Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 08 Dezembro |
Imaculada Conceição de Nossa Senhora
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Papa Paulo VI: trajetória do beato

© Archives CIRIC

Vatican - publicado em 19/10/14

Os desvios doutrinais e as infidelidades à Igreja retardaram o caminho pós-conciliar, e o Papa não perdeu ocasião para manifestar o seu receio pelas provas a que era chamada a comunidade eclesial. Denunciou com clareza os riscos derivados do hábito de crítica corrosiva feita à Igreja institucional, o período do relativismo doutrinal, os limites que se deparam à consciência do homem quando não é iluminada por princípios transcendentes e guiada pelo Magistério ("vista que tem necessidade de luz"). Mas estas frequentes diagnoses do Santo Padre não esqueciam nunca a dimensão da esperança, especialmente quando falava a grupos de sacerdotes. 1970, como é sabido, foi o ano do jubileu sacerdotal do Papa, e muitas foram as ocasiões para um aprofundamento do tema fundamental do sacerdócio. Paulo VI ocupou-se dele, em especial, a 6 de Março, no encerramento dos exercícios espirituais em preparação para a Pascoa: é necessário sondar e compreender a fundo — disse — a essência do nosso sacerdócio, ter presente constantemente as riquezas e os valores dele, para que guiem de facto a nossa vida de cada dia; isto não só por uma razão permanente, mas também por motivos contingentes, pois sabemos qual é o vento de dúvida que atravessa a Igreja a respeito do sacerdócio ministerial.

«Não vos deixeis sugestionar»

A 20 de Fevereiro, falando ao clero romano, o Papa insistiu uma vez mais no valor excelso do sagrado celibato e exortou os sacerdotes à coragem, no entusiasmo e na esperança. A 3 de Abril disse a um grupo de neo-sacerdotes: "Não vos deixeis sugestionar por teorias e exemplos que põem em dúvida a vossa fé, as vossas opções e a vossa irrevogável dedicação a Deus". E, ainda na tarde de quinta-feira Santa, durante a Missa in coena Domini, convidava os fiéis a orarem pelos irmãos infelizes que violam as promessas sacerdotais e abandonam o lugar que tem no Cenáculo.

Paulo VI colocou, além disso, o tema do sacerdócio como tema central do iminente Sínodo episcopal, ao lado dos problemas da justiça no mundo. Quer dizer, desejou pedir um contributo vivo, um "parecer esclarecido" aos irmãos no episcopado exactamente sobre um dos argumentos de importância fundamental na situação presente da Igreja. O outro tema, o da justiça, apresentava-se sempre entre as constantes do Magistério pontifício. Ao lado dos discursos pronunciados na viagem à Ásia e à Oceânia, é necessário recordar a este propósito o pronunciado por Paulo VI durante a visita realizada à sede romana da FAO, a 16 de Novembro de 1970, quando fez votos por uma economia de serviço e de fraternidade, que eliminasse o escândalo da fome e da miséria. Também nessa ocasião, o discurso sobre a justiça se apresentou intimamente ligado com o que teve por objecto a paz. "O bem-estar — exclamou o Papa — está nas nossas mãos, mas é necessário querermo-lo construir juntos, uns para os outros, uns com os outros e nunca mais uns contra os outros".

Sobre  a paz, o magistério do Papa tornava-se cada vez mais instante e responsabilizador, assim como os seus contributos concretos em favor da solução de alguns conflitos mais preocupantes. Foram esforços que por vezes ficaram vãos, foram palavras que nem sempre foram ouvidos com boa vontade. Mas são actos que ficam e que, apesar de tudo, contribuirão com o tempo para difundir entre os homens a aspiração comum para a solução pacífica das controvérsias. "Nós — observou o Papa antes do Angelus de 27 de Setembro, referindo-se ao Próximo Oriente — não podemos constituir-nos juiz nem fazer de mediador; mas procuramos ser a todos conselheiro para a composição do conflito". "As razões profundas das intervenções da Santa Sé — disse a 9 de Janeiro ao Corpo Diplomático — escapam às vezes aos observadores superficiais, porque elas dependem de motivações de ordem espiritual e moral, e porque não se confundem com nenhuma acção de ordem temporal".

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
Tags:
Beatificacao
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia