a alma é subsequentemente, de forma gradual, transformada pelo Espírito Santo. O estágio final é o estágio “unitivo”, que começa com a renovação do coração. Jesus fala a Doroteia, contrastando seus pecados com a beatitude celestial, trazendo-a ao matrimônio espiritual com Deus; a alma sente a presença e a vontade divina, vivendo em sua constante uniformidade, como em uma morada, recebendo virtudes, dons, bem-aventuranças, frutos. É a perfeição cristã, que só pode ser alcançada com a graça do Senhor.
Doroteia morreu em Marienwerder em 25 de junho de 1394 e foi imediatamente venerada como santa e padroeira da Prússia. Suas relíquias foram perdidas durante a Reforma Protestante. Ela é representada com o livro da revelação em sua mão, o rosário e cinco flechas, os estigmas. Sua espiritualidade foi comparada à de Santa Brígida e Santa Catarina de Sena.
O processo formal de canonização, no entanto, parou em 1404 e não foi retomado até 1955. A canonização foi confirmada em 09 de janeiro de 1976 pelo Papa São Paulo VI.

Descubra outros santos clicando aqui

Eu quero cantar o amor e a justiça,
cantar os meus hinos a vós, ó Senhor!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém

Hino
Da luz Criador,
vós mesmo sois luz
e dia sem fim.
Vós nunca da noite
provastes as trevas:
Só Deus é assim.

A noite já foge
e o dia enfraquece
dos astros a luz.
A estrela da aurora,
surgindo formosa,
no céu já reluz.

Os leitos deixando,
a vós damos graças
com muita alegria,
porque novamente,
por vossa bondade,
o sol traz o dia.

Ó Santo, pedimos
que os laços do Espírito
prendam-nos a vós,
e, assim, não ouçamos
as vozes da carne
que clamam em nós.

Às almas não fira
a flecha da ira
que traz divisões.
Livrai vossos filhos
da própria malícia
dos seus corações.

Que firmes na mente
e castos no corpo,
de espírito fiel,
sigamos a Cristo,
Caminho e Verdade,
doçura do céu.

O Pai piedoso
ouça-nos, bondoso,
e o Filho também.
No laço do Espírito
unidos, dominam
os tempos. Amém.

Salmo 100(101)
Se me amais, guardai os meus mandamentos (Jo 14,15).

Eu quero cantar o amor e a justiça,
cantar os meus hinos a vós, ó Senhor!
Desejo trilhar o caminho do bem,
mas quando vireis até mim, ó Senhor?

Viverei na pureza do meu coração,
no meio de toda a minha família.
Diante dos olhos eu nunca terei
qualquer coisa má, injustiça ou pecado.

Detesto o crime de quem vos renega;
que não me atraia de modo nenhum!
Bem longe de mim, corações depravados,
nem nome eu conheço de quem é malvado.

Farei que se cale diante de mim
quem é falso e às ocultas difama seu próximo;
o coração orgulhoso, o olhar arrogante
não vou suportar e não quero nem ver.

Aos fiéis desta terra eu volto meus olhos;
que eles estejam bem perto de mim!
Aquele que vive fazendo o bem
será meu ministro, será meu amigo.

Na minha morada não pode habitar
o homem perverso e aquele que engana;
aquele que mente e que faz injustiça
perante meus olhos não pode ficar.

Em cada manhã haverei de acabar
com todos os ímpios que vivem na terra;
farei suprimir da cidade de Deus
a todos aqueles que fazem o mal.

Glória ao Pai...

Leitura breve Is 55,1
Ó vós todos que estais com sede, vinde às águas; vós que não tendes dinheiro, apressai-vos, vinde e comei, vinde comprar sem dinheiro, tomar vinho e leite, sem nenhuma paga.

Por vosso amor, ó Senhor, ouvi minha voz, confio firmemente na vossa Palavra.
Chego antes que a aurora e clamo a vós.

BENEDICTUS
Salvai-nos, ó Senhor, da mão dos inimigos!

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Concedendo-nos a alegria de louvá-lo nesta manhã, Deus fortalece a nossa esperança; por isso, dirijamos-lhe a nossa oração cheios de confiança:

R. Ouvi-nos, Senhor, para a glória de vosso nome!

Nós vos agradecemos, Deus e Pai de nosso Salvador Jesus Cristo,
– pelo conhecimento e pela imortalidade que recebemos por meio dele. R.

Concedei-nos a humildade de coração,
– para nos ajudarmos uns aos outros no amor de Cristo. R.

Derramai o Espírito Santo sobre nós, vossos servos,
– para que seja sincero o nosso amor fraterno. R.

Vós, que confiastes aos seres humanos a tarefa de governar o mundo,
– concedei que o nosso trabalho vos dê glória e santifique os nossos irmãos e irmãs. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Senhor, aumentai em nós o dom da fé, para que em nossos lábios vosso louvor seja perfeito e produza sempre a abundância de frutos celestes. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

O caminho que leva à vida é estreito

Talvez penses que o caminho que Deus mostra é um caminho plano e fácil, sem qualquer dificuldade ou esforço. Não! É uma subida e uma subida tortuosa. Não é um caminho descendente aquele que conduz às virtudes, trata-se de uma ascensão, uma angustiada e difícil ascensão. Ouça o Senhor quando ele diz no Evangelho: O caminho que conduz à vida é estreito e angustiante. Observe, então, a consonância entre o Evangelho e a Lei. Não é verdade que até mesmo os cegos podem ver claramente que a Lei e o Evangelho foram escritos pelo mesmo Espírito?
O caminho pelo qual Moisés vai com o povo eleito é também uma subida tortuosa, que mostra que tanto nas obras quanto na fé há muita dificuldade e muito esforço. De fato, muitas tentações, muitos obstáculos, se opõem àqueles que querem agir de acordo com Deus. Para o Faraó, aquele que segue a Deus está errado, porque o caminho da sabedoria é tortuoso. Da mesma forma, quando confessas que há apenas um Deus, e na mesma confissão afirmas que o Pai, o Filho e o Espírito são um só Deus, quão tortuoso e inextricável isso parece aos infiéis! Mais ainda, quando dizes que o Senhor de majestade foi crucificado e que o Filho do homem desceu do céu. Quão tortuosas e difíceis parecem essas coisas! Aquele que as ouve, se não as ouve com fé, diz que aqueles que creem estão equivocados; mas tu, permaneces firme e não duvides desta fé.

Orígenes
Asceta, teólogo e Padre da Igreja do Oriente (†253).

Viverei na pureza do meu coração,
no meio de toda a minha família.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Autor e origem do tempo,
por sábia ordem nos dais
o claro dia no trabalho,
e a noite, ao sono e à paz.

As mentes castas guardai
dentro da calma da noite
e que não venha a feri-las
do dardo mau o açoite.

Os corações libertai
de excitações persistentes.
Não quebre a chama da carne
a força viva das mentes.

Ouvi-nos, Pai piedoso,
e vós, ó Filho de Deus,
que com o Espírito Santo
reinais eterno nos céus.

Salmo 136(137),1-6
Este cativeiro do povo deve-se entender como símbolo do nosso cativeiro espiritual
(Sto. Hilário).

Junto aos rios da Babilônia
nos sentávamos chorando,
com saudades de Sião.
Nos salgueiros por ali
penduramos nossas harpas.

Pois foi lá que os opressores
nos pediram nossos cânticos;
nossos guardas exigiam
alegria na tristeza:
‘Cantai hoje para nós
algum canto de Sião!’

Como havemos de cantar
os cantares do Senhor
numa terra estrangeira?
Se de ti, Jerusalém,
algum dia eu me esquecer,
que resseque a minha mão!

Que se cole a minha língua
e se prenda ao céu da boca,
se de ti não me lembrar!
Se não for Jerusalém
minha grande alegria!

Glória ao Pai...

Leitura breve Cl 3,16
Que a palavra de Cristo, com toda a sua riqueza, habite em vós. Ensinai e admoestai-vos uns aos outros com toda a sabedoria. Do fundo dos vossos corações, cantai a Deus salmos, hinos e cânticos espirituais, em ação de graças.

Junto a vós, felicidade, felicidade sem limites!
Delícia eterna, ó Senhor.

MAGNIFICAT
Ó Senhor, fazei conosco maravilhas, pois santo e poderoso é vosso Nome.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Exaltemos a Jesus Cristo, que dá ao seu povo força e poder; e lhe peçamos de coração sincero:

R. Ouvi-nos, Senhor, e vos louvaremos para sempre!

Jesus Cristo, nossa força, que nos chamastes ao conhecimento da verdade,
– concedei a vossos fiéis a perseverança na fé. R.

Dirigi, Senhor, segundo o vosso coração, todos os que nos governam,
– e inspirai-lhes bons propósitos, para que nos conduzam na paz. R.

Vós, que saciastes as multidões no deserto,
– ensinai-nos a repartir o pão com aqueles que têm fome. R.

Fazei que os governantes não se preocupem apenas com seu próprio país,
– mas respeitem as outras nações e sejam solícitos para com todas elas. R.

(Intenções livres)

Ressuscitai para a vida eterna os nossos irmãos e irmãs que morreram,
– quando vierdes manifestar a vossa glória naqueles que creram em vós. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Salve, Regina, mater misericordiae
Vita, dulcedo, et spes nostra, salve.
Ad te clamamus, exsules, filii evae.
Ad te suspiramus, gementes et flentes
in hac lacrimarum valle.

Eia ergo, Advocata nostra,
illos tuos misericordes oculos
ad nos converte.
Et Iesum, benedictum fructum ventris tui,
nobis post hoc exsilium ostende.
O clemens, O pia, O dulcis Virgo Maria.

Ora pro nobis sancta Dei Genetrix.
Ut digni efficiamur promissionibus Christi. Amen.
(Tradução)

Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo São Mateus 7,6.12-14.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis aos porcos as vossas pérolas, não vão eles calcá-las aos pés e voltar-se para vos despedaçarem.
Tudo quanto quiserdes que os homens vos façam fazei-o também a eles, pois nisto consiste a Lei e os Profetas.
Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que leva à perdição e muitos são os que seguem por eles.
Como é estreita a porta e apertado o caminho que conduz à vida e como são poucos aqueles que os encontram!»

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.