Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Aleteia

Quando estes ladrões “esfaquearam” a Eucaristia, não imaginaram o que aconteceria depois

Compartilhar
Comentar

Os criminosos ficaram aterrorizados com o que viram

No século XIV, em Bruxelas, na Bélgica, um comerciante tomou ódio da fé católica. Ele quis causar o máximo de dor aos católicos locais e elaborou um plano para roubar hóstias consagradas de uma igreja.

No meio da noite, um ladrão contratado por ele invadiu a igreja e roubou 16 hóstias do tabernáculo. O sujeito levou as hóstias para o comerciante, que as guardou em sua casa durante um tempo.

Na Sexta-feira Santa de 1370, as hóstias foram exibidas pelo comerciante para um grupo de amigos seus. Eles pegaram facas e começaram a cortá-las. Inesperadamente, as hóstias cortadas começaram a sangrar. Os ladrões ficaram aterrorizados. O sangue não parava de jorrar dos cortes. Eles, então, pegaram as hóstias e as levaram a um católico que eles conheciam.

Sentindo o peso da culpa sobre eles, os homens confessaram a história a um padre e foram denunciados para as autoridades locais.

As hóstias foram consagradas na Catedral de São Miguel e permaneceram lá até a Segunda Guerra Mundial. Ao longo dos séculos, o milagre se tornou uma devoção local. Foi um lembrete da real presença de Jesus na Eucaristia, ligando dramaticamente o sacramento aos acontecimentos da Sexta-feira Santa.