Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 20 Outubro |
São Cornélio
Aleteia logo
home iconEstilo de vida
line break icon

3 erros comuns de pais que não veem muito seus filhos

FAREWELL

Shutterstock-fizkes

Cecilia Zinicola - publicado em 06/02/20

Podemos ser afetivos no tempo compartilhado com eles sem cair nas armadilhas mais frequentes

Os pais separados ou divorciados costumam ver seus filhos nos dias estipulados. Outros, por motivos de trabalho, precisam viver separados e o tempo compartilhado com os filhos é limitado.

De qualquer forma, as crianças sempre precisam dos pais, mesmo que estejam longe e, não tendo uma vida cotidiana juntos, aproveitar esse tempo valioso se torna um verdadeiro desafio.

Seguindo o conselho do escritor americano Gary Chapman, podemos evitar certos comportamentos que nos impedem de passar um tempo de qualidade com nossos filhos.

1Pai/Mãe Disneylândia

Como a quantidade de tempo para compartilhar com as crianças não é grande, os pais tendem a planejar cada encontro com antecedência, procurando fazer algo divertido e, no final, passamos o dia principalmente em jogos, compras ou atividades recreativas.

Não há nada errado em se divertir, mas o problema aparece quando prestamos mais atenção às atividades do que aos próprios filhos. Além disso, a vida não é apenas diversão e jogos. As crianças também precisam ver seus pais em circunstâncias mais normais.

Ao não participar da rotina diária, os pais têm menos probabilidade de saber o que está acontecendo dentro da mente e do coração da criança ou do jovem. Por isso, é importante não esquecer, além das brincadeiras e jogos, buscar espaço para o diálogo aberto em um ambiente descontraído.

Um estudo indica que, embora a maioria dos pais acredite ter cumprido suas obrigações, três em cada quatro jovens têm a impressão de que eles não significam muito para os pais. Eles dizem que estão fisicamente presentes, mas falta algo.

Se os pais não conseguem descobrir as necessidades emocionais de seus filhos, eles não podem atendê-los. O pai (a mãe) acreditará que está amando e fez algo de bom pelo filho, mas ele se sentirá rejeitado e insatisfeito com um vazio emocional que precisa ser preenchido.

2Realmente não estar com eles

Outro dos erros que geralmente são cometidos durante o horário da visita é quando os pais têm compromissos e pedem para os filhos fazerem alguma tarefa enquanto ele/ela está ausente ou atarefado. O problema é que, no final, não estamos realmente com eles.

Incluir as crianças no ritmo normal da vida dos pais, fazendo com que elas participem de tarefas como fazer compras ou ir ao banco para resolver alguma coisa pode ser uma experiência muito positiva, através da qual eles podem aprender muito.

No entanto, as crianças percebem quando os adultos estão tirando vantagem delas; quando o interesse do pai/mãe estiver mais focado em cumprir a agenda. O resultado será que eles evitarão passar tempo com aquele pai ou mãe novamente.

3Pensar que tudo está indo bem

Outro erro frequente que os pais cometem é pensar que o silêncio de nossos filhos indica que está tudo bem. A maioria das crianças e jovens que vive o drama da separação dos pais precisa expressar sentimentos e emoções, mas geralmente eles relutam em discutir suas lutas emocionais com o progenitor que não veem frequentemente por diferentes razões.

Alguns temem que, se forem sinceros com seus sentimentos, serão rejeitados e as visitas cessarão; outros se lembram das brigas e temem falar sinceramente, ou simplesmente se abstêm de fazê-lo porque não querem criar mais problemas.

É importante que os pais possam criar uma atmosfera de diálogo sem medo de represálias e, dado o silêncio de seus filhos, tomem a iniciativa de reconhecer que foram capazes de gerar dores e problemas devido à situação de separação ou ao pouco tempo em que estão presentes.

Eles também podem propor ouvir o que as crianças têm a dizer, se quiserem conversar ou sugerir algo que as ajude a melhorar como pais. Gary Chapman diz que é provável que a criança ou o jovem não responda imediatamente a esse convite, mas se ele se convencer de que é algo sincero, mais cedo ou mais tarde vai acabar se abrindo.

Tags:
DivórcioEducação dos FilhosFamíliaFilhos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
AVENIDO BROTHERS
Agnès Pinard Legry
Três irmãos são ordenados padres no mesmo dia
4
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
5
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
6
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
7
Carlo Acutis
Gelsomino Del Guercio
“Ele fechou os olhos sorrindo”: foi assim que Carlo Acutis morreu
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia