Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 01 Março |
São Félix III (II)
home iconAtualidade
line break icon

Nosso estranho desejo de que existam os extraterrestres: por quê?

Alein-Andreas-CC

David Mills - publicado em 29/01/15

Será por medo? E se, no fim das contas, estivermos mesmo sozinhos no universo?

“Será que temos medo?”. A pergunta, estampada no jornal inglês “The Guardian”, foi feita pela escritora Sue Blackmore, que quer entender por que a descoberta de Kepler 438b, um planeta muito parecido com a Terra, atraiu tanta atenção dos terráqueos.

Ela mesma admite que tem medo. Não de que os alienígenas existam, mas de que exista no universo alguma forma de vida inteligente "tão perigosa a ponto de não poder durar", já que essa inteligência seria capaz de criar tecnologias que potencialmente a matariam. Ela espera que o nosso fascínio pelos ETs se deva à curiosidade natural humana e acha que seria um prazer encontrar alienígenas mais preparados do que nós para lidar com os problemas da vida. Sue Blackmore encerra o seu artigo fazendo mais uma pergunta: "Ou será que temos medo apenas de estar sozinhos no universo?".

O artigo inclui a indefectível referência à suposta perturbação que as pessoas religiosas sentiriam ao descobrirem que existem outras formas de vida inteligente no cosmos. Os ETs, afinal, seriam uma ameaça para as pessoas “de mente moldada pela religião”, escreve ela. “Se você acredita que os seres humanos foram criados à imagem de Deus e são os únicos a ter alma, consciência moral e a chance de ir para o céu ou para o inferno, a existência de vida inteligente em outros lugares ameaçaria a sua imagem da humanidade e de si mesmo. Mas, claramente, este fascínio não se restringe aos fundamentalistas” (repare na correlação que ela sugere entre pessoas “de mente moldada pela religião” e “fundamentalistas”…).

Esse tipo de pensamento é bastante comum entre os laicos que escrevem sobre a possibilidade de vida extraterrestre. Às vezes, eu me pergunto se o mais agressivamente laico dentre eles deseja que exista vida fora da Terra basicamente por supor que isto seria um golpe mortal contra a religião. Se for isto o que eles pensam, ficariam decepcionados.

Nós (os “de mente moldada pela religião”, ou “fundamentalistas”, segundo tais escritores) deveríamos mesmo nos sentir ameaçados? Mas por quê? Nós acreditamos no que acreditamos por várias razões, mas nenhuma delas se baseia na proclamação da inexistência de alienígenas. Os argumentos a favor da existência de Deus e da Ressurreição de Cristo, bem como a nossa experiência da vida na Igreja, não mudariam por causa da potencial existência de mais seres inteligentes no vasto cosmos em que vivemos. Deus poderia ter criado outros seres como criou o homem, não poderia?

E, se os criou, Ele tem lá as suas razões, assim como deve ter para ter-nos criado. Não faz muito sentido que, de repente, resolvamos não acreditar mais na Ressurreição porque descobrimos que os nossos filhos estavam escondendo um pequeno ET clandestino debaixo da cama. Em todo caso, a chegada do alienígena levantaria questões teológicas interessantes e, provavelmente, a Igreja faria algum pronunciamento a respeito.

Alguém me disse, uma vez, que os católicos consideram que o homem é o ápice da criação e que, por causa disso, a nossa fé ficaria abalada caso fosse confirmada a existência de outras criaturas dotadas de inteligência, como nós. Isso nunca me pareceu um argumento consistente. Mesmo que os alienígenas tivessem aquela aparência que os filmes ruins de ficção científica supuseram que eles têm, com tentáculos no rosto, olhos pendendo de anteninhas e pernas extras repletas de garras, nós os reconheceríamos como criaturas semelhantes a nós em dignidade. Haveria espaço para eles também no “ápice da criação”. Podemos até achar que a relação deles com a Encarnação é uma questão teológica interessante, e pessoas como C.S. Lewis também acharam, mas não seria o caso de despejar a Bíblia e o terço na lata de lixo se esses seres existissem.

  • 1
  • 2
  • 3
Tags:
CiênciaCriação
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KOMUNIA NA RĘKĘ
Claudio de Castro
Padre chora copiosamente diante da falta de respeito com a Eucari...
2
PRAYER
Desde la Fe
Coisas que você não deve fazer na Missa e talvez não saiba
3
RECONSTRUCTED CHRIST
Lucandrea Massaro
Assim era Jesus: o misterioso Homem do Sudário, reconstruído em 3...
4
HOLY FAMILY
Philip Kosloski
A antiga oração a São José que é “conhecida por nunca ter falhado...
5
MEXICO
Pablo Cesio
México: homem chega à própria missa de corpo presente
6
missionárias mártires iêmen
Reportagem local
A corajosa última oração destas 4 freiras antes de serem mortas p...
7
PRAY YOUNG
Arquidiocese de São Paulo
Rezar o terço sem contemplar os mistérios é válido?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia