Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia
Festividade do dia

terça-feira, 24 de abril

São Fidélis de Sigmaringa

Presbítero e Mártir (†1622)

Public Domain
Compartilhe este artigo para ter a chance de ganhar uma peregrinação a Roma
Compartilhar
Compartilhei
Compartilhamentos

São Fidélis de Sigmaringa

Markus Rey nasceu dia 01 de outubro de 1578, na cidade de Sigmaringa, filho do empresário Johannes Rey e Genoveva Rosenberger. Perdeu os pais cedo, mas seu tutor depois dos estudos preparatórios na sua cidade natal matriculou-o na Universidade de Friburgo, na atual Suíça, onde estudou Filosofia e Direito civil e canônico, vindo a formar-se em Direito em 1604.

Iniciou a carreira de advogado na cidade de Colmar, na Alsácia, onde exerceu a profissão durante alguns anos. Católico fervoroso assumia gratuitamente a defesa dos necessitados, tornando-se conhecido pelo seu espírito caritativo.

Aos 35 anos de idade tornou-se frade capuchinho em Friburgo. Incorporou sua biblioteca à do seminário episcopal e os bens distribuiu-os entre os pobres. Adotou então o nome religioso de Fidélis (do latim fidelis, "fiel") e impôs a si mesmo viver em obediência, pobreza, humildade, com espírito de penitência, de austeridade e de sacrificada renúncia.

Nomeado superior do convento em Feldkirch, conseguiu a conversão de muitos calvinistas à Igreja Católica. Quando no acampamento militar apareceu uma epidemia, São Fidélis tornou-se o anjo da caridade dos pobres doentes, que recebiam suas visitas diárias. Como superior, usava de máximo rigor para si, lia muitas vezes a santa regra e pedia a Deus não permitisse que um dia fosse pedra de escândalo. Com caridade e mansidão repreendia as faltas aos outros, sendo, porém inexorável quanto à disciplina monástica.

Preocupada com os avanços do calvinismo na região dos Grisões, a Congregação da Propagação da Fé, recentemente instituída, confiou aos capuchinhos a missão de deter a marcha da Reforma naquela região suíça. Com oito companheiros dirigiu-se Fidélis ao novo campo de ação. Estes trabalhos foram coroados de êxito. Muitos calvinistas, entre os quais pessoas de alta colocação, voltaram à fé católica, o que provocou o descontentamento e o ódio de outros sectários. Suas pregações obtiveram algum resultado, em Seewis im Prättigau foram violentamente interrompidas. Houve um grande tumulto na igreja em que pregava e no tiroteio uma bala o atingiu. Antes de abandonar a igreja, ajoelhou-se junto ao altar, recomendando-se a Deus. Tentou tomar o caminho de volta a Grüsch, onde estava localizado seu convento, mas foi atacado por vinte homens armados que lhe exigiram, aos gritos, que renegasse a sua fé. Foi, então, derrubado, e enquanto seus inimigos lhe retalhavam o corpo com armas, pedia a Deus que perdoasse a seus assassinos. Era dia 24 de abril de 1622. Fidélis tinha então 45 anos. A sua morte impressionou até os seus mais acirrados inimigos, tendo contribuído para a pacificação da região. Passou a ser considerado mártir da Igreja Católica e figura venerada entre os opositores ao calvinismo.

O corpo de Fidélis foi sepultado com todas as honras, na igreja dos capuchinhos em Feldkirch. Glorioso foi-lhe o túmulo e muitos milagres testificaram a santidade do mártir.

Foi beatificado pelo Papa Bento XII em 24 de abril de 1729 e teve seu nome inscrito no catálogo dos santos  por Bento XIV em 29 de Junho de 1746.

Markus Rey nasceu dia 01 de outubro de 1578, na cidade de Sigmaringa, filho do empresário Johannes Rey e Genoveva Rosenberger. Perdeu os pais cedo, mas seu tutor depois dos estudos preparatórios na sua cidade natal matriculou-o na Universidade de Friburgo, na atual Suíça, onde estudou Filosofia e Direito civil e canônico, vindo a formar-se em Direito em 1604.
Iniciou a carreira de advogado na cidade de Colmar, na Alsácia, onde exerceu a profissão durante alguns anos. Católico fervoroso assumia gratuitamente a defesa dos necessitados, tornando-se conhecido pelo seu espírito caritativo.
Aos 35 anos de idade tornou-se frade capuchinho em Friburgo. Incorporou sua biblioteca à do seminário episcopal e os bens distribuiu-os entre os pobres. Adotou então o nome religioso de Fidélis (do latim fidelis, "fiel") e impôs a si mesmo viver em obediência, pobreza, humildade, com espírito de penitência, de austeridade e de sacrificada renúncia.
Nomeado superior do convento em Feldkirch, conseguiu a conversão de muitos calvinistas à Igreja Católica. Quando no acampamento militar apareceu uma epidemia, São Fidélis tornou-se o anjo da caridade dos pobres doentes, que recebiam suas visitas diárias. Como superior, usava de máximo rigor para si, lia muitas vezes a santa regra e pedia a Deus não permitisse que um dia fosse pedra de escândalo. Com caridade e mansidão repreendia as faltas aos outros, sendo, porém inexorável quanto à disciplina monástica.
Preocupada com os avanços do calvinismo na região dos Grisões, a Congregação da Propagação da Fé, recentemente instituída, confiou aos capuchinhos a missão de deter a marcha da Reforma naquela região suíça. Com oito companheiros dirigiu-se Fidélis ao novo campo de ação. Estes trabalhos foram coroados de êxito. Muitos calvinistas, entre os quais pessoas de alta colocação, voltaram à fé católica, o que provocou o descontentamento e o ódio de outros sectários. Suas pregações obtiveram algum resultado, em Seewis im Prättigau foram violentamente interrompidas. Houve um grande tumulto na igreja em que pregava e no tiroteio uma bala o atingiu. Antes de abandonar a igreja, ajoelhou-se junto ao altar, recomendando-se a Deus. Tentou tomar o caminho de volta a Grüsch, onde estava localizado seu convento, mas foi atacado por vinte homens armados que lhe exigiram, aos gritos, que renegasse a sua fé. Foi, então, derrubado, e enquanto seus inimigos lhe retalhavam o corpo com armas, pedia a Deus que perdoasse a seus assassinos. Era dia 24 de abril de 1622. Fidélis tinha então 45 anos. A sua morte impressionou até os seus mais acirrados inimigos, tendo contribuído para a pacificação da região. Passou a ser considerado mártir da Igreja Católica e figura venerada entre os opositores ao calvinismo.
O corpo de Fidélis foi sepultado com todas as honras, na igreja dos capuchinhos em Feldkirch. Glorioso foi-lhe o túmulo e muitos milagres testificaram a santidade do mártir.
Foi beatificado pelo Papa Bento XII em 24 de abril de 1729 e teve seu nome inscrito no catálogo dos santos por Bento XIV em 29 de Junho de 1746.

Descubra outros santos clicando aqui

Oração para esta manhã

 

Eu quero cantar o amor e a justiça,
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
A fiel Jerusalém
canta um hino triunfal,
celebrando, jubilosa,
Jesus Cristo, a Luz pascal.

A serpente é esmagada
pelo Cristo, leão forte,
que ressurge e chama à vida
os cativos pela morte.

Ele vence, refulgindo
de grandeza e majestade.
Ele faz de céus e terra
uma pátria de unidade.

Nosso canto suplicante
pede ao Rei ressuscitado
que receba no seu Reino
o seu povo consagrado.

Ó Jesus, do vosso povo
sede o júbilo pascal.
Dai aos novos pela graça
a vitória triunfal.

Glória a vós, Jesus invicto,
sobre a morte triunfante.
Com o Pai e o Santo Espírito
sois luz nova e radiante.

Salmo 100(101)
Se me amais, guardai os meus mandamentos (Jo 14,15).

Eu quero cantar o amor e a justiça,
cantar os meus hinos a vós, ó Senhor!
Desejo trilhar o caminho do bem,
mas quando vireis até mim, ó Senhor?

Viverei na pureza do meu coração,
no meio de toda a minha família.
Diante dos olhos eu nunca terei
qualquer coisa má, injustiça ou pecado.

Detesto o crime de quem vos renega;
que não me atraia de modo nenhum!
Bem longe de mim, corações depravados,
nem nome eu conheço de quem é malvado.

Farei que se cale diante de mim
quem é falso e às ocultas difama seu próximo;
o coração orgulhoso, o olhar arrogante
não vou suportar e não quero nem ver.

Aos fiéis desta terra eu volto meus olhos;
que eles estejam bem perto de mim!
Aquele que vive fazendo o bem
será meu ministro, será meu amigo.

Na minha morada não pode habitar
o homem perverso e aquele que engana;
aquele que mente e que faz injustiça
perante meus olhos não pode ficar.

Em cada manhã haverei de acabar
com todos os ímpios que vivem na terra;
farei suprimir da cidade de Deus
a todos aqueles que fazem o mal.

Glória ao Pai...

Leitura breve At 13, 30-33
Deus ressuscitou Jesus dos mortos e, durante muitos dias, ele foi visto por aqueles que o acompanharam desde a Galileia até Jerusalém. Agora eles são testemunhas de Jesus diante do povo. Por isso, nós vos anunciamos este Evangelho: a promessa que Deus fez aos antepassados, ele a cumpriu para nós, seus filhos, quando ressuscitou Jesus, como está escrito no segundo salmo: ‘Tu és o meu filho, eu hoje te gerei’.

O Senhor ressurgiu do sepulcro. Aleluia, aleluia.
Foi suspenso por nós numa cruz. Aleluia, aleluia

BENEDICTUS
As obras que eu faço em nome do Pai é que falam por mim e dão testemunho. Aleluia.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Demos graças a Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Cordeiro sem mancha, que tira o pecado do mundo; e rezemos confiantes:

R. Senhor, fonte da vida, dai-nos a vossa salvação!

Deus, fonte da vida, lembrai-vos da morte e ressurreição do Cordeiro imolado na cruz,
– e ouvi as súplicas que ele vos dirige continuamente em nosso favor. R.

Purificai-nos, Senhor, de todo fermento de malícia e perversidade,
– para vivermos a páscoa de Cristo com os pães ázimos da sinceridade e da verdade. R.

Ajudai-nos a vencer neste dia o pecado da discórdia e da inveja,
– e tornai-nos mais atentos às necessidades dos nossos irmãos e irmãs. R.

Dai à nossa vida um autêntico espírito evangélico,
– para andarmos, hoje e sempre, pelo caminho dos vossos mandamentos. R.

(Intenções livres)

Pai nosso...

Oração
Concedei, ó Deus todo-poderoso, que, celebrando o mistério da ressurreição do Senhor, possamos acolher com alegria a nossa redenção. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Meditação do dia

Eu e o Pai somos Um
A fé católica é esta: que veneremos um só Deus na Trindade e a Trindade na unidade, não confundindo as Pessoas, nem dividindo a substância. Porque uma é a Pessoa do Pai, outra a do Filho, e outra a do Espírito Santo; mas uma só é a divindade do Pai e do Filho e do Espírito Santo, igual à sua glória e coeterna à sua majestade. Tal como o Pai, assim é o Filho e o Espírito Santo; incriado o Pai, incriado o Filho, incriado o Espírito Santo. […] O Pai é Deus, o Filho é Deus, e o Espírito Santo é Deus; contudo, não são três deuses, mas um só Deus. […]
A fé verdadeira consiste em que acreditemos e confessemos que Nosso Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, é Deus e homem. É Deus gerado da substância do Pai antes do início dos tempos; é homem nascido da substância de sua Mãe no tempo. Perfeito Deus e perfeito homem, que subsiste com alma racional e carne humana, igual ao Pai segundo a divindade, menor que o Pai segundo a humanidade. E embora seja Deus e homem, não há dois cristos, mas um único Cristo; um, não porque a divindade se tenha dissolvido na carne, mas porque a humanidade foi assumida por Deus. Absolutamente uno, não por confusão das substâncias, mas pela unidade da Pessoa. Pois assim como a alma racional e o corpo constituem um só homem, assim também Deus e homem constituem um só Cristo. O qual padeceu pela nossa salvação, desceu à mansão dos mortos e ao terceiro dia ressuscitou. Subiu aos céus, onde está sentado à direita de Deus Pai onipotente, de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos.
Santo Atanásio
Arcebispo de Alexandria (296-373)
Do Símbolo «Quicumque»

Oração para esta tarde

 

Perante os vossos anjos vou cantar-vos e
ante o vosso templo vou prostrar-me.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Eterno Rei e Senhor,
Filho do Pai muito amado,
à vossa imagem plasmastes
Adão, do barro formado.

Caiu o homem no mal,
pelo inimigo enganado.
Mas assumistes seu corpo
num seio virgem formado.

Unido a nós como homem,
vós nos unistes a Deus.
Pelo Batismo, nos destes
herdar o Reino dos céus.

Para salvar todo homem,
morrer na cruz aceitastes.
Preço do nosso resgate,
o vosso sangue doastes.

Mas ressurgis, recebendo
do Pai a glória devida.
Por vós, também ressurgidos,
teremos parte na vida.

Sede, Jesus, para nós,
gozo pascal, honra e glória.
Os que nasceram da graça,
uni à vossa vitória.

Glória a Jesus triunfante
que a própria morte venceu.
A ele, ao Pai e ao Espírito
louvor eterno no céu.

Salmo 136(137),1-6
Este cativeiro do povo deve-se entender como símbolo do nosso cativeiro espiritual
(Sto. Hilário).

Junto aos rios da Babilônia
nos sentávamos chorando,
com saudades de Sião.
Nos salgueiros por ali
penduramos nossas harpas.

Pois foi lá que os opressores
nos pediram nossos cânticos;
nossos guardas exigiam
alegria na tristeza:
‘Cantai hoje para nós
algum canto de Sião!’

Como havemos de cantar
os cantares do Senhor
numa terra estrangeira?
Se de ti, Jerusalém,
algum dia eu me esquecer,
que resseque a minha mão!

Que se cole a minha língua
e se prenda ao céu da boca,
se de ti não me lembrar!
Se não for Jerusalém
minha grande alegria!

Glória ao Pai...

Leitura breve 1Pd 2,4-5
Aproximai-vos do Senhor, pedra viva, rejeitada pelos homens, mas escolhida e honrosa aos olhos de Deus. Do mesmo modo, também vós, como pedras vivas, formai um edifício espiritual, um sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, agradáveis a Deus, por Jesus Cristo.

Os discípulos ficaram muito alegres. Aleluia, aleluia.
Quando viram o Senhor ressuscitado. Aleluia, aleluia.

MAGNIFICAT
Eu conheço as minhas ovelhas e elas me ouvem e seguem e a vida eterna eu lhes dou. Aleluia.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Invoquemos a Cristo, que pela sua ressurreição confirmou a esperança do seu povo; e peçamos com muita fé:

R. Cristo, vivo para sempre, escutai-nos!

Senhor Jesus Cristo, de cujo lado aberto correu sangue e água,
– fazei da Igreja vossa esposa imaculada. R.

Pastor supremo da Igreja, que depois da ressurreição confiastes a Pedro o cuidado do vosso rebanho,
– protegei o nosso Papa Francisco e confirmai-o na caridade ao serviço do vosso povo. R.

Vós, que enchestes de peixes as redes de vossos discípulos que pescavam no lago de Tiberíades,
– enviai operários à vossa Igreja para que continuem seu trabalho apostólico. R.

Vós, que preparastes pão e peixes para vossos discípulos, na margem do lago,
– não permitais que nossos irmãos e irmãs morram de fome por nossa culpa. R.

(Intenções livres)

Senhor Jesus, novo Adão, que nos dais a vida, tornai semelhantes à vossa imagem gloriosa os que já deixaram este mundo,
– para que participem plenamente da alegria perfeita no céu. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Regina coeli, laetare, alleluia.
Quia quem meruisti portare, alleluia.
Resurrexit, sicut dixit, alleluia.
Ora pro nobis Deum, aleluia

(Tradução)
Rainha dos céus, alegra-te, aleluia.
Porque aquele que mereceste levar em teu seio, aleluia.
Ressuscitou, segundo predisse, aleluia.
Roga a Deus por nós, aleluia.

Evangelho do dia

Naquele tempo, celebrava-se em Jerusalém a festa da Dedicação do Templo. Era inverno

e Jesus passeava no templo, sob o Pórtico de Salomão.

Então os judeus rodearam-n’O e disseram: «Até quando nos vais trazer em suspenso? Se és o Messias, diz-nos claramente».

Jesus respondeu-lhes: «Já vo-lo disse, mas não acreditais. As obras que Eu faço em nome de meu Pai dão testemunho de Mim.

Mas vós não acreditais, porque não sois das minhas ovelhas.

As minhas ovelhas escutam a minha voz: Eu conheço as minhas ovelhas e elas seguem-Me.

Eu dou-lhes a vida eterna e nunca hão-de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão.

Meu Pai, que Mas deu, é maior do que todos, e ninguém pode arrebatar nada da mão do Pai.

Eu e o Pai somos um só».

Selecione como você gostaria de compartilhar.

Compartilhar
* O crédito para artigos compartilhados será fornecido somente quando o destinatário do seu artigo compartilhado clicar no URL de referência exclusivo.
Clique aqui para mais informações sobre o Sorteio da Aleteia de uma Peregrinação a Roma

Para participar do Sorteio, você precisa aceitar os Termos a seguir


Ler os Termos e Condições