Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Conheça (e adote) a devoção “Detém-te! O Coração de Jesus está comigo!”

Creative Commons
Compartilhar

Desenhado pela mãe de um soldado que voltou da guerra mesmo tendo levado um tiro no peito, este emblema nos acompanha nas batalhas da fé

Existe um pequeno emblema dedicado ao Sagrado Coração de Jesus que se tornou conhecido como “Detém-te“.

Ele é semelhante a uma medalha de tecido, ou a um escapulário, e pode ser trazido ao peito ou preso à roupa. Seu desenho contém a imagem do Sagrado Coração circundada por uma afirmação poderosa:

“Detém-te! O Sagrado Coração de Jesus está comigo!”

Origem

De acordo com a tradição, uma mãe romana consagrou seu filho ao Sagrado Coração e à Santíssima Virgem Maria em 1870, quando ele partia para a guerra da unificação da Itália. O jovem fazia parte dos Zuavos Pontifícios, um regimento militar dos Estados Pontifícios a respeito dos quais você pode saber mais acessando este artigo:

Depois de consagrar o filho, a mãe lhe entregou um emblema do “Detém-te”, que ela própria tinha desenhado num pedaço de pano vermelho, e lhe afirmou que o Sagrado Coração o traria incólume de volta da guerra. O filho voltou mesmo, não apenas são e salvo, como testemunhando algo extraordinário: um tiro o tinha atingido em pleno peito, exatamente sobre o “Detém-te”, sem lhe causar ferimento algum.

A bênção e a oração do Papa

A mãe relatou esse caso ao Papa Pio IX, que aprovou esta nova devoção e declarou a seu respeito:

“Esta, minha senhora, é uma inspiração do céu. Abençoo este Coração e quero que todos os que forem feitos conforme este modelo recebam esta mesma bênção, sem necessidade de que um sacerdote a renove. Desejo ainda que de modo algum Satanás consiga prejudicar quem trouxer consigo o escudo símbolo do Coração adorável de Jesus”.

Pio IX também compôs esta oração ao Sagrado Coração de Jesus:

“Abri-me o vosso Sagrado Coração, ó Jesus!

Mostrai-me os Seus encantos, uni-me a Ele para sempre.

Que todos os movimentos e palpitações do meu coração,
mesmo durante o sono, Vos sejam um testemunho do meu amor
e Vos digam sem cessar: Sim, Senhor Jesus, eu Vos adoro…

Aceitai o pouco bem que faço e fazei-me a mercê de reparar o mal cometido,
para que Vos louve no tempo e Vos bendiga por toda a eternidade.

Amém.

Sagrado Coração de Jesus, eu confio em Vós” (repetir esta jaculatória 3 vezes).

Em 1872, o mesmo Papa concedeu cem dias de indulgência a todos os que vierem a usar o “Detém-te” e rezarem um pai-nosso, uma ave-maria e o glória.

O “Detém-te” e os combates pela fé

Contrarrevolucionários franceses usaram o “Detém-te” numa versão em que o Sagrado Coração era coroado por uma cruz e acompanhado das palavras “Le Roi” (“O Rei”), atribuídas a Cristo. Os cristeros mexicanos também o usaram em sua resistência ao governo anticristão que os perseguiu de modo sangrento entre 1926 e 1929. Naquele caso, o emblema dizia: “Detém-te, inimigo mau; o Coração de Jesus está comigo“. Já os católicos de Cuba, resistindo ao regime de Fidel Castro, usavam o emblema com a versão “Detém-te, bala inimiga, que o Coração de Jesus está comigo“.

Boletim
Receba Aleteia todo dia