Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 17 Setembro |
São Roberto Belarmino
home iconReligião
line break icon

O último judeu do Afeganistão abandonou Cabul: e o último católico?

O último judeu do Afeganistão

Nasim Fekrat, CC BY 2.0, via Wikimedia Commons

Zablon Simintov ou Zebulon Simentov, o último judeu do Afeganistão

Francisco Vêneto - publicado em 13/09/21

A comunidade católica afegã é muito menor do que foi a comunidade judaica antes do êxodo

Zebulon Simentov, o último judeu do Afeganistão, resistiu à ocupação soviética, aos intermináveis conflitos internos violentos, aos caóticos anos de instabilidade em todos os níveis da sociedade afegã, ao primeiro e brutal regime talibã e aos vinte anos de idas e vindas sob a ocupação norte-americana.

Agora, porém, a ameaça de fortalecimento da facção local do bando fanático Estado Islâmico, num Afeganistão novamente em mãos dos também fanáticos talibãs, parece ter imposto um ponto final à resiliente permanência do último representante de uma comunidade que já chegou a somar dezenas de milhares de membros.

Simentov declarou que até estaria disposto a suportar mais um regime fundamentalista dos talibãs, mas foi convencido pelos amigos a sair do país devido aos altos riscos representados pela sanguinária facção local do Estado Islâmico.

Um desses amigos que influenciaram a difícil decisão de Simentov foi o empresário Moti Kahana, cidadão israelense e norte-americano que atua no setor da segurança. Kahana chegou a falar até dez vezes por dia com Simentov, com a ajuda de um vizinho que traduzia os seus argumentos. Outros vizinhos também pressionaram Simentov a aceitar fugir, já que, se ele saísse do país, eles conseguiriam colocar alguns filhos e familiares no mesmo ônibus, como de fato acabou ocorrendo.

O último judeu do Afeganistão

A comunidade judaica do Afeganistão começou o seu êxodo em 1948, já que o Estado de Israel, então recém-fundado, dava cidadania automática a todos os que comprovassem ser judeus. Com a ocupação soviética do Afeganistão na década de 1980, o êxodo se intensificou: foi nessa época que a maioria das famílias judaicas deixou o país da Ásia Central. A implantação do primeiro regime talibã em 1996 foi a gota d’água para o restante da comunidade.

Foi quando sobraram dois judeus em todo o Afeganistão: Zebulon Simentov e Isaak Levi.

A propósito: o nome de Zebulon Simentov também pode ser transcrito em caracteres latinos como Zablon Simintov ou Zevulun Simantov, a depender dos critérios de cada fonte.

O caso é que os dois últimos remanescentes da comunidade judaica de Cabul dividiam um apartamento que também funcionava como sinagoga, mas era público e notório que não se suportavam nem faziam qualquer questão de esconder suas desavenças. Seus atritos chegaram a tal grau que os próprios talibãs intervieram para contê-los: prenderam os dois, espancaram-nos e confiscaram deles um rolo de Torá muito antigo e valiosíssimo, que acabou desaparecendo para nunca mais ser reencontrado.

Simentov demonstrou explicitamente a sua satisfação quando Levi morreu em 2005, já sob a ocupação norte-americana. Ele se tornava assim o único e último judeu do Afeganistão.

Desde setembro de 2021, não resta mais nenhum.

E o último católico?

Cabe agora perguntar também sobre o destino dos católicos do país.

A comunidade católica afegã é muito menor do que foi a comunidade judaica antes do êxodo: até a queda do governo republicano em 15 de agosto e a nova ascensão dos talibãs em Cabul, havia em todo o país cerca de 200 católicos, praticamente todos vivendo na capital. A única igreja católica do país inteiro também ficava em Cabul, dentro das instalações da embaixada italiana: a paróquia de Nossa Senhora da Divina Providência.

O responsável pela paróquia era o pe. Giovanni Scalese, missionário italiano, membro da congregação dos clérigos regulares de São Paulo, conhecidos como barnabitas. Ele era também o superior da missão católica no Afeganistão.

No final de agosto, esgotando-se o prazo para a evacuação dos estrangeiros, o padre se viu forçado a embarcar em um dos últimos voos militares ocidentais, junto com cinco religiosas da congregação da Santa Madre Teresa de Calcutá e 14 crianças deficientes que residiam no orfanato mantido pela Igreja em Cabul. Havia mais de 60 crianças no centro de atendimento para pessoas deficientes que a Igreja mantinha na cidade desde 2006. As outras crianças, infelizmente, tiveram de permanecer no país. Seu futuro, assim como o do seu povo e o dos católicos no Afeganistão, é incerto.

O pe. Giovanni espera voltar um dia ao país e retomar o trabalho da Igreja junto àquele povo tão sofrido. Neste momento, porém, este é um cenário que não se vislumbra no horizonte.

Tags:
CatólicosCristianismoIdeologiaMuçulmanosPerseguiçãoPolíticaReligião

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
2
Irmã Lúcia, de Fátima, e o Papa São João Paulo II
Francisco Vêneto
O terço “funciona”, garante a Irmã Lúcia, de Fátima: e ela explic...
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Papa Francisco pede homilias mais curtas
Francisco Vêneto
Papa Francisco pede aos padres: façam homilias mais curtas
5
porta
Reportagem local
Capelão de hospital: ação dos anjos é fundamental na hora da mort...
6
Ricardo Sanches
Menino de 4 anos brinca de missa, conhece vários santos e surpree...
7
ROSARY
Philip Kosloski
É verdade que meu Anjo da Guarda termina de rezar o Rosário se eu...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia