Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 18 Abril |
Aleteia logo
Cultura & Viagem
separateurCreated with Sketch.

A Basílica de São João na Porta Latina e o “martírio perdido”

WEB2-AMSGPL27MAR21-Antoine-Mekary-ALETEIA-AM_9166.jpg

Antoine Mekary | ALETEIA

Marinella Bandini - publicado em 29/03/21

Reviva a antiga tradição quaresmal dos cristãos romanos descobrindo as "igrejas estacionais”

A igreja de São João na Porta Latina fica no local de um “martírio perdido”: o do apóstolo e evangelista João. Tertuliano, já no final do século II, conta que São João estava imerso em um caldeirão de óleo fervente do qual saiu ileso. Ele foi deportado e morreu na ilha grega de Patmos. O milagre é comemorado na capela de “San Giovanni in Oleo” (São João no Óleo), a algumas dezenas de metros da basílica. A denominação “Porta Latina” deve-se à sua proximidade a um antigo portão da Muralha Aureliana.

A basílica remonta ao século V – uma das telhas do antigo telhado foi colocada no ambão e usada como púlpito. O local foi submetido a várias restaurações e reformas, e foi reconsagrado pelo Papa Celestino III em 1191. Hoje a vemos em sua aparência medieval graças à restauração encomendada pelos Padres Rosminianos em 1940. Essa foi também a ocasião em que se descobriu um ciclo de afrescos medievais de considerável importância – cerca de cinquenta representações de cenas da Bíblia – que decoram as paredes da nave.

Minha residência será no meio deles. Eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.Ezequiel 37,27

Pope Francis Mass New Year

Leia também:
Basílica de São Pedro: as colunas (e pilares) da Igreja

* Em colaboração com o Escritório de Comunicação Social do Vicariato de Roma

Tags:
igrejasViagem
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia