Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

A “Copa do Mundo de Padres” começa no final deste mês em Roma

Clericus Cup - Divulgação
Compartilhar

Vem aí a XII Clericus Cup - e neste ano tem novidade na já peculiar arbitragem deste já peculiar campeonato!

A bola vai rolar a sério a partir do final de fevereiro nos gramados romanos: começará na Cidade Eterna a XII Clericus Cup, que popularmente é conhecida como a “Copa do Mundo dos Padres“. O torneio é disputado por times dos seminários e centros de formação de sacerdotes na capital italiana e é realizado em parceria pelo Centro Esportivo Italiano, pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida e pelo Pontifício Conselho para a Cultura, do Vaticano. Na edição de 2017, participaram 404 padres de 66 nacionalidades em 18 times.

Também chamada de Campeonato Mundial Pontifício, a Clericus Cup é uma iniciativa de integração e convivência fraterna entre os sacerdotes e seminaristas que estudam em Roma.

Clericus Cup - Divulgação

Por isso mesmo, o campeonato adapta as regras do futebol tradicional para lhes dar um sentido mais transcendente: não há cartões amarelo e vermelho, por exemplo, mas apenas o “cartão azul”, que é levantado pelo árbitro quando algum jogador fica de cabeça mais quente que o adequado. Nesse caso, o atleta que cometeu a indisciplina é convidado a “refletir sobre o que fez” durante oito minutos. Além dessa educativa adaptação, outra diferença é que cada tempo das partidas dura meia hora em vez de 45 minutos.

Clericus Cup - Divulgação

Na edição 2018, pela primeira vez, um mesmo sacerdote será o árbitro oficial de todo o campeonato: Jordan Coraglia, 43 anos, da diocese italiana de Brescia. Ele já foi árbitro de futebol na sua própria cidade antes de entrar no seminário. Ele afirma que “podemos educar e evangelizar através do esporte, inclusive com o apito”.

De fato, a Igreja sempre incentivou as atividades esportivas como meio saudável de integração, amizade e cuidado do próprio corpo, que é templo do Espírito Santo. E não faltam pastorais e iniciativas que juntam esporte e fé, como é o caso deste chamativo projeto que vem sendo executado em vários países:

“Desafie o Padre”… no futebol! Quem ganhar, reza pelo outro!

Pe. Luis Fernando Costa / Captura de Tela