Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 04 Agosto |
São João Maria Vianney
home iconEstilo de vida
line break icon

Não tenha medo de ser um pai ou mãe ruim

MOTHER

Shutterstock | Motortion Films

Edifa - publicado em 27/04/21

Quanto mais crianças crescem, mais nossos princípios educacionais são desafiados

Numa conversa entre amigos, chegou-se a falar sobre a educação dos filhos: ao comparar as experiências uns dos outros, ficou claro que os mais velhos costumavam ser mais difíceis do que os irmãos mais novos. E passou-se questionar as razões disso acontecer. “É, sem dúvida, sugerido um pai de família, porque com o nosso primeiro filho ainda pensamos que seremos bons pais; o mais velho está, portanto, sujeito a todos os tipos de exigências e sofre nossas ansiedades como pais perfeccionistas. Depois, rapidamente perdemos nossas ilusões sobre nós mesmos, o que nos deixa mais relaxados com os filhos seguintes”. Quer os mais velhos sejam ou não mais difíceis do que seus irmãos mais novos, não discutiremos isso aqui. Mas é verdade que, para educar bem seus filhos, devemos primeiro perder todas as ilusões sobre nossa capacidade de ser “bons pais”.

Os pais não são máquinas educativas, são humanos

A menos que sejam imaturos ou excepcionalmente despreocupados, todos os pais começaram repletos de princípios excelentes (ou menos bons, nesse caso). Projetos ingênuos que a realidade da vida diária rapidamente supera. Essa ingenuidade, aliás, não é peculiar aos novos pais: ela é encontrada, de fato, em muitos pais “convertidos”. Com isso entendemos não apenas as conversões radicais, mas também todas as etapas decisivas de nossa marcha para Deus. Depois de um retiro, por exemplo, ou de uma experiência espiritual marcante, partimos cheios de entusiasmo e generosidade, prontos para converter o mundo inteiro, começando pelos próprios filhos.

Uma partida na vida familiar ou um recomeço depois de uma conversão: queremos fazer bem, fazemos boas resoluções. E então a vida nos convida a mais realismo e modéstia. Vida, e nossos filhos, porque eles não são filhos de livros ilustrados. Cada um é único, completamente novo, com um “manual” absolutamente novo. E nós também, pais, somos únicos: não somos máquinas educadoras, mas pessoas. É por isso que não pode haver um método educacional único. Cabe a cada família inventar o seu, com tantas variações quantos forem os filhos.

E então, sabemos, corremos contra nossos limites. Uma coisa é dizer a si mesmo, por exemplo, no fervor de um retiro: “Todas as noites rezaremos em família”, outra coisa é viver este projeto concretamente trezentos e sessenta e cinco dias por ano. Uma coisa é decidir que nunca mais choraremos por nossos filhos, outra coisa é manter a calma e a serenidade quando, às sete da noite, Pauline espalhou o conteúdo de uma lata de talco no carpete de seu quarto enquanto seus irmãos transformaram o banheiro em uma piscina. E quanto mais crianças crescem, mais nossos princípios educacionais são desafiados!

Não hesite em contar com a ajuda do Senhor

Então (periodicamente) chega a hora da “autocrítica”. E felizmente! Porque, para ficar ligado a todo custo aos seus planos iniciais, você corre para o desastre, simplesmente porque corre o risco de perder seus filhos, quem eles realmente são. Necessária, esta atitude pode ser desastrosa se nos leva a duvidar do caráter primordial e insubstituível de nossa missão de pais e de nossa capacidade de cumpri-la. Para ser fecunda, esta crítica de nós mesmos deve ser feita sob o olhar de Deus. Olhar para si mesmo, sozinho (ou como casal, dá no mesmo) é desanimador, até sem esperança: você se concentra em seus defeitos, seus erros. Enquanto a luz de Deus nos ilumina sobre o que realmente somos: pecadores, certamente – muito mais do que pensamos – mas também capazes do melhor – ele nos dá muito além de tudo o que ousamos desejar. Se Deus nos faz perder as nossas ilusões, não é para nos lançar no cepticismo ou no desânimo: é para nos libertar, conduzindo-nos pelos caminhos do perdão e da confiança.

Porque se existe uma palavra-chave válida para todos os pais cristãos, com todos os filhos e em todas as circunstâncias, é a palavra “confiar”. Acima de tudo, confie n’Aquele que, sabendo muito melhor do que nós que somos “maus pais”, no entanto cometeu a “loucura” de nos confiar os filhos. Ele é o Pai de nossos filhos, ele também é o nosso Pai, e nunca vai largar as nossas mãos.

Christine Ponsard

Tags:
EducaçãoFamíliaFilhos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
Gritos levam polícia à casa de dois idosos, que choravam copiosam...
2
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu...
3
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
4
Pe. Edward Looney
Padre revela: por que sempre levo água benta comigo ao viajar
5
MAN
Reportagem local
Oração da noite para serenar o espírito e pacificar a ansiedade
6
sacerdotes
Reportagem local
Suicídio de sacerdotes: desabafo de padre brasileiro comove as re...
7
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
Ver mais