Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 24 Abril |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

A oração mais difícil de ser feita

Vista laterale di un uomo triste con una mano sulla testa seduto su un divano nel soggiorno a casa

Antonio Guillem | Shutterstock

Peter Cameron - publicado em 03/07/23

É o Maligno que explora nossa vergonha e culpa para nos impedir de ir a Jesus, justamente quando mais precisamos dele

Esse pode ser o momento em que a oração se torna mais difícil: quando consideramos hipócrita rezar, quando nos sentimos revoltados por ter que orar.

Isso acontece quando caímos em pecado – de qualquer tipo – e isso nos destrói. Nós nos sentimos culpados. E se for um pecado recorrente, um pecado crônico, os sentimentos de vergonha são ainda mais fortes. Ficamos decepcionados com nós mesmos, enojados, em um beco sem saída. Como podemos rezar nesses momentos?

O problema é a premissa com a qual abordamos a oração. Supomos que Deus espera que estejamos espiritualmente bem antes de rezar. E presumimos que é nosso dever nos tornarmos aceitáveis a Deus para que possamos ser “dignos” de orar a Ele. Você está vendo? É o círculo vicioso.

Essa é a verdade fundamental que precisamos manter diante de nós o tempo todo: Não importa o quanto tenhamos caído no momento anterior, no momento presente Deus está, verdadeiramente, nos amando e esperando que aceitemos essa dádiva.

Deus nos ama porque ele é bom, não porque nós somos bons. O presente que Jesus deseja que você dê a Ele neste momento – não importa quão mortificado e miserável você esteja – é o presente de si mesmo, do jeito que você está agora. É Jesus – e não nós – que nos possibilita fazer isso. Nossa única tarefa é nos entregarmos a Deus em um ato de amor que expresse nossa total confiança em seu amor por nós.

Em todo momento, somos amados unicamente por causa da bondade de Deus. Não há absolutamente nada que possamos fazer para atrair o amor de Deus, para nos qualificarmos ou para nos tornarmos mais elegíveis à Sua misericórdia. Quando caímos, Jesus quer que confiemos nele ainda mais do que em outras ocasiões, porque é nesse momento miserável de nossa vida que mais precisamos dele.

O que glorifica a Deus é a nossa total dependência dele, especialmente quando não conseguimos suportar nem mesmo olhar para nós mesmos em nossa humilhação. Somente o amor de Jesus pode nos tornar dignos de Seu amor. Ele conhece os nossos pecados, a nossa miséria. E, mesmo assim, Jesus nos ama.

É o Maligno que explora nossa vergonha e culpa para nos impedir de ir a Jesus, justamente quando mais precisamos dele. Ele faz com que pareça quase virtuoso não orar. Isso é, de fato, diabólico. É por isso que devemos meditar constantemente nessa verdade fundamental: somente o que vem de Jesus pode agradar a Jesus.

E Jesus está lhe dando a capacidade de se entregar a ele agora mesmo, do jeito que você é, que é como ele quer que você seja. Jesus é o seu Redentor, o seu Salvador, o seu Messias. Jesus é o Grande Médico que vê seus pecados como muitas feridas a serem curadas. Se você não recuar, se tiver coragem de mostrar essas feridas, Ele as curará. Você será curado!

Tags:
DevoçãoOração
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia