Aleteia

A história do nome de Santa Verônica

Compartilhar
Comentar

“Verônica” vem de “vera icona”, que significa “verdadeira imagem” de Jesus

Santa Verônica é a mulher que entrou para a história por causa do gesto lindo e misericordioso que ela ofereceu a Jesus durante a caminhada para o Calvário para ser crucificado: ela se aproximou Dele e secou o sangue e suor de Seu santo rosto com um véu. Naquele véu, ficou impresso – de acordo com a tradição – a imagem da Sagrada Face do Messias.

Assim, a “imagem verdadeira”, ou vera icona ,de Cristo foi deixada neste pano. Acredita-se que esta seja a origem do nome “Verônica”, que foi dado a esta mulher piedosa.

Na realidade, não se sabe qual era o nome verdadeiro dela. Alguns pensam que “Verônica” pode ser uma variação do nome “Bernice”, mas não se tem certeza. O nome “Verônica” aparece pela primeira vez no apócrifo “Atos de Pilatos”.

Segundo a tradição, Santa Verônica foi uma mulher piedosa, que morava em Jerusalém e que, após a Paixão do Senhor, foi a Roma, levando esse véu especial com ela. Seu gesto de compaixão no Calvário é lembrado na Sexta Estação da Cruz.

Uma das várias tradições populares diz que, estando na Itália, Santa Verônica ficou diante do imperador romano Tibério e, quando ela o fez tocar essa imagem sagrada, ele foi curado de uma doença. Acredita-se que ela tenha vivido na capital do império durante o mesmo período que os apóstolos São Pedro e São Paulo. Após sua morte, ela deixou a relíquia da “Imagem Verdadeira” para o Papa Clemente I.

Durante o primeiro Ano Santo da história, celebrado em 1300, o Véu de Verônica foi uma das Mirabilia Urbis (maravilhas da cidade de Roma) exibidas aos peregrinos na Basílica de São Pedro.

Ninguém sabe ao certo o que aconteceu com o véu depois do Ano Santo de 1600. Alguns afirmam que a imagem original ainda esteja na Basílica de São Pedro. Outros acreditam que a imagem original seja a da Igreja da Sagrada Face em Manoppello, na Itália.

Bento XVI foi o primeiro pontífice em 400 anos a visitar a imagem em Manoppello, em setembro de 2006.

 

Compartilhar
Comentar
Boletim
Receba Aleteia todo dia