Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Tragédia de Campinas: filho foi morto protegendo a mãe

Sidnei Vitor Monteiro
Sidnei Vitor Monteiro / Reprodução EPTV
Compartilhar

Mãe de 65 anos sobreviveu e ainda não sabe que o filho morreu

Entre as pessoas atingidas no brutal ataque perpetrado ontem na catedral de Campinas, logo após a celebração da Santa Missa do meio-dia, há duas de uma mesma família.

Mais precisamente: mãe e filho.

Mais impactante: a mãe sobreviveu e ainda não sabe que o filho foi morto.

Mais impactante ainda: o filho foi morto tentando defender a mãe.

Sidnei Victor Monteiro, de 39 anos, e sua mãe Jandira Monteiro, 65, são do município paulista de Hortolândia e haviam ido a Campinas para uma consulta odontológica. Antes, porém, resolveram passar na catedral para fazer uma oração.

Em declarações à imprensa, chorando muito, o jovem Thiago, 19 anos, neto de Jandira e sobrinho de Sidnei, contou ter falado com a avó por mensagem de texto instantes antes do ataque.

“Ela queria saber do meu joelho, que está machucado. Perguntou se fui ao médico e se peguei atestado”.

Thiago confirmou que Jandira costumava passar pela catedral metropolitana de Campinas quando se dirigia a consultas médicas.

A respeito do tio, o jovem o descreveu como “muito querido pela família e pelos amigos“. Sidnei era casado, tinha um enteado e trabalhava na Universidade de Campinas (Unicamp). Quando soube através do pai que Sidnei tinha sido morto, Thiago ficou profundamente abalado:

“Eu não acredito, não acredito! Meu tio não…”

Um primo da vítima, citado pelo jornal Extra sem identificação, testemunhou sobre o último gesto de Sidnei nesta vida:

“Ele morreu tentando proteger a mãe dele”.

Jandira chegou ao hospital municipal Mario Gatti com ferimento no tórax, estilhaço na mão direita e fratura na clavícula. Ela segue em estado de observação e, segundo seu outro filho, Sílvio Antonio Monteiro, de 47 anos, ainda não sabe da morte de Sidnei. Sílvio declarou à imprensa:

“Não consigo falar o que estou sentindo porque nem vi o meu irmão. Minha mãe pergunta dele toda hora, mas eu disse a ela que ele está bem, está sendo bem cuidado”.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.