Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 30 Outubro |
Santo Angelo de Acri
home iconEstilo de vida
line break icon

Resiliência: você verga ou se quebra?

Denise Chan / Flickr CC

Psiconlinews - publicado em 13/08/17

3 coisas sobre flexibilidade que você deveria saber

Você é uma pessoa flexível ou você não aceita mudanças?

No momento de iniciar a redação desse artigo, me vem à cabeça uma frase-lema de alguns e frase-tabu de outros: “Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.”

Há quem seja profundo conhecedor de verdades e, por conhecer o que é certo e errado, tem essas certezas infalíveis e imutáveis sobre tudo. Contudo, o acumular certezas e verdades pode ser doloroso e emocionalmente extenuante.

Do ponto de vista psicológico, essa inflexibilidade pode representar possibilidades de desenvolver distúrbios e transtornos os mais diversos. Aqui, três sinais de que você poderia necessitar inclusive de apoio profissional:

1- Você sente necessidade de estar sempre com a razão

Se você precisa que todos reconheçam que você é quem está certo, sua atitude pode, na verdade, esconder seu medo de estar errado, de não saber escolher ou de ter feito escolhas erradas em sua vida. Trabalhar seus receios, seus medos, suas incertezas que embora muito bem escondidas, devem existir, é uma forma de assegurar sua saúde mental.

2- Você não muda de opinião

Muitas pessoas tem grandes dificuldades em mudar de opinião. Do mesmo modo, tem dificuldades em reconhecer que suas verdades, suas crenças, suas opiniões já não condizem mais com a realidade tal como se apresenta.

3- Você não muda de atitude

Há quem prefira “dar murros em ponta de faca”, reproduzindo velhos padrões comportamentais, se prejudicando, obtendo resultados indesejáveis, apenas por não querer ou conseguir mudar de atitude.

Esses problemas requerem atenção. Ser flexível, adaptar-se, mudar de ideia e de atitude, reconhecer a obsolência de nossas velhas certezas, abandoná-las e adotar a resiliência e a transformação como modo de sobrevivência são atitudes fundamentais para que possamos viver em harmonia em um mundo de diferenças e de questionamentos constantes.

A resiliência é, justamente, a capacidade de adaptar-se. Quando exercemos uma força sobre as extremidades de um bambu, por exemplo, ele se dobra, verga. Isso faz com que, depois da tempestade e do vento agressivo, ele possa voltar. Até há outras árvores com raízes mais profundas, com troncos mais vistosos mas que não se dobram ao vento. acabam, por ser inflexíveis, sucumbindo a ele.

De acordo com Munhoz (2014, p. 01),

Resiliência é a habilidade de se adaptar e superar com sucesso frente aos desafios e às situações estressantes. É a superação das adversidades de forma saudável e construtiva.A resiliência foi definida por Garmezy (1984) como resistência ao estresse ou invulnerabilidade frente a condições adversas. O individuo resiliente não apresenta problemas comportamentais e emocionais frente a estressores. Muitas mudanças costumam ocorrer na vida pessoal, novos desafios estão sempre surgindo, sendo assim, é importante aprender a lidar adequadamente com os desafios.A resiliência está na superação das dificuldades, a pessoa resiliente “dá a volta por cima” diante dos percalços. Mesmo diante de situações estressoras consegue ser produtiva, aprende e se desenvolve. O termo é oriundo da física, trata-se da capacidade dos materiais de resistirem aos choques e pressões sem alterar suas qualidades. Nos anos recentes o termo foi incorporado pelas ciências humanas e expressa a capacidade de um ser humano de superar adversidades.

Assim, aprender sempre, modificar-se, adaptar-se, é o mesmo que ser resiliente. Ser resiliente, no entanto, não significa ser inconstante, volúvel e sem objetivos. Pelo contrário, uma pessoa com essas características sabe que por vezes, é preciso alterar o curso, para conseguir chegar ao destino proposto.

A música de Raul Seixas, que fala de metamorfose e o risco das certezas absolutas já nos ensinava sobre Resiliência bem antes desse conceito virar moda. E você? Quando enfrenta tempestades, você verga ou se quebra???

(Por Júlia Damasceno, via Psiconlinews)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
DepressãoPsicologia
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia