Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Invocar Maria como Rosa Mística foi aprovado pela Igreja?

Carlos Amato-CC
Compartilhar

Conheça o que a Igreja Católica diz sobre as aparições de Nossa Senhora à italiana Pierina Gilli

A advocação “Maria Rosa Mística” tem uma devoção válida, pois a Igreja venera a Virgem Maria invocando-a como Rosa Mística, mas também umas aparições relacionadas. De que aparições estamos falando? Das aparições de Nossa Senhora como Rosa Mística à italiana Pierina Gilli, que começaram em 1944, em Montichiarli (Itália).

Desde o século V, a rosa era considerada símbolo da Virgem Maria; portanto, a veneração da Rosa Mística remonta aos primeiros séculos do cristianismo. E, dando um salto no tempo, podemos ver também como, dentro das Ladainhas Lauretanas (1587), inclui-se o título de “Rosa Mística” em honra da Santíssima Virgem. Esta devoção à Rosa Mística tem um impulso ou momento particular a partir das aparições.

As aparições

Ainda que as aparições tenham começado em 1944, foi na primavera italiana de 1947 que Nossa Senhora acentuou sua presença a Pierina Gilli: Lá se manifestou com a conhecida imagem das três rosas em seu peito e com uma atitude repleta de amor.

Maria Rosa Mística é o nome com que a Virgem se manifestou a Pierina. Mas em que grau de aprovação eclesiástica estão tais aparições? Estão em processo de investigação pela Igreja Católica. Portanto, o reconhecimento oficial da autenticidade das aparições de Maria como Rosa Mística ainda não chegou. Os processos de discernimento são difíceis, longos e podem ficar estancados por décadas, ou não acabar nunca.

No entanto, há um fato que cabe mencionar: no lugar das aparições, celebra-se a missa – obviamente, com a aprovação do bispo local. O que isso quer dizer? Que esta aparição, ainda que não tenha sido ainda aprovada pela Santa Sé, não está condenada, pois nestes lugares foram observados frutos – algo parecido com o que acontece com Medjugorje, cujas aparições tampouco foram aprovadas ainda.

A maioria das aparições fica neste grau de “aprovação”, e às vezes não é necessário mais nada. O fato de que não haja uma aprovação da Santa Sé não indica uma desaprovação ou uma rejeição absoluta; não implica necessariamente que a Igreja as considera falsas.

Há muitíssimas aparições que, de fato, foram consideradas falsas, entre as inúmeras reportadas. Mas não é o caso desta aparição.

Tags:
Maria
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.