Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 13 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Futuro sombrio para a liberdade religiosa no Afeganistão

Afeganistão

Hoshang Hashimi / AFP

Reportagem local - publicado em 20/08/21

Presidente da fundação "Ajuda À Igreja que Sofre" expressa profunda preocupação com a tomada do poder pelo Talibã

Thomas Heine-Geldern, presidente executivo da Fundação Pontifícia “Ajuda À Igreja que Sofre”, expressou profunda preocupação com a liberdade religiosa no Afeganistão depois que o Talibã tomou o poder.

“Durante o governo do Emirado do Afeganistão anterior (1996 a 2001), o Talibã impôs uma versão estrita da lei sharia em todo o país. Podemos esperar que o islamismo sunita seja a religião oficial, a lei islâmica seja reimposta e as liberdades conquistadas a duras penas para os direitos humanos, incluindo uma medida relativa de liberdade religiosa, nos últimos 20 anos sejam revogadas”, disse o presidente.

Para o presidente da fundação, não há muita esperança diante do cenário atual:

“Nossa análise, infelizmente, não deixa muito espaço para esperança. Todos aqueles que não defendem as visões islâmicas extremistas do Talibã estão em risco, mesmo os sunitas moderados. Os xiitas (10%), a pequena comunidade cristã e todas as outras minorias religiosas, já ameaçadas, sofrerão uma opressão ainda maior. Este é um grande revés para todos os direitos humanos e especialmente para a liberdade religiosa no país.”

Estímulo à violação da liberdade religiosa

Thomas Heine-Geldern ainda afirmou que vários países estão se simpatizando pelo novo emirado, o que pode incentivar regimes totalitários no mundo e comprometer a situação dos cristãos. Disse ele:

“O reconhecimento internacional do Talibã também funcionará como um ímã para grupos islâmicos radicais menores, criando uma nova constelação de facções terroristas religiosas que poderiam suplantar formações históricas como a Al-Qaeda e o grupo Estado Islâmico. Entre outras, as áreas de preocupação incluem Paquistão, Palestina e a província de Idlib, na Síria. A situação dos cristãos e de outras comunidades religiosas minoritárias que já sofrem opressão se deteriorará ainda mais”.

Oração e proteção dos direitos

O presidente da AIS também exortou a todos a rezarem diante deste período “perturbador”:

“A ACN incentiva a comunidade internacional a levantar a voz na proteção dos direitos humanos de todos os cidadãos do Afeganistão, especialmente considerando que estimamos que a liberdade religiosa estará particularmente ameaçada. Também chamamos nossos benfeitores e amigos para continuar a orar durante este período profundamente perturbador da história do Afeganistão”.

AFGHANISTAN
Leia também:O que é o Talibã?

Tags:
liberdade religiosaTerrorismo
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia