Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 25 Novembro |
São Pedro Yi Ho-Yong
home iconEstilo de vida
line break icon

Frases sobre Jesus que nunca devemos dizer aos nossos filhos

PAI E FILHO REZANDO

P Deliss | GoDong

Edifa - publicado em 23/10/20

Às vezes essas frases saem sem querer, mas mesmo assim algumas frases dos pais sobre Jesus podem fazer com que a criança se afaste gradualmente de Deus

Agnes, de cinco anos, gostaria que os pais, que estavam prestes a sair para jantar com os amigos, a levassem com eles. Suas várias tentativas de tentar convencê-los foram ineficazes, e aí ela começou cortar e colar estrelinhas, ruminando a sua decepção. Casualmente, ela pergunta: “Mãe, a noite é feita para dormir? A resposta distraída da mãe: “Sim filha, claro que a noite é feita para dormir”. Depois de alguns segundos de reflexão, Agnes observa: “Mas você não está indo dormir porque vai ver amigos”; e, no tom entristecido e moralizador de uma mãe acrescenta: “Jesus não fica feliz quando você fala assim!”. Desnecessário dizer que o “argumento de Jesus” não surtiu o efeito desejado. Da mesma forma, uma menina de seis anos tentou coagir seu irmão gêmeo à obediência, ameaçando: “Se você não fizer isso, você vai para o Inferno!”. Eis os problemas de algumas frases sobre Jesus.

Projetar sentimentos em Jesus

Mesmo que seja divertido ouvir este tipo de declarações, sentimos, no entanto, que é importante fazer a criança entender que Deus não é o argumento supremo que podemos usar e abusar como quisermos para colocar o seu poder a serviço da nossa impotência. Algumas vezes, nós mesmos usamos exatamente o mesmo tipo de argumento, especialmente no campo da educação. “Você machucou o coração de Jesus! Deus puniu você; Jesus não ama você quando você faz isso; Jesus está com raiva; Foi Deus quem quis!” E mesmo que não nos reconheçamos em uma ou outra dessas frases, ainda assim é como se colocássemos Deus dentro dos limites que conhecemos.

Como a pequena Anna diz no livro de Fynn, Anna and Mister God, colocamos Deus em caixinhas “porque não o amamos realmente “. Frequentemente, apresentamos às crianças um Deus “útil”, seja ele um concessor de recompensas, um fazedor de milagres, uma explicação para tudo ou aquele que nos pune pelos nossos erros. É um risco que nos ameaça e que ressoam nos ouvidos dos nossos filhos; nós as pronunciamos sem realmente pensar sobre o que elas implicam. A segui estão alguns exemplos de sentenças que devemos banir de nosso vocabulário.

Evite referir-se a Jesus como “pequeno” de uma forma comum

Falar do “pequeno Jesus” não é errado, pois Jesus se tornou um homem e, portanto, antes de tudo, uma criança. Mas não é bom falar de Jesus habitualmente dessa forma, porque para a criança, o menino Jesus será apenas o “pequeno Jesus”, o Menino Jesus da manjedoura ou da casa de Nazaré. Ele será sempre um “pequeno Jesus para as crianças” que e assim eles tendem a abandoná-lo à medida que crescem, deixando Jesus no Museu da Infância e das Memórias da Infância. “Não devemos aprender nada na infância que tenhamos que esquecer depois”.

“Jesus não te ama quando você age assim”

Esta fórmula deve ser absolutamente evitada porque é completamente falsa. Jesus ama cada um de nós infinitamente, até mesmo o pior dos pecadores. Uma criança que ouve isso, crescerá com medo de perder o amor de Deus e se convencerá de que esse amor só é dado se merecido, e de que Deus não ama o pecador. O que os pais falam nos primeiros anos tem tal impacto que a criança, ao se tornar adulto, será marcada por essa imagem de um Deus que nos ama apenas quando nosso comportamento é satisfatório.

Da mesma forma, nunca devemos dizer: “Não gosto de menininhas mentirosas (ou de meninos muito irritados)”. A criança ouve o que dizemos, que é que não o amamos se ela mentir. Pode soar como uma coisa pequena, e é de certa forma, mas a educação é feita de pequenas coisas e, neste caso, temos que lembrar que a forma como amamos nossos filhos, como nós mostramos o nosso amor, ajudá-os a perceber e viver o amor de Deus.

Outra frase sobre Jesus que não devemos dizer: “Deus te castigou”

Embora seja verdade que o sofrimento é consequência do pecado, é errado e perigoso apresentar o sofrimento ou o fracasso como a sanção direta de um pecado específico. Lembremo-nos da resposta de Jesus aos seus discípulos que lhe perguntavam sobre o cego: “Os seus discípulos indagaram dele: “Mestre, quem pecou, este homem ou seus pais, para que nascesse cego?” Jesus respondeu: “Nem este pecou nem seus pais, mas é necessário que nele se manifestem as obras de Deus.” (Jo 9, 2-3). Se ao se machucar durante a desobediência, a criança ouvir que é um castigo de Deus, ela pensará que o sofrimento é sempre “merecido” e, inversamente , que a felicidade ou a ideia que dela tem (saúde, sorte, ausência de sofrimento, prazer) é sempre sinal de um comportamento que agrada a Deus.

“Jesus não está feliz, você o magoou”; mais uma frase sobre Jesus complicada

Esta é uma declaração ambígua: verdadeira e falsa ao mesmo tempo. Claire, com a sabedoria de seus dez anos, comenta: “Jesus não pode ficar triste porque está feliz para sempre no Céu! Pode-se dizer a Claire, entretanto, que foram também seus pecados, seus pecados de hoje, que crucificaram Jesus. Jesus sofreu antecipadamente por todos os pecados de todos os homens do passado, do presente e do futuro. Mesmo que houvesse apenas os pecados da pequena Claire, Jesus teria dado a vida por eles. Dizer que nosso pecado faz Jesus sofrer não é, portanto, errado. Mas devemos vigiar: o que importa não é o que pretendemos dizer, mas o que a criança percebe e entende. A criança pode pensar que a felicidade de Jesus depende dela, de seu bom ou mau comportamento, o que não é verdade. Na verdade, não é a felicidade de Jesus que é destruída pelo pecado, mas a felicidade do pecador. Da mesma forma, a qualidade do amor de Jesus por nós não depende da nossa resposta: Deus nos ama livremente, totalmente e incondicionalmente. É desse amor que devemos falar continuamente a nossos filhos.


THREE GENERATIONS

Leia também:
Devemos reproduzir nos filhos a educação que recebemos de nossos pais?


GROUP TEENAGERS

Leia também:
As ideologias e a educação dos jovens

Christine Ponsard 

Tags:
EducaçãoFilhosJesus
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
Medalha de São Bento
pildorasdefe.net
Oração a São Bento para afastar o mal e pedir...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Oração para afastar o mal de um recinto
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
Ver mais