Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

5 filmes clássicos para a Semana Santa

5 filmes semana santa
Divulgação
Compartilhar

Sim, um bom filme também pode ser um excelente material para a contemplação e a oração

A Paixão de Cristo (2004)

Extrait du film "La Passion du Christ" de Mel Gibson

É uma adaptação dos últimos dias de Jesus Cristo realizada por Mel Gibson. Filmado em latim e aramaico, idiomas que Jesus falou, e projetado em todo o mundo em versão original por desejo do diretor, o filme atraiu a atenção de todos pela crueza e realismo de suas imagens.

Jesus de Nazaré (1977)

Jesus de Nazaré Franco Zeffirelli
RAI / ITC

Embora se trate de uma minissérie de televisão e não de um filme, o trabalho de Franco Zeffirelli é talvez o melhor relato sobre o nascimento, feitos e morte de Jesus Cristo. O Beato Paulo VI, depois de assistir essa produção, recebeu em audiência o diretor de cinema Franco Zeffirelli e agradeceu-lhe por este trabalho sobre a vida do Senhor. O Papa Francisco também recebeu o diretor na Casa Santa Marta, em audiência privada.

Ben Hur (1959)

Ben Hur 1959
Metro-Goldwyn-Mayer

William Wyler assinou uma épica superprodução protagonizada por Charlton Heston, Stephen Boyd e Jack Hawkins que obteve 11 prêmios Oscar. Narra a história de dois velhos amigos que se enfrentam. O rosto de Jesus Cristo não aparece no filme, mas a Sua presença marca toda a vida de Judah Ben-Hur.

Os Dez Mandamentos (1956)

THE TEN COMMANDEMENTS
Paramount Pictures

Charlton Heston volta a aparecer nesta épica adaptação da história de Moisés e os Dez Mandamentos, dirigida pelo lendário Cecil B. DeMille. A superprodução é de proporções bíblicas: são quase quatro horas de duração, com efeitos especiais que, avançados para a época e ainda hoje impressionantes, renderam um Oscar aos diretores. A cena da abertura do Mar Vermelho entrou para a história da sétima arte como uma das mais impressionantes do cinema.

Marcelino Pão e Vinho (1955)

Adaptação do célebre livro do autor espanhol José María Sánchez Silva, o filme também é uma produção espanhola aplaudida em importantes festivais de cinema e grande sucesso de bilheteria em várias partes do mundo. Um frade franciscano relata a uma menina doente a lenda de Marcelino, bebê abandonado na porta de um convento masculino. Os doze frades do convento procuram pais adotivos para ele, mas, não encontrando candidatos, acabam eles próprios criando Marcelino. O garoto cresce fazendo travessuras e levando os pobres frades à beira da loucura com a sua espontaneidade e fervilhante imaginação. Sem outras crianças da sua idade para brincar, ele se diverte inventando apelidos para os religiosos, contando histórias inacreditáveis e até criando um amigo imaginário, a quem ele chama de Manuel. Acontece que uma das histórias que Marcelino conta aos religiosos acaba desafiando a curiosidade deles, que decidem conferir pessoalmente. É quando eles constatam, com grande surpresa, o poder divino da inocência. Marcelino se transforma então no protagonista de um belíssimo e comovente milagre que envolve Jesus Crucificado – e esse milagre marcará para sempre o vilarejo do filme e a vida real de todos os espectadores.

_______

A partir de matéria da ACI Digital