Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconReligião
line break icon

São Pio X, o Papa da Eucaristia

PIUS-X

Public Domain

Aleteia Brasil - publicado em 21/08/17

“Nasci pobre, vivi na pobreza e quero morrer pobre”

São Pio X, que presidiu a Igreja como Sumo Pontífice de 1903 a 1914, ficou conhecido como “o Papa da Eucaristia”, tanto pelo seu amor pessoal a Jesus Sacramentado quanto por ter incentivado a comunhão diária de todos os fiéis, além de ter permitido que as crianças comunguem – desde que entendam Quem está na Hóstia Consagrada.

Batizado Giuseppe Sarto, ele nasceu em Risse, nas proximidades de Veneza, em 1835. Órfão de pai desde bem cedo, o pequeno Giuseppe quis abandonar os estudos para ajudar a mãe, mas ela quis que o filho continuasse estudando.

Graças a uma bolsa, ele entrou no seminário e, depois de ordenado sacerdote, foi exercendo ministérios, pastorais e cargos eclesiásticos marcados por uma curiosa coincidência: ele ficou nove anos em cada um deles. Nove anos vigário, nove anos pároco, nove anos cônego, nove anos bispo de Mântua e nove anos Cardeal Patriarca de Veneza. Ele até brincava dizendo que só lhe faltavam nove anos de Papa!

E…

Em 1903, morreu o grande Papa Leão XIII e, no conclave, a fumaça branca anunciou ao mundo que o novo Papa de Roma se chamaria Pio X. Era ele, o cardeal Giuseppe Sarto.

Independência entre Igreja e poderes civis

Uma das primeiras medidas do seu pontificado foi acabar com o suposto “direito” do poder civil de interferir nas eleições papais. De fato, o próprio conclave que o elegera tinha sofrido ingerência do imperador austro-húngaro Francisco José, que vetou o nome do cardeal Mariano Rampolla del Tíndaro, até então considerado um dos favoritos ao papado. Aquela foi a última vez, de fato, que um governante exerceu o poder de veto em um conclave da Igreja.

A separação entre Igreja e Estado prosseguiu também na França, favorecendo que a Santa Sé pudesse nomear diretamente os bispos daquele país. Até 1905, as nomeações episcopais precisavam passar pelo crivo dos poderes civis franceses.

São Pio X defendeu com ênfase os oprimidos, como no famoso episódio em denunciou os maus tratos impostos aos índios nos seringais da Amazônia peruana. Ele mesmo visitava as redondezas do Vaticano para conversar com as pessoas, tocando sempre no tema do Evangelho do dia.

Fama de santidade

Quando alguém o chamava de “santo”, ele respondia bem-humorado: “Não é santo, é Sarto”, em referência ao próprio sobrenome.

No entanto, a fama de santidade crescia a olhos vistos, envolvendo inclusive prodígios como o caso de um homem que, durante uma audiência pública, lhe mostrou seu braço paralisado e pediu a graça da cura. O Papa se aproximou, tocou no braço sorrindo e disse: “Sim, sim”. O homem recuperou os movimentos do braço.

São Pio X ainda profetizou a eclosão da Primeira Guerra Mundial, em 1914. “Esta será a última aflição que o Senhor me envia. Com gosto eu daria a vida para salvar os meus pobres filhos desta calamidade terrível”, declarou poucos dias antes de falecer em 20 de agosto daquele mesmo ano, tão trágico para a história da humanidade.

Papa da Eucaristia e do Catecismo

Mas a sua grande fama é mesmo ligada ao seu intenso amor eucarístico. São Pio X escreveu vários decretos sobre o Sacramento da Eucaristia, recomendando e louvando a comunhão diária e promovendo a primeira comunhão das crianças que já entendessem que a Santa Hóstia é o próprio Jesus.

A propósito dessa compreensão, ele também fez grandes esforços para que os católicos em geral conhecessem melhor a própria fé. Por sua iniciativa, foi desenvolvida uma versão em linguagem muito simples de todos os conteúdos do Catecismo, ricamente ilustrada e até hoje conhecida como “o Catecismo de São Pio X”.

Confira aqui um artigo de Aleteia baseado nesse precioso recurso catequético da Igreja, falando sobre o Espírito Santo:

Afinal, quem é o Espírito Santo?

Canonização

São Pio X, que deixara escrito em seu testamento “Nasci pobre, vivi na pobreza e quero morrer pobre”, foi canonizado em 1954 pelo Papa Pio XII.

Fazia quase 250 anos que um Papa não era elevado aos altares: o último tinha sido São Pio V, canonizado em 1712.

Sua festa litúrgica é celebrada em 21 de agosto.

Tags:
CatecismoEucaristiaSantos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia