Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 03 Dezembro |
São Birino de Dorchester
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Por que a célebre Sacré Coeur de Montmartre causa polêmica junto a socialistas

SACRE-COEUR DE MONTMARTRE

Shutterstock

Francisco Vêneto - publicado em 20/10/22

Paris aprovou recentemente um pedido para que a icônica basílica seja elevada a monumento histórico

A prefeitura de Paris aprovou, no último dia 11, que seja apresentado ao Estado francês o pedido formal para que a Basílica do Sagrado Coração de Jesus, mundialmente conhecida pelo nome local de “Sacré Coeur”, em Montmartre, seja elevada a monumento histórico nacional.

Polêmicas ideológicas

O icônico templo, situado no topo da colina do bairro de Montmartre e por isso mesmo associado a uma das mais famosas vistas panorâmicas de Paris, está no centro de uma longa polêmica entre a França anticlerical e a França católica.

A sua construção começou em 1873, dois anos depois dos convulsos acontecimentos ligados à Comuna de Paris (18 de março a 28 de maio de 1871). Tratou-se do curto período de pouco mais de dois meses em que a capital francesa foi governada por revolucionários insurrectos inspirados pelas ideias socialistas. Eles deram início à Comuna de Paris assaltando os canhões posicionados justamente na colina em que mais tarde veio a ser construído o santuário do Sagrado Coração, hoje basílica.

Sacré Coeur de Montmartre

Em declarações à AFP, o professor Eric Fournier, da Universidade Paris-Panthéon, explicou que, 1873, os parlamentares de maioria conservadora declararam que o novo santuário seria considerado um edifício de “utilidade pública”, já que ajudaria a “dominar um bairro considerado insurrecional do nordeste parisiense”. Por isso mesmo, foi visto pelos revolucionários como um símbolo hostil à sua causa.

Além disso, a construção do santuário tinha o declarado propósito de expiar os pecados perpetrados pelas diversas revoluções violentas que sacudiram a França desde 1789. Com isso, anticlericais engrossaram o coro dos militantes socialistas e comunistas na acusação de que a Sacré Coeur de Montmartre representava “repressão” às suas ideias.

O pedido para que a basílica fosse reconhecida entre os monumentos históricos nacionais deveria ter sido apresentado ao Estado francês em 2021, mas, devido aos 150 anos da Comuna de Paris, a solicitação foi adiada para evitar que fosse vista como uma “provocação” extra, num assunto que, por si próprio, já provocava candentes controvérsias ideológicas.

Neste último dia 11 de outubro, o Conselho de Paris aprovou que, finalmente, o pedido seja exposto ao Estado.

No entanto, a representante comunista Raphaëlle Primet já afirmou que a classificação da Sacré Coeur de Montmartre como um monumento histórico é “uma afronta à memória dos comunas”.

Benefícios do reconhecimento

A concessão do status de monumento histórico à basílica permitirá que a Diretoria Regional de Assuntos Culturais assuma até 40% dos custos de manutenção do edifício. Esta verba possibilitará melhorias de interesse público, tais como uma rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida, assim como a restauração do órgão e as obras necessárias para que a cripta seja aberta aos visitantes.

O retorno dos investimentos para a cidade acontece na grande movimentação econômica gerada pelo turismo, dado que, mesmo hoje, a basílica já recebe cerca de 11 milhões de visitantes por ano, garantindo-lhe um lugar de destaque entre os monumentos mais procurados de Paris. A título de comparação, o total de turistas estrangeiros no Brasil inteiro, antes da pandemia, era de pouco mais de 6 milhões por ano – nesta retomada pós-pandemia, o número estimado para 2022 é de 4,2 milhões.

Em paralelo, a subprefeitura que abrange o bairro de Montmartre promove também o reconhecimento da basílica do Sacré Coeur como patrimônio cultural mundial junto à Unesco.

Propósito religioso do santuário

Finalizada em 1923, a Basílica do Sagrado Coração em Montmartre começou a ser construída, muitos anos antes, por motivações espirituais, conforme registra o site do santuário.

De fato, o seu caráter expiatório não diz respeito somente aos pecados cometidos em nome das revoluções: o santuário nasceu do desejo de se oferecer uma igreja ao Sagrado Coração de Jesus em reparação pelos pecados cometidos por todos, particularmente em tempos de grande ameaça para a Igreja e para a pátria francesa.

Um ano antes da própria Comuna de Paris, a França havia sido invadida pela Prússia, em 1870, e, para se engajar na guerra contra os invasores, foi preciso que os soldados franceses que defendiam o Papa no Vaticano abandonassem as suas posições e voltassem à sua terra. O Papa Pio IX, por sua vez, sem a proteção das tropas francesas, foi obrigado a se considerar prisioneiro dentro dos muros vaticanos.

Nesse contexto, o abastado devoto Alexandre Legentil e o general Hubert Rohault de Fleury se propuseram dedicar a construção do santuário do Sagrado Coração tanto em reparação a Ele pelos sofrimentos infligidos pela humanidade quanto em ação de graças pela vitória nacional na guerra Franco-Prussiana.

Em 1872, o arcebispo de Paris, cardeal Guibert, deu seu aval à promessa de construção e escolheu Montmartre como o local para que ela se concretizasse. Os deputados aprovaram a construção no ano seguinte.

Tags:
HistóriaIdeologiaIgrejaPolíticaReligiãoSagrado Coração de Jesus
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia