Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Aleteia

A religiosa que conversava com o Sagrado Coração de Jesus

SACRED HEART
Compartilhar

Você a conhece?

É do conhecimento de todos: o Sagrado Coração de Jesus se manifestou para a Santa Margarida Maria Alacoque e lhe deixou 12 promessas.

Mas a Irmã Maria do Divino Coração, na história, foi essencial para a devoção atual do Sagrado Coração de Jesus. Irmã Maria foi uma alemã, cujo nome de nascimento era Maria Droste zu Vischering. Filha de uma das mais nobres famílias da Alemanha, distinguiu-se pela sua fidelidade à Igreja Católica.

MARIA, DROSTE
Wikipedia
Irmã Maria do Divino Coração

Desde criança já se sentia atraída pelo Sagrado Coração de Jesus. Para a Irmã Maria, essa devoção sempre se fundiu por inteiro com a devoção ao Santíssimo Sacramento. Conforme ela própria declarou:

“Nunca pude separar a devoção ao Coração de Jesus da devoção ao Santíssimo Sacramento. E nunca serei capaz de explicar como e quanto o Sagrado Coração de Jesus se dignou favorecer-me no Santíssimo Sacramento da Eucaristia”.

Durante as pregações, Maria ouvia que Jesus falava com ela. Em 1878, Maria escutou uma pregação sobre a passagem bíblica que diz:

“Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma”.

Ela reagiu da seguinte forma:

 “Nesse preciso momento pensei: tens que te tornar Religiosa! Teria preferido que os meus ouvidos não tivessem escutado, mas é impossível resistir à voz de Deus”.

Outra vez fora no ano de 1883, na capela do Castelo de Darfeld. Ela escutou uma locução interior de Jesus, que lhe disse:

 “Tu serás a esposa do Meu Coração”

E tornou a ouvir a voz de Jesus: 

 “Tens de entrar no Convento do Bom Pastor”.

Foi então que em 1894, que chegou a Portugal, conservando bem sua devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Desde o momento em que chegou à capital portuguesa, entronizou na capela uma imagem do Sagrado Coração de Jesus e promoveu essa devoção entre as irmãs.

Em pouco tempo foi nomeada para o seu cargo definitivo: Madre Superiora do Convento das Irmãs do Bom Pastor do Porto.

Ela, então, escreveu ao Papa duas cartas, uma em junho e outra em dezembro de 1898, transmitindo o grande desejo que o Coração de Jesus lhe manifestara.

A leitura dessas cartas impressionou profundamente o Santo Padre. Leão XIII decidiu, então, consagrar todo o gênero humano ao Sagrado Coração de Jesus.

Em 1896 os médicos diagnosticam que ela sofria de uma doença muito dolorosa, na qual ficava submergida. Infelizmente, quando o Papa veio a consagrá-la ao Sagrado Coração de Jesus, Maria já estava à beira de sua morte. A Irmã Maria do Divino Coração morreu no dia 8 de junho de 1899.

O seu corpo, encontrado incorrupto quando da sua primeira exumação, está atualmente exposto para veneração pública na Igreja do Sagrado Coração de Jesus em Ermesinde, no norte de Portugal. Seu processo de canonização está em curso.