Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 15 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Carta ao meu bebezinho que foi para o Céu

NEWBORN,PREEMIE

PD

Reportagem local - publicado em 30/07/18

“Meu grande consolo é saber que um dia estaremos juntos novamente - e, desta vez, para sempre"

Quando uma grávida recebe a trágica notícia de que seu bebê está com alguma malformação ou sofrendo um grave problema dentro do ventre, as primeiras perguntas que vêm à cabeça dela são : O que fazer? Um aborto seria a solução? É uma “injustiça” continuar a gravidez, como muitos médicos afirmam?

Quando Alfonso e Susi, um casal espanhol, foram informados de que o pequeno Ismael tinha uma doença cardíaca séria e não sobreviveria, eles se sentiram terrivelmente golpeados. Mas aceitaram esse grande desafio como sendo a vontade de Deus e optaram por continuar a gravidez, apesar da forte pressão das pessoas que queriam que eles abortassem. Ismael nasceu em 8 de dezembro, solenidade da Imaculada Conceição, foi batizado e dois dias depois morreu pacificamente nos braços da mãe.

Ela escreveu sobre essa experiência em uma breve e profunda carta endereçada ao guerreiro Ismael. Confira!

“Meu grande anjinho Ismael, Sua passagem pelas nossas vidas foi como uma brisa suave. Tive a sorte de poder carregá-lo em meu ventre por sete meses, sofrer com você e por você, pedir a Deus para que eu não tivesse que te dizer adeus. Eu te amei desde o começo, e não me preocupei com o que você poderia ser, mas te acompanhei, apesar de saber o quanto a sua perda me machucaria. Você nasceu no dia da Imaculada Conceição e foi embora com a Virgem de Loreto. Agora, eu não te sinto mais dentro de mim nem posso te segurar nos meus braços ou te beijar novamente…a dor e o vazio em meu coração são imensos. Mas eu viveria de bom grado tudo isso de novo para te conhecer, te amar, te esperar e te embalar nos meus braços, banhando seu rostinho com minhas lágrimas. Você foi uma bênção para nós e nos deu uma profunda lição de amor, de simplicidade, de humildade, de dedicação e de como é importante lutar pelo dom da vida. Quando eu te peguei nos meus braços, você abriu os olhinhos, olhou para mim e me mostrou que tudo tudo o que passamos valeu a pena. Dayenu! [Expressão em hebraico que quer dizer “foi o suficiente”]. A dor que eu sinto agora é intensa, mas o amor que eu sinto por você é muito maior que isso. Eu me sinto a mãe mais agraciada do mundo por ter tido um filho como você. Você sempre estará em nossos corações. Meu grande consolo é saber que um dia estaremos juntos novamente – e, desta vez, para sempre. Eu te amo, meu querido filho, alma da minha alma. Quantos frutos sua curta vida deu, meu amor! Eu dou graças a Deus por Ele ter me escolhido para carregar este anjo em meu útero. Reze por nós, filho, para que ninguém seja capaz de remover do meu coração a marca que você deixou.”

Tags:
AbortoBebêsGravidezMaternidade
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia