Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

3 passos para derreter a frieza das emoções

son hugs father
By sebra|Shutterstock
Compartilhar

Se você é frio(a) e não nada parece incomodá-lo(a), pode ser que você esteja com as emoções congeladas

Se você atingiu um estado de frieza emocional, pode até pensar que não sente a dor e que custa simpatizar com o sofrimento dos outros.

Mas por que se desenvolve a frieza das emoções?

Existem várias causas:

Anulação: “Para não incomodar, não falo”. A pessoa anula sua dor por medo de incomodar o outro. Como resultado disso, há uma falta de habilidades de gerenciamento emocional e isso produz uma desconexão com o que a pessoa realmente sente.

Desvalorização: “Há outros que sofrem mais que eu, o meu sofrimento não é tanto.” Essa é uma atitude de resignação diante da dor se que está sofrendo. Essas pessoas sofrem, mas menosprezam o que sentem.

Negação: “Eu não paro muito para analisar o que sinto, é preciso seguir em frente”. Aceitar que todo mundo tem sua mochila emocional e que ela gera dor não é algo que agrade, mas quem nega isso procura evitar o sofrimento.

Quais são os passos para derreter a frieza das minhas emoções?

1. Dê voz ao que te causa sofrimento

Mesmo que você não tenha o hábito de falar sobre o que sente, dar um nome ao que te acontece dará estabilidade, segurança e paz.

Existem três perguntas que podem ajudá-lo a se conectar emocionalmente:

  • O que aconteceu objetivamente?
  • O que eu sinto? O que meu corpo sente? (angústia, dor, pressão). Esses sintomas vão dar uma dica do que você realmente sente.
  • Que penso? Que conclusões retiro do que vivi.

2. Mantenha a boa higiene da mente e do coração

Elimine todos os pensamentos que te influenciam emocionalmente e lembre-se:

  • Não fico mais forte por resistir e calar tudo.
  • Eu me permito expressar minhas emoções e necessidades.
  • Agora sou capaz de me proteger e me dar o valor que tenho.

3. Encontre espaços onde possa se expressar

Compartilhar a dor, a preocupação e a angústia, em um ambiente de confiança e clareza, alivia o peso produzido pelas dificuldades emocionais. Precisamos de pessoas que respeitem nosso espaço para conseguir nos expressar e desabafar.

Não esqueça que as emoções fazem parte da vida e que é necessário aprender a gerenciá-las. Nomeie o que sente, identifique e clarifique seus sentimentos.

Boletim
Receba Aleteia todo dia