Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

A igreja que parece estar suspensa no ar

MADONNA DELLA CORONA; VERONA
Compartilhar

Conheça o santuário que leva milhares de pessoas ao norte da Itália todos os anos

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

A maioria dos turistas chega a Verona, no norte da Itália, para admirar a mundialmente famosa varanda de Romeu e Julieta, de Shakespeare. Mas muitos visitantes não sabem que a poucos quilômetros ao norte da cidade se encontra uma das igrejas mais originais da Europa. O Santuário da Madonna della Corona, (Santuário de Nossa Senhora da Coroa), foi construído em 1530, esculpindo a face de rocha do Monte Baldo nos Alpes Gerdeneses. Agarrado ao penhasco acima do Lago Garda, parece que está suspenso no ar.

As origens da Igreja do Monte Baldo, como os locais a chamam, remontam ao século XIV, quando as formações de cavernas naturais começaram a atrair homens santos que queriam passar períodos de reflexão e oração no local. Em 1530, quando a estrutura mais antiga da igreja atual foi construída, ela só podia ser alcançada por uma passagem minúscula pendurada no penhasco. Por muito tempo, somente os devotos mais aventureiros ousaram chegar à igreja. De fato, um dos nobres locais decidiu marcar sua dedicação à igreja difícil de se chegar, deixando uma estátua de pedra de 70 cm de altura que ainda leva o nome de sua família.

Nos últimos 500 anos, os habitantes locais tentaram tornar esta igreja aparentemente suspensa mais acessível. Primeiro, eles construíram uma ponte de madeira no fundo do vale para que os visitantes não precisassem mais atravessar um rio para chegar lá. Depois, no século 16, eles construíram duas grandes escadarias que levavam à igreja, poupando as pessoas de caminharem por uma via rochosa

Em 1625, à medida que mais e mais peregrinos se dirigiam a esse canto remoto do norte da Itália para visitar a igreja, os habitantes locais decidiram construir uma estrutura maior, localizada a três metros da primeira igreja, que foi incorporada ao presbitério da nova igreja.

A igreja permaneceu intacta durante as duas guerras mundiais que assolaram a região no século XX. Mas sofreu danos graves devido ao desgaste causado pelo tempo. Em 1974, o bispo Giuseppe Carraro pediu a Guido Tisato para reformar a igreja. Tosato decidiu demolir a construção existente para construir uma nova baseada em fundações mais sólidas. Em 1978, a nova igreja foi consagrada pelo bispo Carraro e, em 1982, entrou na lista das “basílicas menores” da Itália. Mas o que pode ser considerado o destaque de sua história de 500 anos ocorreu em 1988, quando o papa João Paulo II visitou a basílica e liderou os fiéis em um culto coletivo de oração à Nossa Senhora da Coroa.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.