Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O que têm a ver um cachorro, São Roque, São Domingos e os dominicanos?

cachorros e espiritualidade católica
Creative Commons
Compartilhar

Não, não é uma piada

O cachorro já era considerado “o melhor amigo do homem” há milhares de anos. Podemos vê-lo exercendo esse “papel” até em episódios da própria Bíblia, como é o caso do cão fiel de Tobias (cf. Tobias 5,16).

Em certos períodos da história, os cães chegaram a ser associados à cura de doenças humanas em virtude de propriedades atribuídas à sua lambida, que sanaria ferimentos. São Roque, muito invocado no século XIV como intercessor contra a peste que assolava o continente europeu, era costumeiramente retratado, por exemplo, junto ao seu fiel cachorro (imagem abaixo).

Mais tarde, o cão preto e branco se tornou uma espécie de “símbolo” da ordem dominicana, ou, mais diretamente, do seu fundador, São Domingos.

Isto se deveu, em parte, a um trocadilho entre a palavra “dominicanos” e a frase latina “Dómini canes”, que quer dizer “cães do Senhor”, no sentido de guardiães fiéis do cristianismo.

Além disso, corria um popular relato sobre a vida de São Domingos narrando que a mãe dele teria tido um sonho em que dava à luz um cachorro com uma tocha na boca – e esse cachorro incendiaria o mundo. Este curioso relato popular evocava a missão evangelizadora que, fielmente, São Domingos de fato exerceu.

VEJA TAMBÉM:

O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrário!

Foi em 1995, durante a viagem apostólica do papa São João Paulo II aos Estados Unidos, dentro de uma capela “vazia”…

LER ESSA HISTÓRIA

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.