Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 02 Dezembro |
São Cromácio de Aquileia
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Tédio social: mais uma sequela da pandemia a ser superada

WEB2-MASS-MASK-GODONG-FR146205A.jpg

Pascal Deloche / Godong

Ricardo Sanches - publicado em 25/11/21

Você já reparou que as pessoas as pessoas estão mais apáticas, sem paciência de se relacionar umas com as outras, intolerantes e agressivas?

A pandemia da Covid-19 parece ter evidenciado um fato que há muito se observava, principalmente nas redes sociais: as pessoas estão mais apáticas, sem paciência de se relacionar umas com as outras, intolerantes e agressivas. Os especialistas, inclusive, chamam este fenômeno de tédio social.

Quer um exemplo? Acesse a página do Facebook do seu veículo de comunicação preferido (pode até ser a da Aleteia). Se você navegar pelos comentários de algumas publicações, terá exemplos muito claros do que estamos falando. Entretanto, prepare-se para enfrentar uma avalanche de posts mal educados e sem nenhum tipo de respeito pelas opiniões diferentes e exarcebando, inclusive, a polarização das ideias sobre determinado assunto.

Mas o tédio social não é exclusividade das redes sociais. Veja o trânsito da sua cidade: as pessoas não têm mais paciência de esperar o semáforo abrir, e ainda brigam com quem espera a luz verde!

O tédio social

O jornal El País publicou uma reportagem sobre o tédio social, que pode ser considerado uma sequela da pandemia.

Eli Soler, uma psicóloga ouvida pelo jornal explicou: “Depois deste longo período de pandemia, embora pareça que finalmente começamos a ver a luz e deveríamos ter muita vontade de nos relacionarmos, existe um estado de apatia social generalizada. A situação de confinamento minou o moral de muitas pessoas. Algumas até se acostumaram com o pouco contato social e afirmam que têm preguiça de voltar a se relacionar”.

A psicóloga ainda abordou a questão do confinamento como um fator de potencialização das emoções. Com isso, as consequências foram catastróficas. “As redes sociais foram uma janela externa para a vida social, mas em muitas ocasiões foram usadas mais como via de escape do que como ferramenta social funcional.”

As pessoas estão mais chatas?

Ao ver o mundo e as pessoas somente através das telas, muitos perderam a empatia. E que falta essa virtude nos faz!

Um amigo meu outro dia me perguntou: “você acha que as pessoas ficaram mais chatas depois da pandemia?”. Eu lhe respondi: “acho que sim, inclusive eu fiquei ainda mais chato”.

Mas, calma aí: isso não significa que a pandemia me fez sair por aí xingando todo mundo. Pelo contrário! Eu me identifico totalmente com o que a psicóloga falou assim. Tenho ficado mais em casa e manifestado certa “preguiça”(não no sentido pecaminoso da palavra) em encontrar pessoas.

Porém, me vejo mais chato do que intolerante. Por isso, às vezes, prefiro manter a distância. Não quero que a minha chatice vire antipatia ou dê espaço para alguma atitude desrespeitosa, que machuque os outros.

Voltar a relacionar

Sei que essa minha atitude não é a mais recomendada (minha terapeuta ficará feliz por mim), pois o tal tédio social pode até virar uma fobia. Portanto, não me tome como exemplo!

Mas acredito, realmente, que, com o avanço da vacinação, a redução do número de casos de Covid e a flexibilização das medidas preventivas, as pessoas devem, gradualmente, a voltar a ter mais contato com os outros. No meu íntimo, não vejo a hora de sentir essa necessidade.

O contato social faz um bem danado para a nossa saúde mental. Somos seres sociais, dependemos uns dos outros. É por isso que, nesta retomada, também é nossa missão, como cristãos, tentar fazer as pessoas enxergarem novamente a beleza do respeito, da empatia e da harmonia em todos os relacionamentos. Vamos juntos?

Tags:
InternetPandemiaRelacionamentoSociedade
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia