Aleteia

“Irmã Dulce não andava com Bíblia embaixo do braço: ela era uma Bíblia ambulante”

Domínio Público
Compartilhar

O pe. Gabriel Vila Verde recorda que a fé sem obras é morta: “Todo o resto é farisaísmo, fanatismo, ideologia”

Reconhecido nas redes sociais por se pronunciar sem papas na língua em defesa da doutrina católica, o pe. Gabriel Vila Verde recordou, em postagem no Facebook, que “a fé sem obras é morta” e que de nada serve alardear as Escrituras e não as viver:

Algumas seitas ditas cristãs gostam de se exibir com a Bíblia, para dizer ao mundo que seus membros obedecem ao livro sagrado.

A verdade é que o simples conhecimento da Bíblia não me faz ser um cumpridor da Palavra. Segundo a própria Escritura, quem vai ser salvo são aqueles que, pela fé em Cristo e pela pertença ao Seu corpo que é a Igreja, praticam a CARIDADE, como está em Mateus 25: “Estive com fome e me destes de comer. Estive com sede e me destes de beber”. Todo o resto é farisaísmo, fanatismo, ideologia.

Irmã Dulce levou a sério os mandamentos de Cristo sem nunca ter carregado o livro da Bíblia debaixo do braço. Ela era uma Bíblia ambulante. Vivam os santos da Igreja, que com seus exemplos nos livram de imitar os Doutores da Lei.

Boletim
Receba Aleteia todo dia