Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 15 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Gravemente ferido, foi libertado um dos 4 seminaristas sequestrados na Nigéria

seminaristas-sequestrados.jpg

Conferência Episcopal da Nigéria

Reportagem local - publicado em 21/01/20

Bandidos o abandonaram à beira de uma estrada. Conferência episcopal continua agindo em coordenação com a polícia pela libertação dos outros três.

Foi libertado neste domingo, 19, um dos quatro seminaristas que haviam sido sequestrados na Nigéria no dia 8 de janeiro.

Segundo a Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN, pela sigla em inglês usada mundialmente), o jovem foi deixado numa estrada entre Kaduna e Abuja:

“Um dos seminaristas foi libertado. Ontem à tarde, ele foi encontrado à beira da estrada. Já estava gravemente machucado antes de ser sequestrado e sua situação se tornou dramática. Foi por isso que os sequestradores o soltaram. Ele agora está recebendo tratamento hospitalar e reagindo bem. Deus abençoe a todos vocês e obrigado pelas suas orações”.

A Conferência Episcopal regional da África Ocidental continua agindo em coordenação com a polícia nigeriana pela libertação dos outros três seminaristas que continuam reféns.

O caso

Na semana passada, a Conferência Episcopal da Nigéria pediu orações pela libertação de 4 seminaristas sequestrados no norte do país por um bando armado. Os bandidos invadiram na noite de 8 de janeiro o seminário em que vivem 268 estudantes e, no sábado, 11, entraram em contato com as famílias, mas não pediram resgate.

Embora isto pareça inusual em se tratando de um sequestro, é uma estratégia comum do grupo fanático islâmico Boko Haram: os sanguinários terroristas, aliados do Estado Islâmico na África Ocidental, têm multiplicado os sequestros de cristãos, especialmente de sacerdotes, para intensificar o pânico entre os seguidores de Cristo e, gradualmente, “eliminar do mapa” a presença cristã. Um dos objetivos declarados do bando é a criação de um Estado teocrático islâmico baseado na sharia.


Terroristas do Boko Haram

Leia também:
Nigéria: Boko Haram e radicais fulani mataram mais de 1.000 cristãos em 11 meses

Tags:
IgrejaPerseguiçãoViolência
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia