Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O que Jesus faz lá no céu? Será que a eternidade é entediante?

SAMOTNY MĘŻCZYZNA
Alexander Mils/Unsplash | CC0
Compartilhar

Assuntos para o Papa Francisco

Durante a missa na capela da Casa Santa Marta do dia 27 de abril de 2018, O Papa Francisco explicou a simbologia da conquista do céu para os cristãos:

 “Estamos em caminho… e quando fazemos esta pergunta – ‘Sim, em caminho: mas em caminho para onde?’ – ‘Sim, para o céu!’ – ‘E o que é o céu?’. E ali começamos a escorregar nas respostas, não sabemos bem como dizer ‘o que é o céu’. E muitas vezes pensamos num céu abstrato, um céu distante, um céu. Alguns pensam: ‘Mas será um pouco entediante estar ali toda a eternidade?’. Não: o céu não é isso. Nós caminhamos rumo a um encontro: o encontro definitivo com Jesus. O céu é o encontro com Jesus”.

O Papa ainda falou sobre o que Jesus faz lá no céu enquanto nós caminhamos ao seu encontro:

 “Ele não está sentado me esperando, mas, como diz o Evangelho, trabalha para nós. Ele mesmo diz: ‘Tende fé em mim também’, ‘Vou preparar um lugar para vós’.
E qual é o trabalho de Jesus? A intercessão. A oração de intercessão”,
explicou o Papa.

Francisco também se referiu às palavras de Jesus na Última Ceia, quando Ele promete rezar por Pedro:

“Cada um de nós deve dizer: ‘Jesus está rezando por mim’, está trabalhando, está preparando aquele lugar. E Ele é fiel; Ele é fiel: o fará porque prometeu. O céu será este encontro, um encontro com o Senhor que foi ali preparar o lugar, o encontro com cada um de nós. E isso nos dá confiança, faz crescer a confiança.”

Por último, o Papa reiterou que Jesus é o sacerdote intercessor até o final do mundo. E concluiu:

“Que o Senhor nos dê esta consciência de estar em caminho com esta promessa. O Senhor nos dê esta graça: de olhar para o alto e pensar: ‘O Senhor está rezando por mim’”.