Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 06 Março |
Bem-aventurada Rosa de Viterbo
home iconAtualidade
line break icon

O menino que precisa subir no cavalo e no alto da montanha para enviar as tarefas

ARGENTINA

Viral | redes

Esteban Pittaro - Reportagem local - publicado em 28/05/20

A pandemia do coronavírus deixou ainda mais evidentes os desafios da educação nos lugares em que não há sinal de internet

Na história que a humanidade escreve sobre a pandemia do coronavírus, um capítulo muito valioso é aquele que fala sobre a educação. Os lares, atualmente, foram transformados em escolas à distância. Pelo Zoom, Google ClassRoom, WhatApp e outros aplicativos de conversas em tempo real, o vínculo entre professor e aluno foi reinventado. Tudo isso graças à conectividade.

Mas temos que lembrar que o campo longínquo e as regiões de deserto e montanhas em todo o planeta ainda dependem dos mistérios da ciência e dos ajustes da tecnologia para se conectarem com o resto do mundo.

Jeremías, da cidade de La Pampa, na Argentina, não tem sinal de internet em casa. Aluno de uma escola do povoado de Santa Isabel, ele driblou a dificuldade e mostrou seu esforço em um vídeo enviado para a professora. Para cumprir seus compromissos com a educação nesta época de distanciamento social imposto pelo coronavírus, o garoto tem que ficar em cima de um animal no único lugar em que há sinal de internet na região: o pico de uma enorme montanha. Só assim ele consegue enviar as tarefas exigidas pela escola.

Sonia, a docente, está a 170 quilômetros do povoado. Foi ela que tornou público o esforço do menino e de seus pais para manter a escolaridade do garoto durante o período de isolamento obrigatório.

“Quarentena positiva”

O abismo digital, ou seja, a distância entre aqueles que têm acesso à internet e os que não têm, é uma realidade em todo o continente americano. Mas a criatividade de professores e das famílias para enfrentar esse período de pandemia e aulas on-line é ainda maior.

Na América Central, a ONG jesuíta Fé e Alegria lançou a “Quarentena Positiva”, uma campanha solidária de ações emergenciais de acompanhamento pedagógico e psicológico.Apenas 17% dos estudantes atendidos pela ONG têm acesso à internet. Depois de um estudo complexo, os voluntários adaptaram os planos de estudo, publicaram-nos na internet e nas redes sociais para as famílias com conexão e instalaram linhas telefônicas nas casas das famílias sem acesso à internet. Nas residências em que não foi possível instalar nem internet nem telefone, o conteúdo das aulas é transmitido por um sistema de rádio. Quando nem isso é possível, o conteúdo chega através de alto-falantes nas ruas ou fotocópias dos conteúdos entregues nas casas.

Relação personalizada 

Tanto o caso de Jeremías quanto o trabalho da O NG Fé e Alegria nos mostram que, cada vez mais, as ferramentas de comunicação e de educação precisam ter um vínculo personalizado. Em muitos casos, é impossível prever quando e de que maneira as crianças poderão enviar as tarefas aos professores, e se eles vão estar disponíveis quando a mensagem chegar.

Projetos pendentes

Em 2015, o Facebook anunciou um ambicioso projeto que usaria drones alimentados por energia solar para levar o sinal de internet às regiões sem conectividade.

Esse desafio pessoal de Mark Zuckberger foi suspenso em 2018. Porém, dias antes da explosão da pandemia, o Facebook informou novas estratégias para levar conectividade a mais de 3,5 bilhões de pessoas no mundo. A própria empresa diz que a acessibilidade, em alguns lugares, precisará fazer uso de ferramentas tradidiconais, como o cabo e o satélite.

Em 2019, metade da população mundial tinha acessoà internet. Mas o desafio ainda é muito grande. Os “Jeremias” de todo o mundo, mesmo com grande esforço pessoal, expõem as desigualdades e a necessidade urgente de se tapar o “vão” digital no planeta.


PERU, BOY

Leia também:
O garoto que usava a luz da rua para fazer a tarefa de casa

Tags:
CoronavírusInternettecnologia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
MIRACLE
Maria Paola Daud
Mateo se perdeu no mar… e apareceu nos braços do pai
2
MADONNA
Maria Paola Daud
A curiosa imagem da Virgem Maria protetora contra o coronavírus
3
SAINT JOSEPH
Philip Kosloski
10 coisas sobre São José que você precisa saber
4
Reportagem local
Santo Sudário, novo estudo: “Não é imagem de morto, mas de ...
5
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
6
Santo Sudário
Aleteia Brasil
Manchas do Santo Sudário são do sangue de alguém que sofreu morte...
7
SAINT JOSEPH
Philip Kosloski
Quantos anos tinha São José quando Jesus nasceu?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia