Aleteia
Terça-feira 29 Setembro |
Beato João de Montmirail
Estilo de vida

Será que sou uma pessoa ansiosa demais? O que fazer?

© Zurijeta/SHUTTERSTOCK

Patricia Navas González | Wed Oct 30 2013

Procurar a causa antes de recorrer aos remédios: esta é a dica do psiquiatra Paulino Castells

Muita ansiedade e muitos remédios: uma pesquisa realizada pelo Centro de Pesquisa sobre Fitoterapia (Infito) revela que um terço dos espanhóis toma ou já tomou algum remédio contra a ansiedade. E isso não é muito diferente em outros países do mundo.


Recorrer aos remédios diante da tensão e do mal-estar psicológico pode ser eficaz a curto prazo, mas nem sempre é a solução mais adequada, adverte o psiquiatra especialista em temas de família, Paulino Castells.


Em uma conversa com a Aleteia, o professor titular de Psicologia na Universidade Abat Oliba CEU propõe, antes de tudo, parar, olhar para o próprio interior e encontrar-se consigo mesmo e com o sentido da vida.

Como saber se a pessoa sofre de ansiedade?


A ansiedade é uma sensação de mal-estar psicológico que dá ao corpo um estado de alerta, de tensão, o que não ocorre quando estamos sossegados e sem preocupações.

É preciso tratá-la com remédios?


Nem sempre. Mas, em uma sociedade em que se valoriza a rapidez nas soluções, pode parecer o caminho mais efetivo. Não consigo dormir, não consigo comer, então o remedinho parece ser a solução, ao invés de procurar a origem, a causa da insônia, da falta de apetite.


Nem sempre é preciso recorrer aos remédios. Há tratamentos naturais, homeopáticos, com ervas, que também podem ajudar.

A indústria farmacêutica tem algo a ver com o fácil acesso aos remédios?


Também influencia. Estamos em um momento crítico, no qual alguns acusam os laboratórios inclusive de inventar patologias, como o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH). Isso tampouco é verdade, mas realmente existe uma pressão dos laboratórios para vender medicamentos.


No caso do TDAH, uma alimentação adequada poderia substituir os remédios.

Por que cada vez é mais difícil ter equilíbrio mental em nossas sociedades?


Porque estão nos programando para ser desequilibrados. Tenta-se anular o senso crítico, o pensamento tradicional; recebemos uma série de novos paradigmas, de formas de viver, e tudo isso vai desorientando as pessoas.


As famílias perdem um pouco a bússola. Por isso, alguns médicos tentam divulgar outro enfoque. Não podemos cair em um pensamento unidirecional de consumismo: "Se a pessoa sofre de X, então precisa tomar o remédio Y". Eu prefiro oferecer amplos argumentos para que haja senso crítico.

Como chegar a este equilíbrio?


Parando um pouco, tampando os ouvidos e fechando os olhos; olhando para dentro, ao invés de para fora; desligando um pouco a televisão, o computador, o celular, e perguntando-se se realmente precisamos de determinada realidade, ou se há outras maneiras de resolver o problema.


Por que existe um movimento quase migratório de pessoas, jovens e adultos, que decidem ir morar no campo? Precisamente para fugir desse turbilhão. Muita gente faz isso, gente com responsabilidades e cargos sérios.

Mas nem sempre é fácil fazer esta parada; as obrigações e responsabilidades nos impedem de parar e iniciar um processo lento de mudança…


Não tenho tempo? Preciso buscá-lo. Tempo para a leitura, para brincar com os filhos, para meditar. O ser humano precisa se encontrar consigo mesmo. É o que dizia Victor Frankl: o homem em busca de sentido.


É preciso buscar o sentido da vida. Nós, cristãos, temos isso um pouco mais resolvido, porque temos uma transcendência, mas qualquer pessoa é capaz de encontrar um sentido na vida.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Depressão
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
ROSARY
Redação da Aleteia
Exorcista alerta sobre os perigos de "falar" ...
Aleteia Brasil
Com afastamento do pe. Robson, o Santuário de...
Redação da Aleteia
Papa Francisco: "Não usem o nome de Deus para...
HOLY COMMUNION
Redação da Aleteia
A Santa Missa não pode ser trocada por oraçõe...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Gaudium Press
Sabia que a aliança de casamento pode ter a f...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia