Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 19 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Quando os filhos se tornam modelos de inspiração para os pais

criança e adulto em abraço de agradecer

Shutterstock

Ricardo Sanches - publicado em 17/02/23

Sabe aquela história de que pai e mãe devem ser exemplo e ensinar tudo para os filhos pequenos? Então: o inverso também acontece. E você está preparado para isso?

Você já deve ter ouvido aquela expressão: “filho de peixe, peixinho é”. Ela, na maioria das vezes, faz sentido, visto que os pais devem ser modelos para os filhos, que, naturalmente, começam a admirá-los. Inspirados no bom exemplo que têm em casa, muitas crianças e jovens acabam seguindo a profissão do pai ou da mãe, torcendo pelo mesmo time, gostando das mesmas coisas.

Entretanto, em uma relação tão dinâmica como é a família, os filhos também acabam inspirando os pais – inclusive os filhos menores. Trata-se de um fenômeno que pode ser muito positivo. Mas os pais e mães precisam estar abertos a enxergar as coisas boas dos filhos, a extrair o que eles têm de bom a oferecer e, por que não, encontrar neles um gatilho para mudanças?

O meu exemplo

Eu tenho dois filhos: um de 15 anos, outro de cinco. Ambos têm comportamentos e habilidades singulares que, honestamente, me causam inveja (no bom sentido, é claro!) e nos quais eu tento me espelhar, a fim de mudar algumas atitudes minhas.

Por exemplo: o meu filho mais velho tem uma facilidade brutal para fazer amizades. Você pode dizer: é por causa da idade, todo adolescente tem muitos amigos, gosta de conversar com eles etc. Mas eu digo que, hoje em dia, essa habilidade é cada vez mais rara. Os jovens estão enclausurados em seus telefones, e amizades mesmo, apenas as virtuais. Com ele não é assim. Aonde ele vai, ele faz um amigo. No condomínio onde moramos, o rapaz conhece todo mundo: cumprimenta pelo nome, pelo apelido e sempre tem um assunto para puxar quando encontra um ou outro.

Eu nunca tive essa facilidade. E também não conheço a metade das pessoas, inclusive aqui do condomínio, que ele conhece. Mas esse comportamento do meu filho está me inspirando a melhorar. Eu o observo, admiro e vejo o quanto é importante fazer amizades e interagir mais com as pessoas. Ou seja: neste quesito, ele é o meu modelo. Sei que tenho poucos amigos, por isso estou rompendo a barreira desta dificuldade e passando a conversar mais com as pessoas e me interessar por suas histórias. Assim como meu filho faz de forma brilhante!

Aprender com os pequenos 

Filhos menores também podem inspirar – e muito – os pais. O meu caçula é o maior exemplo de pessoa carinhosa que eu conheço. Ele nem bem conhece as pessoas e já vai abraçando-as e dando beijo. 

Aqui em casa, ele não nos poupa dos seus espontâneos “eu te amo” e dos longos e sinceros abraços apertados. Para mim, mesmo com tão pouca idade, ele é uma inspiração e me motiva sempre a demonstrar mais meus sentimentos – outra dificuldade que eu tenho e quero superar.

Como os filhos conseguem inspirar os pais 

É claro que, de forma predominante, os pais ensinam mais aos filhos. Porém, os filhos também podem ser uma importante fonte de ensinamentos para pais e mães, ajudando-os a ver as coisas de maneira diferente e a aprender sobre a vida e o mundo ao seu redor. Mas como os filhos podem despertar a inspiração nos pais? Em que características dos filhos (grandes e pequenos), os pais podem se inspirar?

Uma boa revisada na literatura especializada pode fornecer algumas dicas:

1. Inocência e pureza: a simplicidade e a pureza das crianças podem ser uma fonte de inspiração para os pais que, muitas vezes, se sentem sobrecarregados com as demandas naturais da vida adulta;

2. Imaginação e criatividade: as crianças são, naturalmente, criativas, o que pode inspirar os pais a explorar novas ideias e perspectivas em vários campos da vida pessoal ou profissional;

3. Amor incondicional: os filhos amam incondicionalmente e sem julgamentos – o que pode inspirar pais a serem mais amorosos e compreensivos com os membros da família, parentes e amigos;

4. Curiosidade e entusiasmo: as crianças também são, por natureza, curiosas e entusiastas pelo mundo ao seu redor. Isso pode ser uma fonte de inspiração para os pais explorarem novos interesses;

5. Resiliência e determinação: as crianças também enfrentam dificuldades e problemas, mas se recuperam rapidamente das situações desafiadoras e continuam seguindo em frente. Isso é uma grande lição aos pais, a fim de que se mantem determinados diante das dificuldades da vida. 

Enfim, os pais precisam parar com a ideia de somente eles devem ser modelos para os filhos. O caminho inverso é muito importante e rico. Mas é preciso estar aberto a enxergar neles novos modelos, ainda que sejam apenas crianças. Que tal, então adotar a tríade alegria, amor e inspiração mútua na relação entre pais e filhos? Certamente ela trará muitos bons frutos.

Tags:
EducaçãoFamíliaFilhos
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia