Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 24 Abril |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

Oração consegue milagres quando em sintonia com o Coração de Jesus, diz Papa

Papa Francisco em oração

© Antoine Mekary | ALETEIA

Reportagem local - publicado em 10/02/21

"A oração é sempre positiva. Sempre! Ela nos leva para frente"

Oração consegue milagres, recordo o Papa Francisco, quando é feita em sintonia com o Coração de Jesus. Ele deu continuidade, na audiência geral desta quarta-feira, a uma série de catequeses sobre a oração, aproveitando para convidar os cristãos a rezar todos os dias e em todo momento.

“Somos seres frágeis, mas sabemos rezar: esta é a nossa maior dignidade e também a nossa fortaleza. Coragem! Rezem em todo momento, em toda situação, pois o Senhor está perto de nós. E quando uma oração está em sintonia com o Coração de Jesus, ela consegue milagres”.

Francisco prosseguiu:

“Quem reza é como o apaixonado que sempre traz no coração a pessoa amada, onde quer que esteja. Por isso, podemos rezar a qualquer hora, nos acontecimentos de cada dia: nas ruas, nos escritórios, nos meios de transporte; com palavras ou no silêncio do nosso coração. Tudo entra nesse diálogo com Deus: cada alegria se torna um motivo de louvor, cada provação é ocasião para um pedido de ajuda. A oração é sempre viva na existência, como o fogo das brasas, até quando os lábios não falam, mas o coração fala. Cada pensamento, mesmo que seja aparentemente profano, pode ser permeado de oração”.

Oração consegue milagres

O Papa também recordou:

“A oração cristã infunde no coração humano uma esperança invencível: qualquer que seja a experiência que toque o nosso caminho, o amor de Deus pode transformá-la num bem”.

Francisco destacou a relação entre a oração e o momento presente:

“Aprendemos a orar em certos momentos escutando a Palavra do Senhor e participando do Seu mistério pascal. Mas, em todo momento, nos acontecimentos de cada dia, o Seu Espírito é oferecido a nós para fazer brotar a oração. O tempo está nas mãos do Pai; é no presente que nós o encontramos; não ontem, nem amanhã, mas hoje. Não há outro dia maravilhoso a não ser o hoje que vivemos. As pessoas que vivem sempre a pensar no futuro – ah, mas o futuro será melhor… -, mas não vivem o hoje do jeito que ele vem, são pessoas que vivem na fantasia, não sabem assumir o concreto da realidade. E o hoje é real, o hoje é concreto. E a oração tem lugar no hoje. Jesus vem ao nosso encontro hoje, neste hoje que vivemos. É a oração que transforma este hoje em graça, ou melhor, que nos transforma: ela pacifica a raiva, sustenta o amor, multiplica a alegria, infunde a força de perdoar”.

Oração também pelos inimigos

A respeito da raiva, ele acrescentou:

“Quando nos vem um pensamento de raiva, de descontentamento, que nos leva à amargura, paremos e digamos ao Senhor: ‘Onde estás? E para onde vou?’. E o Senhor está ali, o Senhor nos dará a palavra certa, o conselho para irmos em frente sem aquele sumo amargo do negativo. Porque a oração, usando uma palavra profana, é sempre positiva. Sempre! Ela nos leva para frente. Cada dia que começa, se for acolhido na oração, é acompanhado de coragem para que os problemas não sejam mais obstáculos à nossa felicidade, mas apelos de Deus, ocasiões para o nosso encontro com Ele. Quem é acompanhado pelo Senhor se sente mais corajoso, mais livre e até mais feliz”.

O Papa exortou então:

“Rezemos sempre, por tudo e por todos, até pelos inimigos. Jesus nos aconselhou: ‘Rezem pelos inimigos’. Oremos pelos nossos entes queridos, mas também por aqueles que não conhecemos; oremos até pelos nossos inimigos, como eu disse, como a Escritura muitas vezes nos convida a fazer. A oração nos dispõe a um amor superabundante, especialmente pelos infelizes, pelos que choram na solidão e perdem a esperança de que ainda haja um amor que pulse por eles”.

Oração e compaixão

Francisco finalizou:

“A oração do cristão tornou presente a compaixão de Jesus, pois Ele olhou com grande ternura para as multidões cansadas e perdidas como ovelhas sem pastor. O Senhor, não nos esqueçamos disso, é o Senhor da compaixão, da proximidade, da ternura: três palavras que jamais devem ser esquecidas. Pois é o estilo do Senhor: compaixão, proximidade, ternura. A oração nos ajuda a amar os outros apesar dos seus erros e pecados. A vida dos que sempre julgam os outros é negativa; eles condenam, julgam sempre: é uma vida negativa, infeliz. Jesus veio para nos salvar. Abra o seu coração, perdoe, justifique os outros, compreenda, permaneça próximo dos outros, tenha compaixão, sinta ternura como Jesus. É necessário amar a todos e a cada um, lembrando, na oração, que todos somos pecadores e, ao mesmo tempo, amados por Deus, um por um. Amando assim este mundo, amando-o com ternura, descobriremos que cada dia e cada situação traz em si um fragmento do mistério de Deus”.

Papa Francisco faz o Sinal da Cruz

Leia também:
Ensinar o Sinal da Cruz para crianças: “é a primeira oração”, diz o Papa

Tags:
OraçãoPapa Francisco
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia